Acorda Cidade - Dilton Coutinho

27 de Novembro de 2021
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Dilton e Feito

Todas as notícias
Publicado em 20/10/2021 10h01.

CPI: Com pedido de indiciamento de Bolsonaro e crise no G7, relatório será lido nesta quarta

Presidente da comissão, o senador Omar Aziz (PSD-AM), foi um dos que demonstrou publicamente sua irritação e cobrou que o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), mantivesse no parecer tudo que havia vazado.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
CPI: Com pedido de indiciamento de Bolsonaro e crise no G7, relatório será lido nesta quarta
Foto: Pedro França/Agência Senado | CPI da Pandemia

Em meio ao clima de "racha" no chamado G7, grupo de senadores que são maioria no colegiado e conduzem os trabalhos desde o início, após o vazamento do relatório final, a CPI da Covid-19 se reúne nesta quarta-feira (20) para a apresentação oficial do texto e leitura. A votação ocorrerá na próxima terça-feira (26).

Presidente da comissão, o senador Omar Aziz (PSD-AM), foi um dos que demonstrou publicamente sua irritação e cobrou que o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), mantivesse no parecer tudo que havia vazado.

Após o desgaste, Calheiros enviou o documento de 1.178 páginas aos colegas senadores. No documento, há pedidos de indiciamento de 70 pessoas e duas empresas. Entre os nomes, estão o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e três de seus filhos – o vereador pelo Rio de Janeiro Carlos (Republicanos-RJ), o senador Flavio (Patriota-RJ) e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) –, além dos ministros Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União), Walter Braga Neto (Defesa) e Onyx Lorenzoni (Trabalho e Previdência).

No parecer, constam ainda os pedidos de indiciamento dos ex-ministros Eduardo Pazuello (Saúde) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores). Há também outros parlamentares, empresários, lobistas, médicos, pesquisadores e influenciadores bolsonaristas.

Dois pontos de divergências entre os senadores foram resolvidos na noite desta terça-feira (19): o indiciamento por genocídio de indígenas atribuído a Bolsonaro e o pedido de indiciamento dos filhos do presidente da República, sobretudo do senador Flávio Bolsonaro. Segundo Aziz, os itens foram retirados da versão final. (Fonte: Bahia Notícias) 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

'Vamos todos pagar a conta', diz Prates sobre liberação de público nos estádios
Dilton e Feito

'Vamos todos pagar a conta', diz Prates sobre liberação de público nos estádios

Secretário de Saúde de Salvador fez as críticas pelo Twitter.

Direção nacional do PP cogita lançar João Leão ao Senado na chapa de ACM Neto
Dilton e Feito

Direção nacional do PP cogita lançar João Leão ao Senado na chapa de ACM Neto

O petistas planejam lançar o senador Jaques Wagner à sucessão de Rui Costa e Otto Alencar (PSD) deve concor...

'Política é para ser feita com a guerra de argumentos', diz Wagner
Política

'Política é para ser feita com a guerra de argumentos', diz Wagner

Em Itamaraju, acompanhando o governador Rui Costa, senador cita uma dívida da União de R$ 500 milhões e cri...

Vídeo

Persistência: vendedor de água mineral passa em concurso da PM Veja mais Vídeos ›

Ouça Agora

Programa desta sexta-feira 26.11:
Mais áudios ›

Facebook

Instagram