Acorda Cidade - Dilton Coutinho

22 de Junho de 2021
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Saúde

Todas as notícias
Publicado em 09/06/2021 22h03.

Após vacinação, cai média de idade dos pacientes internados; mesmo vacinada população precisa manter os cuidados

Vale ressaltar que o risco de ter um quadro grave após a vacina é menor comparada àquelas pessoas que ainda não se vacinaram.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Após vacinação, cai média de idade dos pacientes internados; mesmo vacinada população precisa manter os cuidados
Foto: Paula Fróes /GOV-BA

Gabriel Gonçalves

No início da pandemia, a média de idade dos pacientes internados no Hospital de Campanha de Feira de Santana era entre 65 e 70 anos. Atualmente, esses dados foram reduzidos, e de acordo com o diretor da unidade hospitalar, Francisco Mota, a média varia entre 50 a 59 anos.

De acordo com ele, em torno de 10% dos pacientes que estão internados hoje no Hospital de Campanha, já foram imunizados com pelo menos a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

Foto: Secom/PMFS

"Logo no início a gente observava uma média de idade que variava ali por volta de 65, 70 de idade e nesse momento, a maior parte dos pacientes internados, são aqueles com idade entre 50 a 59 anos. Com relação aos pacientes que já tomaram pelo menos a primeira dose, a frequência não é tão grande assim de internamento, mas estamos junto com a Drª Melissa Falcão apurando estes dados e em torno de 10% dos pacientes que foram aqui internados, tomaram a vacina, não necessariamente as duas doses. A vacina da Oxford é extremamente raro isso acontecer, já com a vacina da CoronaVac, temos alguns casos de pacientes internados que tomaram apenas uma dose", explicou.

Esse mesmo dado foi comprovado no Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA). De acordo com o coordenador das Unidades de Terapia Intensiva (UTI), o médico intensivista, Lúcio Couto, a média de internamento é de 49 anos.

"Hoje a média de idade dos pacientes internados em nossa UTI, é de 49 anos, mas lembrando que no início da pandemia, essa média já foi de 66, chegando a 70 anos e caiu muito o quantitativo de pacientes com essa idade. Realmente, a realidade hoje é de pacientes mais jovens, inclusive de pacientes que já receberam a primeira dose da vacina, mas é uma quantidade muito pouca ainda, nada expressivo", explicou o médico ao Acorda Cidade.

Ainda segundo o coordenador, o principal motivo que leva o paciente a ser internado em uma UTI, é o quadro de insuficiência respiratória com a necessidade do suporte de oxigênio.

"Hoje como citei, a média de internação realmente era grande dos idosos com uma média de 70 anos e isso caiu muito. O que leva a um paciente ser internado em uma UTI, é justamente o quadro de insuficiência respiratória com a necessidade do suporte de oxigênio e também da ventilação mecânica não invasiva ou invasiva. Com relação aos idosos, essa população já está vacinada e deixaram de chegar em nossa unidade na quantidade que chegavam antes, por isso, a média atual é de 49 anos, mostrando a importância da vacinação como principal fator modificador desse cenário", destacou.

Pessoas vacinadas que foram internadas

De acordo com a médica infectologista e coordenadora do Comitê Municipal de Enfrentamento ao Coronavírus do município, Melissa Falcão, cerca de 55% dos idosos já tinham tomado a segunda dose da vacina CoronaVac, mas por conta da eficácia, foi necessário o internamento de alguns pacientes, mesmo estando imunizados.

Foto: Ney Silva/Acorda Cidade
 

"Existe uma incidência alta dos idosos com relação à internação, mesmo após ter tomado a segunda dose da vacina. Cerca de 55%, ou seja, mais da metade, já tinham tomado as duas doses da vacina e isso acontece principalmente com pessoas acima de 60 anos que utilizaram a CoronaVac e os estudos mostram que esta vacina tem uma eficácia menor e provavelmente, por conta disso, alguns idosos precisaram ser internados", explicou.

Ainda sem ter uma vacina com comprovação na eficácia de 100% contra o vírus, a infectologista alertou que é necessário manter todos os procedimentos, como medida de segurança.

"Nenhuma das vacinas disponíveis confere 100% de proteção. Então mesmo quem já tomou as duas doses e conseguiu a sua proteção, seja com cerca de 54%, 70% ou até mesmo 90%, a depender da vacina, tem o risco de adquirir a doença, porém o risco de ter um quadro grave, uma manifestação grave após a vacina, é menor comparada aquelas pessoas que ainda não tomaram a vacina. Logo no início da pandemia, estávamos vendo pacientes acima de 60 anos por conta das doenças associadas, mas logo depois vimos uma mudança com a chegada das variantes, atingindo pessoas mais jovens e começaram a ser internadas, mesmo sem ter nenhum tipo de doença associada", afirmou.

Segundo Melissa Falcão, a vacina CoronaVac está sendo questionada e avaliada pelo Ministério da Saúde.
"A vacina diminui a chance daquele paciente ter um quadro grave e essa vacina que foi bastante utilizada nos idosos, a CoronaVac, vem sendo questionada e avaliada até pelo Ministério da Saúde e o que seria feito com relação a isso? Teria uma terceira dose da CoronaVac para poder fazer o reforço dessa imunização? Isso já foi discutido e está em pauta no Ministério da Saúde. Sabemos que as vacinas ainda não são 100% eficazes, mas quanto mais pessoas vacinadas, menos pessoas serão contaminadas, menos o vírus vai estar circulando e claro, uma quantidade menor da população vai se contaminar", concluiu.

Sobre a eficácia da vacina, o Butantan informou que não é necessário receber terceira dose da CoronaVac. Estudos do Projeto S, realizado pelo instituto em Serrana, no Ceará e no Chile indicam que apenas duas doses são necessárias para imunizar a população e proteger contra o vírus Sars-CoV-2. O presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, esclareceu essa dúvida em vídeo e reforçou que a vacina do Butantan é eficiente e segura para pessoas acima de 18 anos, inclusive idosos.

Com informações do repórter Ney Silva do Acorda Cidade
 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Vacinação contra covid-19 para pessoas a partir de 46 anos continua nesta terça-feira (22)
Boletim

Vacinação contra covid-19 para pessoas a partir de 46 anos continua nesta terça-feira (22)

Nascidos antes de 1975 também poderão receber a dose do imunizante.

Covid-19: Feira de Santana tem 363 novos casos; mais 11 mortes foram comunicadas
Boletim

Covid-19: Feira de Santana tem 363 novos casos; mais 11 mortes foram comunicadas

De acordo com o boletim, 7.239 pessoas ainda estão com a doença, são os chamados casos ativos.

Bahia registra 2.160 novos casos de Covid-19 e mais 77 óbitos pela doença
Covid-19

Bahia registra 2.160 novos casos de Covid-19 e mais 77 óbitos pela doença

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 23.254, representando uma l...

Vídeo

Manifestantes realizam nova manifestação contra o governo Bolsonaro em Feira de Santana Veja mais Vídeos ›

Ouça Agora

Programa desta segunda-feira 21.06:
Mais áudios ›

Facebook

Instagram