Acorda Cidade - Dilton Coutinho

16 de Maio de 2021
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Dilton e Feito

Todas as notícias
Publicado em 03/05/2021 17h48.

Manno entra na Justiça após Netinho cantar 'Milla' em ato pró-Bolsonaro: 'Débil mental'

No início deste ano, Góes já tinha criticado Netinho ao exibir uma foto ao lado do presidente Jair Bolsonaro em que dizia ser 'cristão'.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Manno entra na Justiça após Netinho cantar 'Milla' em ato pró-Bolsonaro: 'Débil mental'
Montagem: Bahia Notícias | Manno Góes e Netinho

Mais uma vez, o compositor e músico Manno Góes se posicionou contrário ao ex-parceiro Netinho neste domingo (2). Isso porque o sócio da banda Jammil e Uma Noites não gostou de ver o colega cantando o sucesso "Milla" no ato pró-Bolsonaro que aconteceu no sábado (1º), Dia do Trabalho, na Av. Paulista, em São Paulo. Autor da canção e crítico do atual presidente, Manno protestou nas redes sociais. "Netinho ontem cantou Milla no ato em que pessoas brancas, na Paulista, gritavam eu autorizo', para Bolsonaro. Autorizam o que? Golpe militar? Portanto, eu NÃO AUTORIZO esse débil mental de cantar minha música. Já entrei na justiça e retirarei todos os vídeos que tiverem isso", escreveu, utilizando-se de um termo capacitista para explanar seu descontentamento.

Por capacitismo pode-se entender como o conjunto de atitudes preconceituosas que discriminam e subestimam a capacidade das pessoas com deficiências. Foi o que o artista fez ao se referir a Netinho como "débil mental". Em outro tuite, Manno mandou um recado para a classe de artística. "Espero que outros percebam que ao se silenciarem estão sendo coniventes com atos contra a democracia. Não se trata de posicionamento político apenas, se trata de apreço à liberdade e à Constituição", finalizou.

No início deste ano, Góes já tinha criticado Netinho ao exibir uma foto ao lado do presidente Jair Bolsonaro em que dizia ser "cristão, acredito e ando com Deus, nada tenho contra religiões e sim contra homens que podem usar as religiões para propagar o mal, e o comunismo/ socialismo/ globalistas/ progressistas. São mal absolutos" (sic). Em resposta, o autor de "Milla" ironizou: "Netinho, se fôssemos comunistas, você já estava enterrado na praia ou amarrado em um barco, largávamos seu corpo em um farol apagado, em um moinho abandonado, no maior alto astral! Ninguém usa Deus para pregar contra o capitalismo. Só Jesus fazia isso, seu pentelho seco de velha!”. (Com informações do site Bahia Notícias)  

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Prefeito Colbert Filho lamenta morte de Bruno Covas
Dilton e Feito

Prefeito Colbert Filho lamenta morte de Bruno Covas

Bruno Covas morreu de câncer depois de lutar muito contra a doença

Covid-19: secretário diz que irá avaliar pleito de profissionais de imprensa sobre prioridade na vacinação
Dilton e Feito

Covid-19: secretário diz que irá avaliar pleito de profissionais de imprensa sobre prioridade na vacinação

A declaração foi dada após o Sindicato dos Jornalistas da Bahia (Sinjorba) iniciar uma campanha em prol da ...

Vídeo

Santa Casa de Misericórdia inaugura 8 leitos de UTI exclusivos para Covid-19 em Feira de Santana Veja mais Vídeos ›

Facebook

Instagram