Acorda Cidade - Dilton Coutinho

17 de Janeiro de 2022
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Polícia

Todas as notícias
Publicado em 24/11/2021 12h32.

Em depoimento à PF, secretário nega ter recebido R$ 400 mil por consultoria à UPA e atribui denúncia a 'interferências políticas'

A denúncia foi protocolada no dia 15 de setembro pelo presidente da Câmara de Vereadores, Fernando Torres.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Em depoimento à PF, secretário nega ter recebido R$ 400 mil por consultoria à UPA e atribui denúncia a 'interferências políticas'
Foto: Aldo Matos/ Acorda Cidade

Laiane Cruz

Acompanhado do advogado Guga Leal, o secretário de saúde de Feira de Santana, Marcelo Britto, compareceu na manhã desta quarta-feira (24) à sede da Polícia Federal para prestar depoimento, acerca da denúncia de suposto esquema de superfaturamento em serviços prestados por sua empresa à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Queimadinha.

Foto: Aldo Matos/ Acorda Cidade

A denúncia foi protocolada no dia 15 de setembro pelo presidente da Câmara de Vereadores, Fernando Torres. Ele compareceu à sede da PF junto com uma comitiva formada pelos vereadores Luiz da Feira, Paulão do Caldeirão e a vereadora Eremita Mota. (Relembre aqui)

Na ocasião foram entregues ao delegado documentos e notas fiscais, que supostamente comprovariam o recebimento do valor de R$ 200 mil mensais pela empresa do secretário Marcelo Brito, por serviços de consultoria prestados à UPA, na época em que ainda não estava à frente da pasta municipal.

Em coletiva à imprensa, após o depoimento na sede da PF, o secretário Marcelo Britto negou que tivesse recebido o total de R$ 400 mil por dois meses de consultoria à UPA. Segundo ele, o valor foi de pouco mais de R$ 200 mil.

Foto: Aldo Matos/ Acorda Cidade

“Eu recebi pouco mais de R$ 200 mil por serviços de consultoria e atendimento. Eu acho barato. Depende muito da assessoria que você presta. Tem serviços que talvez 1 mil reais seja muito caro, e tem serviços de R$ 1 milhão que acho que sai barato. Vai depender muito da avaliação do resultado dos serviços que foram prestados”, justificou.

Ele disse que durante o depoimento o delegado fez perguntas específicas acerca da denúncia, de maneira educada e sem nenhum tipo de agressão. “Se tiver provas contra mim vou ser sancionado conforme a lei. Se não tiver, arquiva-se o processo”, resumiu.

Ainda de acordo com Marcelo Britto, os serviços prestados foram para a área de saúde, os quais já são realizados por ele há cerca de 20 anos, em grandes hospitais, como o Hospital Português, em Salvador, hospitais de Recife, do interior de Minas Gerais, com valores que são até superiores.

Questionado se, diante da investigação, irá permanecer à frente da Secretaria de Saúde, Brito afirmou que ainda não recebeu nenhum ultimato do prefeito Colbert Martins a esse respeito.

“Enquanto o Diário Oficial não publicar minha exoneração, continuo secretário. No dia que publicar, deixo de ser secretário e continuo médico. Ser secretário eu diria que é uma missão. No momento em que eu fui convidado para assumir a Secretaria Municipal de Saúde eu sabia que 'você' termina se envolvendo indevidamente em questões políticas. Eu não sou político, não sou candidato a nada, estou apenas para fazer uma boa gestão na Secretaria de Saúde, e esse é o papel que estamos fazendo, mas tudo na vida tem esses percalços, e tudo na vida é uma missão.”

Interferências políticas

O secretário Marcelo Britto atribuiu também que a investigação contra ele a interferências políticas, em virtude de interesses que poderiam ter sido contrariados.

“Eu diria que não há perseguição, eu diria que são interferências políticas, porque a gente faz uma série de mudanças na secretaria e que desagradam as pessoas. Quem poderia levar algum tipo de vantagem deixa de levar, e infelizmente, na nossa cultura, percebe-se que se quer levar vantagem em tudo e isso não é o ideal”, justificou.

Em relação à possibilidade de ser convocado a depor durante a CPI da Saúde, instaurada na Casa Legislativa, o secretário disse que está à disposição de todos os vereadores.

“O dia que eles desejarem. Já fui chamado duas vezes e já mandei ofício duas vezes marcando a data, e um dia antes cancelaram. Estou à disposição de qualquer um dos vereadores e da imprensa, para dar respostas honestas e claras, como sempre faço quando dou entrevistas”, concluiu.

 

Com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade.

 

Leia também:

Prefeitura diz que denúncia de Fernando Torres contra secretário de Saúde é irresponsável

Presidente da Câmara denuncia suposto desvio de verbas pela Secretaria de Saúde

 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Adolescente armado é apreendido durante cortejo de velório
Feira de Santana

Adolescente armado é apreendido durante cortejo de velório

No momento da abordagem o trânsito ficou parado e o cortejo também.

Registros na Delegacia Virtual evitam aglomerações nas unidades físicas da Polícia Civil
Polícia

Registros na Delegacia Virtual evitam aglomerações nas unidades físicas da Polícia Civil

Para registrar um Boletim de Ocorrência na Delegacia Virtual é rápido e fácil

Conheça Julieta, PM canina especialista em farejar armas e drogas
Polícia

Conheça Julieta, PM canina especialista em farejar armas e drogas

O comandante da 2ª Cia do BPRv, capitão Danilo Silva Nery Rosa, explicou que as aulas da beagle são repassa...

Vídeo

Aos 71 anos, morador de Feira de Santana viaja a pé para Salvador Veja mais Vídeos ›

Ouça Agora

Programa desta sexta-feira 14.01:
Mais áudios ›

Facebook

Instagram