Bahia

Após nove anos fechada, igreja do século XVIII que foi cenário do seriado ‘Dona Flor e seus dois maridos’ é reaberta em Salvador

Igreja de Nossa Senhora da Saúde e Glória, no bairro da Saúde, foi reaberta nesta segunda-feira (8). O seriado foi gravado no templo religioso no ano de 1998.

08/11/2021 15h05, Por Laiane Cruz

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Acorda Cidade

A igreja de Nossa Senhora da Saúde e Glória, localizada na Praça Severino Ribeiro, no bairro da Saúde, foi reaberta nesta segunda-feira (8), após ficar nove anos fechada. O espaço passou por reforma e agora volta a receber os fiéis.

Em 1998, o templo religioso foi cenário para as gravações de "Dona Flor e seus dois maridos", seriado da TV Globo inspirado na obra homônima do escritor baiano Jorge Amado.

A igreja integra o sítio da Saúde, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e considerado zona de preservação.

Realizada pelo Iphan, a obra levou quase três anos para ser concluída e contemplou restauro integral do edifício, inclusive do acervo de bens móveis e integrados, tais como elementos artísticos, pinturas e imagens de arte sacra, além de adequação às normas de acessibilidade universal.

De acordo com a prefeitura de Salvador, o projeto buscou oferecer mais segurança e conforto aos fiéis e visitantes, além de recuperar características originais e exaltar o valor histórico do templo religioso do século XVIII. O investimento total foi de R$ 8 milhões.

A inauguração contou com a presença do prefeito de Salvador, Bruno Reis, do superintendente do Iphan na Bahia, Bruno Tavares, e do pároco Valson Sandes, além dos ministros do turismo, Gilson Machado Neto, e da Cidadania, João Roma. A obra faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC Cidades Históricas).

História
A Paróquia Nossa Senhora da Saúde e Glória foi construída em 1723, primeira metade do século XVIII, e condicionou a ocupação urbana nas proximidades.

As ordens religiosas, donas de vastos terrenos à época, criaram pontos de consolidação de casarios impulsionando o crescimento da malha urbana na região. Diante disso, os historiadores apontam a igreja como forte influência na configuração do bairro, que tem como protagonista espacial o largo em frente ao imóvel.

O templo foi tombado pelo Iphan em 1941 e foi inscrito no Livro Histórico e no Livro de Belas Artes.

De acordo com o padre Valson Sandes, pároco da igreja, o templo estava com estrutura comprometida e por isso a necessidade da reforma.

"Essa igreja sofreu uma primeira intervenção em 2012, devido a problemas no telhado. Em seguida, percebemos que toda a estrutura dos altares estava comprometida. Por isso, uma nova intervenção foi realizada, de forma completa, com restauro, para devolver à comunidade este bem cultural e religioso para toda a sociedade. É um templo de 300 anos e está sendo devolvido, renovado, para a população", ressalta.

 

Fonte: G1

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade