Acusado de torturar mulher vai a júri popular

A assistente social torturada pelo marido, há quase dois meses, prestou depoimento nesta quarta-feira (12) no fórum de Lauro de Freitas, região metropolitana de Salvador. Adalberto, que está preso, também prestou depoimento pela manhã e voltou a confessar as agressões contra a ex-mulher.

12/08/2009 19h53, Por Dilton e Feito

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

O juiz Valdir Viana Ribeiro Júnior, da vara crime de Lauro de Freitas, decidiu que o professor de educação física Adalberto França Filho, 39 anos, que no dia 26 de junho torturou e tentou assassinar sua companheira, Luciana Brasileiro Lopo, vai a júri popular por tentativa de homicídio.

A assistente social torturada pelo marido, há quase dois meses, prestou depoimento nesta quarta-feira (12) no fórum de Lauro de Freitas, região metropolitana de Salvador. Adalberto, que está preso, também prestou depoimento pela manhã e voltou a confessar as agressões contra a ex-mulher.

Se condenado, ele pode pegar de 12 a 30 anos de prisão. Os advogados de defesa vão entrar nesta quinta-feira (13) com recurso para que o acusado não seja julgado em júri popular. Além disso, os advogados aguardam o resultado do pedido de habeas corpus para que o professor espere o resultado em liberdade.
 

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade