Bahia recebe R$ 12 milhões para projetos em engenharia

Na Bahia, o avanço da pesquisa nas diversas áreas da engenharia passa a dispor de R$ 12 milhões com a aprovação do projeto estruturante apresentado pela Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb). Desse montante, R$ 8 milhões são oriundos da Financiadora […]

28/08/2009 07h39, Por Dilton e Feito

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Na Bahia, o avanço da pesquisa nas diversas áreas da engenharia passa a dispor de R$ 12 milhões com a aprovação do projeto estruturante apresentado pela Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb). Desse montante, R$ 8 milhões são oriundos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), agência de fomento do Ministério da Ciência e Tecnologia, e os outros R$ 4 milhões representam a contrapartida do Governo do Estado. O convênio entre as instituições foi firmado hoje (dia 27), durante as comemorações dos oito anos da Fapesb, na sede da entidade, na Colina de São Lázaro, na Federação.

 “Essa parceria entre o governo federal e o Governo da Bahia materializa a concepção de que o mais eficiente caminho para alcançar o desenvolvimento é o financiamento público. Nossa expectativa é que esse projeto dissemine os conhecimentos e soluções de engenharia para capital e interior”, comentou o presidente da Finep, Luís Manuel Fernandes.

O projeto estruturante prevê a melhoria e a modernização da infraestrutura para o desenvolvimento de atividades de pesquisa científica e tecnológica em áreas estratégicas (engenharias e computação) da política estadual de ciência, tecnologia e inovação. Por extensão, será fortalecida a base de engenheiros, pesquisadores, técnicos de alto nível e empreendedores capazes de gerar e difundir conhecimentos, na perspectiva de elevação dos indicadores de inovação tecnológica e desenvolvimento sustentável da Bahia.

A execução do projeto caberá à Universidade Federal da Bahia (UFBA), que contará com a parceria das universidades estaduais de Santa Cruz (UESC), Feira de Santana (UEFS), Sudoeste (UESB) e Estado da Bahia (UNEB). Também participam como co-executores o Instituto Federal da Bahia (IFBA, ex-Cefet-Ba) e a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf).

O secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Pedro Torres, considerou a aprovação do projeto um esforço coletivo para alavancar uma área vital para o desenvolvimento de qualquer economia. “O investimento em pesquisa é uma ação prioritária para consolidarmos um modelo sustentável de desenvolvimento em nosso estado”, disse o secretário.

Para a diretora-geral da Fapesb, Dora Leal Rosa, o projeto é fundamental para o Parque Tecnológico – TecnoBahia, em fase de construção na Avenida Paralela, pois visa também desenvolver competências e massa crítica para atividades de pesquisa e inovação. “O projeto tem um peso importante, pois agrega sete instituições de ensino superior qualificadas, que têm cursos de pós-graduação strictu sensu e programas de pesquisas nas áreas das engenharias”, destaca.

Representando o Governador Jaques Wagner, o secretário de Planejamento Walter Pinheiro explicou que o Parque Tecnológico vai estimular o desenvolvimento de diversas áreas, a exemplo da biotecnologia, tecnologia da informação, dentre outros. “Não será um parque industrial, para fabricação de equipamentos em larga escala, mas sim um local para o desenvolvimento de novos produtos e processos com base na inovação”, ressaltou Pinheiro.

Informações da SECT

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade