Polícia

Acusado de matar empresário feirense pode ir a Júri Popular

Ele afirma ainda que a força-tarefa teve também o objetivo de apurar os homicídios praticados durante a greve da Polícia Militar da Bahia

12/08/2014 10h24, Por Kaio Vinícius

image image image image image

Compartilhe essa notícia

image image image image image

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Laiane Cruz

A Polícia Civil de Feira de Santana concluiu na última sexta-feira (8) o inquérito sobre o assassinato do corretor de imóveis Gil Marques Porto Neto. O documento, que possui cerca de mil páginas, foi remetido ao Ministério Público do município.

Apontado pela polícia como autor do homicídio, o ex-agente penitenciário Gregório dos Santos Teles pode ir a Júri Popular pela morte do empresário. O acusado estava preso no Conjunto Penal de Feira de Santana, mas foi transferido na última sexta para o Presídio da Mata Escura, em Salvador.

“Foi uma investigação muito complicada, que demandou um grande esforço investigativo de delegados, escrivães e peritos. O MP vai oferecer a denúncia, que pode ser acatada ou não pela justiça, posteriomente, serão pronunciados os júris, marcadas as audiências de instrução e o júri popular”, afirmou o delegado João Rodrigo Uzzum.

Ele afirma ainda que a força-tarefa teve também o objetivo de apurar os homicídios praticados durante a greve da Polícia Militar da Bahia, na qual Gregório também é acusado de participação.

Leia também: Acusado de matar corretor de imóveis é transferido para presídio de Salvador

Com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade.
 

Compartilhe essa notícia

image image image image image image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Captcha

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Mais Notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

image

Rádio acorda cidade