Acorda Cidade - Dilton Coutinho

19 de Outubro de 2021
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Dilton e Feito

Todas as notícias
Publicado em 13/10/2021 15h08.

Professores da Uefs se opõem na Câmara contra a proibição de linguagem neutra

Maria Aparecida informou que diversos professores da universidade, participantes de grupos de pesquisa e idependentes, assim como entidades e outros grupos acadêmicos, assinaram uma carta se colocando contra o PL.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Professores da Uefs se opõem na Câmara contra a proibição de linguagem neutra
Foto: Paulo José / Acorda Cidade | Professora Maria Aparecida Prazeres

Um grupo de professores da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) esteve na manhã desta quarta-feira (13) na Câmara Municipal de Vereadores para manifestar seu posicionamento em relação ao projeto de lei 131/2021, de autoria do vereador Edvaldo Lima (MDB), que proíbe a utilização da linguagem neutra nos órgãos públicos e nas escolas do município.

O uso da linguagem neutra é defendida por grupos LGBTQIA+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Queers, Intersexo e Assexuais), que propõem a retirada das flexões de gênero masculino e feminino, da língua falada e escrita, a exemplo das palavras ‘todes ou todxs’, ao invés de todos e todas, como prevê originalmente a língua portuguesa.

Para a professora Maria Aparecida Prazeres, que faz parte da Associação de Professores da Uefs, o projeto aprovado na Câmara é de cunho preconceituoso e machista.

“A linguagem neutra é utilizada para incluir pessoas de gênero fluido, travestis, pessoas trans e mulheres para além do que o português coloca como masculino. Os linguistas, junto com as feministas, têm demonstrado o quanto você coletivizar no masculino representa o machismo, uma cultura machista do patriarcado brasileiro. Por isso que nós falamos todos, todas e todes, no sentido de incluir a todos no processo quando se está escrevendo”, afirmou a professora.

Maria Aparecida informou que diversos professores da universidade, participantes de grupos de pesquisa e idependentes, assim como entidades e outros grupos acadêmicos, assinaram uma carta se colocando contra o PL.

“A universidade hoje inclui cotas também para mulheres trans e travestis, além de negros. E uma cota está sendo discutida para cursos de pós-graduação. Estamos buscando incluir essa população para sua formação e não podemos desrespeitar a forma como essas pessoas se reconhecem, como elas se denominam. A universidade não pode compactuar com a conduta que é extremamente transfóbica, sexista e machista”, opinou.

Foto: Paulo José/ Acorda Cidade | Vereador Edvaldo Lima

Em resposta ao discurso da professora na Câmara, o vereador Edvaldo Lima questionou o uso da linguagem neutra e afirmou que esses grupos querem impor tal linguagem à sociedade feirense, sobretudo às crianças.

“Esse grupo de professores veio aqui se contrapor ao meu projeto, que proíbe eles falarem com linguagem neutra, porque eles falam que a criança nasce sem sexo, não nasce nem homem, nem mulher. Então nasce o que? Agora, depois que as pessoas crescem e querem mudar seu comportamento, aí é problema da pessoa. Esse ‘ativismo gay’ quer botar ‘guela abaixo’ da sociedade de Feira de Santana e das nossas crianças a linguagem neutra, dizendo que ‘todes’ é uma palavra que não é pra homem, nem mulher. Isso é um desrespeito às nossas crianças, às mães e pais de família que respeitam a sociedade e a família brasileira. Se me mostrarem na gramática e na Constituição Federal essa palavra ‘todes’ eu aceito”, declarou. (Por Laiane Cruz, com informações do repórter Paulo José do Acorda Cidade) 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Deputado quer que MPF investigue viagem de Eduardo Bolsonaro e família a Dubai
Política

Deputado quer que MPF investigue viagem de Eduardo Bolsonaro e família a Dubai

Heloísa fez série de posts para defender as críticas que o marido recebeu por ter viajado com a família.

Luciano Hang sofre derrota para deputado do PT no STF
Política

Luciano Hang sofre derrota para deputado do PT no STF

PGR recomendou arquivamento do caso.

Deputado Igor Kannário critica proibição de paredões na Bahia: 'Tem que legalizar'
Política

Deputado Igor Kannário critica proibição de paredões na Bahia: 'Tem que legalizar'

Na última quinta-feira (14), o parlamentar disse que tenta contato com o governador para conversar sobre mane...

Vídeo

Princípio de incêndio atinge distribuidora de produtos automotivos na Rua Cristóvão Barreto Veja mais Vídeos ›

Ouça Agora

Programa desta segunda-feira 18.10:
Mais áudios ›

Facebook

Instagram