Acorda Cidade - Dilton Coutinho

29 de Janeiro de 2022
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Feira de Santana

Todas as notícias
Publicado em 26/11/2021 21h59.

Defesa pede que médico acusado de matar colega responda por homicídio culposo

O depoimento durou 10 horas e 30 minutos. Foram ouvidas testemunhas e o réu.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Defesa pede que médico acusado de matar colega responda por homicídio culposo
Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade | Réu e advogados

Andrea Trindade

Encerrou na noite desta sexta-feira (26), após 10 horas e 30 minutos, o depoimento do médico Geraldo Freitas de Carvalho Júnior, acusado de matar o médico Andrade Lopes Santana, de 32 anos, no dia 24 de maio. Após vários dias de desaparecimento, o corpo foi encontrado no Rio Jacuípe em São Gonçalo dos Campos.

O depoimento foi prestado à juíza Márcia Simões Costa, em uma das salas de audiência da Vara do Júri, no Fórum Desembargador Filinto Bastos, em Feira de Santana. O médico estava acompanhado pelos advogados Eustáquio Neto, Leandro Gabriel e Teófilo Borges. A audiência de instrução começou às 9h. Foram ouvidas as primeiras testemunhas arroladas pelo Ministério Público (MP). Logo após, foram ouvidas as testemunhas de defesa e por fim, o réu. Familiares do médico Andrade Santana também estão presentes na oitiva. A vítima morava no município de Araci.

Foto: Aldo Matos,/Acorda Cidade

Homicídio culposo

A defesa apresentou a tese de homicídio culposo, quando não há intenção de matar, destacando que réu e vítima eram amigos e que o tiro disparado foi acidental, durante uma discussão por causa de mensagens de celular, no momento em que os dois estavam em uma moto aquática. De acordo com a defesa, Andrade estava conduzindo o veículo no rio quando deu uma cabeçada para trás. Reação que, segundo a defesa, teria ocasionado o disparo acidental da arma que estava na mão de Geraldo, e que por ser uma arma de competição, dispara com um simples toque no gatilho.

“Hoje, pela primeira vez, o réu teve a oportunidade de contar a versão dos fatos. Desde o início lá na polícia, ele já afirmou que eles eram amigos e não tinha nenhum motivo para assassinar o amigo. Na verdade houve sim a discussão, mas o disparo foi acidental. A defesa espera que no momento oportuno possa provar, não que ele é inocente, porque Geraldo cometeu um erro e se arrepende muito, e hoje aqui olhando nos olhos da juíza, do promotor, ele disse que está arrependido do que fez. Mas o disparo não foi intencional (...).Tudo ocorreu em cima de uma moto aquática e Andrade pilotava a pedido dele mesmo. Estavam andando, pararam o Jet pra poder conversar sobre as mensagens e infelizmente, Andrade estava de costas, no momento em que ele dá a cabeçada para trás, porque se assustou com a arma, o tiro pegou na nuca, mas poderia ter sido no ombro, de raspão, ou ter errado, mas infelizmente acertou na nuca”, afirmou o advogado Eustáquio Neto.

Âncora amarrada ao corpo e queixa na delegacia

Sobre a âncora encontrada junto ao corpo da vítima, o advogado afirmou que o equipamento foi usado, não para que o corpo afundasse no rio, mas sim para tentar retirá-lo da água.

O advogado destacou que o réu cometeu uma sucessão de erros, após o disparo, por desespero e medo. Geraldo chegou até mesmo a registrar a queixa do desaparecimento do colega na delegacia e receber a família do médico.

“Geraldo cometeu uma série de erros. O primeiro e, ele disse hoje aqui, foi estar com aquela arma de fogo naquele momento e ter tentando intimidar o amigo a entregar o celular, e se ele não estivesse com essa arma esta tragédia com certeza não teria acontecido. Por que ele não contou à polícia? Por medo, por desespero, Geraldo é réu primário, é um jovem de 32 anos, então naquele momento ele entrou em pânico, em desespero, acabou não contando pra ninguém. Tanto é que os advogados, que também são tios, só ficaram sabendo dos fatos chegando aqui em Feira de Santana. Geraldo errou, ele disse: ‘eu fui covarde, não em ter atirado no amigo pelas costas como disse a polícia, como disse a imprensa, mas por não ter tido a coragem de imediatamente ir a delegacia e ter falado que houve um acidente, que foi um disparo acidental, que era o certo’. Mas por desespero, por medo, ele cometeu uma série de outros erros, que foi ter ido à delegacia registrar a queixa, ter encontrado a família. Ele disse aqui que a todo o momento ele pensava em dizer a verdade, mas como ele nunca tinha passado por uma situação dessa, o medo tomou conta”, relatou.

Dívida de compra de arma, crime passional e mensagens

O advogado Eustáquio Neto também alegou que o crime não teve como motivação uma dívida por parte da vítima, nem mesmo por causas passionais.

“A arma foi vendida por 12 mil reais e Andrade já tinha pagado três parcelas. A arma em si não tem nada a ver com o fato, já que Geraldo e todas as testemunhas disseram hoje que Geraldo e Andrade eram amigos. Não tinha nenhum motivo pra tirar a vida de Andrade. Infelizmente o erro dele foi obrigar o colega a entregar o celular que tinha umas mensagens que ele tinha acabado de descobrir e infelizmente, Andrade que não teve culpa, teve uma reação de se curvar e deu uma cabeçada para trás, e ele acabou caindo do Jet e a arma disparou. Lembrando que a arma de Geraldo era preparada para competição, tinha o gatilho aliviado, isso foi explicado, a um simples toque do dedo ela dispara, e infelizmente essa tragédia aconteceu”, afirmou o advogado ao Acorda Cidade.

Médico Andrade Lopes | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Segundo a defesa, as mensagens que teriam motivado a discussão estavam relacionadas a um desafeto de Geraldo Júnior.

“Não teve nada a ver com crime passional. A juíza fez questão de perguntar se havia alguma desconfiança por parte de Geraldo com Andrade, com a namorada. Andrade era uma pessoa íntegra também, jamais sequer deu em cima da mulher de alguém. O crime não foi passional, na verdade as mensagens estavam relacionadas a um desafeto de Júnior, que Junior acabara de pegar as mensagens no celular, deles conversando sobre supostamente um plano para pegar Júnior, mas não teve nada a ver com crime passional. Geraldo confessou que foi ele que estava com Andrade, foi ele que efetuou o disparo, mas também esclareceu que ele não teve a intenção, foi um disparo acidental. Desta forma, a defesa sequer pede a absolvição de Geraldo, a defesa pede para que ele responda e pague pelo crime exato que ele cometeu: homicídio culposo, quando não há intenção de matar (...). A defesa de Geraldo que também é da família dele, lamenta muito e tem muito respeito pela família e Andrade”, concluiu.

Durante interrogatório à Polícia Civil no dia em que foi preso, o réu disse que teve sonhos premonitórios e afirmou que o disparo foi acidental.

Com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade. 

Leia também:

Acusado de matar médico de Araci é ouvido no Fórum Filinto Bastos nesta sexta-feira (26)

Acusado de matar médico de Araci tem prisão temporária prorrogada por mais 30 dias

Acusado de matar médico de Araci diz que tiro foi acidental e cita 'premonição'

Ex de médico assassinado na BA relata ameaças após boatos de que namora suspeito do crime: 'Áudios com coisas absurdas'

Mãe diz que perdoou acusado de matar médico e deseja encontrá-lo: 'Quero ouvir a motivação e que ele confesse'

Polícia descarta compra de arma e moto aquática por médico Andrade Santana; delegado afirma que crime foi premeditado

No Acre, amigos e familiares soltam balões brancos em homenagem ao médico Andrade Santana

Suspeito de matar médico permaneceu em silêncio durante interrogatório; polícia investiga motivação

Multidão acompanha sepultamento de médico em Araci

'Eu fui abraçada pelo assassino, mataram meu filho de joelhos', diz mãe do médico Andrade Santana

Preso suspeito de matar médico de Araci; corpo foi encontrado nas águas no Rio Jacuípe

Corpo de médico é encontrado no Rio Jacuípe em São Gonçalo dos Campos

'Mandava corações e dizia que me amava', diz mãe de médico desaparecido

Vigilante de hospital disse que médico de Araci iria passar no 35º BI para resolver demandas; médico está desaparecido desde segunda (24)

Médico de Araci está desaparecido desde segunda-feira (24)

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Trecho da Avenida Fraga Maia será interditado nesta sexta-feira (28)
Feira de Santana

Trecho da Avenida Fraga Maia será interditado nesta sexta-feira (28)

Segundo o diretor de operações da SMT, Édimo Pires, as faixas da direita dos dois sentidos da via, estarão...

Após constatação de forte odor do Complexo de Matadouro, secretário de Meio ambiente afirma que medidas serão tomadas
Feira de Santana

Após constatação de forte odor do Complexo de Matadouro, secretário de Meio ambiente afirma que medidas serão tomadas

O Secretário junto com uma equipe técnica esteve presente no local para realizar a fiscalização.

Vídeo

Covid-19: com poucos funcionários, drive-thru da prefeitura gera longas filas na Ayrton Sena Veja mais Vídeos ›

Ouça Agora

Programa desta sexta-feira 28.01.22:
Mais áudios ›

Facebook

Instagram