Acorda Cidade - Dilton Coutinho

20 de Outubro de 2021
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Saúde

Todas as notícias
Publicado em 17/03/2021 17h13.

Semana do sono: veja dicas para dormir bem e ter uma melhor qualidade de vida

Neste ano, o slogan da campanha é 'Sono bom, futuro saudável', que pode ser acessado pelo www.semanadosono.com.br, onde contém toda programação.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Semana do sono: veja dicas para dormir bem e ter uma melhor qualidade de vida
Foto: Maylla Nunes/Acorda Cidade

Gabriel Gonçalves

O Dia Mundial do Sono é comemorado na próxima sexta-feira (19) e para celebrar esta data, teve início na última segunda (15) de forma virtual, a Semana do Sono 2021. Neste ano, o slogan da campanha é "Sono bom, futuro saudável", e ela  pode ser acessada pelo site: www.semanadosono.com.br, onde contém toda programação.

Em entrevista ao Programa Acorda Cidade na manhã desta quarta (17), a otorrinolaringologista e médica do sono, Carolina Grinlfeld, explicou que quem dorme bem, consegue ter uma vida mais saudável.

"Com toda certeza, quem dorme bem, pode desenvolver uma saúde melhor, principalmente nesse período de pandemia, onde muitas pessoas estão preocupadas com a imunidade e o sono produz anticorpos, como produção de hormônios; O sono consegue armazenar o que aprendemos durante o dia, assim como fortalece a memória e a imunidade. Aliado a tudo isso, as pessoas precisam se preocupar em praticar atividades físicas também e manter uma ótima alimentação", explicou.

De acordo com a otorrinolaringologista, existe um mito em dizer que todos precisam ter no mínimo 8 horas de sono. Ela destacou que cada pessoa possui uma necessidade de descanso.

Foto: Maylla Nunes/Acorda Cidade

"Não existem horas determinadas, foi criado um mito de que todos precisam dormir 8 horas, mas isso não é verdade. Cada pessoa possui uma necessidade diferente, como pessoa que são curto dormidores e dormem apenas 5, 6 horas e já se sentem dispostos, outros são considerados como longos dormidores que dormem cerca de 9, 10 horas. É importante que cada um possa respeitar o seu sono, respeitar o seu ritmo e essas horas se alteram com o decorrer da idade, assim como um bebê que precisa de muitas horas de sono, comparada a uma criança de 5 anos de idade e se for comparar com um idoso, ele dorme uma quantidade de horas menor durante a noite e durante o dia, fica cochilando, então isso varia de idade para idade", disse.

Segundo Carolina, é importante que seja observado se a pessoa não está com sono em excesso e esteja com distúrbios durante a noite.

"Precisamos ficar em alerta para verificar se a pessoa não está com excesso de sono, porque realmente existem pessoas com distúrbios durante a noite e se sentem cansadas durante o dia. Então fica ali cochilando durante o dia e por isso é preciso avaliar até que ponto isso é fisiológico seja da idade, ou até mesmo o distúrbio que está gerando essa sonolência diurna", destacou.

De acordo com a cirurgiã dentista e dentista do sono, Eliane Martins, a programação da Semana do Sono tem como objetivo alertar as pessoas os cuidados que é preciso ter, principalmente relacionado ao ronco.

"Esse ano, nossa programação é toda virtual em função do momento que estamos vivendo, mas teremos muitas lives com programação da nossa Associação Brasileira do Sono, tanto para leigos, quanto para profissionais da área de saúde e durante essa pandemia, muitas pessoas nos procuraram para citar a falta de sono. Por isso estamos aqui divulgando essa semana intensa e dizer que a relação do ronco até 18, 20 anos atrás não era tratado, as pessoas roncavam normalmente e associava-se com a obesidade. Hoje em dia, é um problema de cunho social, onde muitos parceiros nos procuram pois está existindo aquela dificuldade no sono, um está atrapalhando o outro e o ronco tem tratamento, pois isso é muito prejudicial para a saúde, podendo levar até a morte", frisou.

Foto: Maylla Nunes/Acorda Cidade

 Eliane salientou que a parceria da odontologia com a medicina do sono, tem gerado bons resultados com os tratamentos que são ofertados aos pacientes.

"O dentista do sono, mesmo tendo a formação dessa área, não tem a possibilidade de oferecer ao paciente um tratamento, sem antes ter passado por um médico do sono. Desta forma, é de grande valia essa parceria, pois é avaliada toda parte anatômica do paciente, se existe alguma amídala, um desvio séptico e que esteja interferindo na qualidade do sono, gerando também o ronco. Esse paciente precisa passar por um exame chamado polissonografia, onde ele vai dormir na clínica, realizando um mapeamento desse sono e a partir disso, é dado o diagnóstico. Dentre esses tratamentos, existe um aparelho móvel que é colocado sobre os dentes apenas durante o sono, com o objetivo de tratar a apneia seja leve ou moderada", explicou.

Tomar café espalha o sono?

De acordo com otorrinolaringologista Carolina, isso é comprovado cientificamente.

"A cafeína tira o sono e eu costumo dizer que a pessoa que não tem problema para dormir, pode ter um trio elétrico do lado e esta pessoa pode dormir. Mas quando um paciente tem problemas para ter esse sono, só deve ingerir cafeína no período da manhã. Livros falam que poderia até ingerir 4 ou 5 horas antes de dormir, oriento meus pacientes que só tomem um cafezinho de manhã porque quando se tem um gasto de energia, produzimos adenosina, uma substância que induz o sono e a cafeína compete com a adenosina, fazendo com que tire o sono", confirmou.

O uso da melatonina deve autorizado com orientação médica. Segundo Carolina Grinlfeld, o ser humano produz a própria melatonina durante a noite e por isso é necessário que se tenha um bom tempo de descanso.

"A melatonina é um hormônio do sono que nós produzimos, e isso é feito no escuro, então o organismo precisa de claridade durante o dia e escuridão durante a noite. No momento que ficamos por muito tempo em redes sociais, em telas, assistindo televisão, nosso organismo entende que ainda está claro e acaba não produzindo a quantidade suficiente. As pessoas precisam entender também que a melatonina deve ser usada somente com orientação médica, então não deve ser usado de forma corriqueira. Em alguns casos de insônia, a melatonina pode até ajudar, mas eu sempre indico que não façam o uso de nenhuma substância sem indicação médica, porque do mesmo jeito que pode trazer benefícios, pode apresentar algumas sequelas como sonolência no dia seguinte", explicou a médica.

Cochilo depois do almoço faz bem?

Segundo Carolina, o descanso é benéfico mas deve ser feito em curto espaço de tempo.

"Esse cochilo é benéfico, ele revigora, mas deve ser um cochilo curto de no máximo 30 minutos. Não pode ser aquele cochilo de uma, duas horas, porque essa pessoa pode acordar mais cansada ainda, acorda indisposta e o paciente não pode trocar o dia pela noite. Então depois do almoço, se essa pessoa tem o costume de tirar um cochilo, que esse cochilo seja breve, um cochilo curto", explicou.

Algumas pessoas ao acordarem pela manhã, reclamam que ainda continuam cansadas. De acordo com a otorrinolaringologista, é necessário que seja feito um exame para analisar se este paciente está tendo alterações durante a noite.

"Indicamos que esses pacientes possam fazer a polissonografia, um exame que avaliamos durante toda a noite se essa pessoas está tendo alguma alteração, distúrbios no sono, pode estar tendo alguma apneia que pode até levar paradas respiratórias e através desse exame, observamos os estágios do sono e verificamos essa sonolência diurna pois não é normal dormir durante a noite e acordar mais cansado", destacou.

Muitas pessoas antes de dormir, ficam deitadas conectadas as redes sociais, com o intuito de logo pegar no sono. Carolina observou que é necessário que deixe o sono chegar naturalmente.

"As pessoas hoje em dia não deixam mais o sono chegar, ficam presas as redes sociais, fazem o uso de forma extensa do celular na madrugada e querem que o sono chegue, mas isso não tem como. Devemos fazer nossa parte para que o sono chegue, temos que ter um horário fixo de dormir, horário fixo de acordar, procurar atividades relaxantes a noite e não ficar olhando notícias tristes, pois isso gera ansiedade e as pessoas mais ansiosas, ficam com insônias. Caso fique na cama e o sono não chegue, deve levantar, ir até a sala, ler alguma coisa com uma luz mais clara até que esse sono chegue. Até as pessoas que estão trabalhando de forma home office devem manter esse cuidado, como não ficar em ambiente escuro durante o dia, não ficar deitado na cama por muito tempo, é necessário acordar e logo levantar, se expor a luz solar, praticar atividades físicas pois é muito importante. Não adianta querer dormir e antes ficar nas redes sociais", enfatizou.

Para a cirurgiã dentista, Eliane Martins, o bruxismo está ligado a ansiedade e muitos pacientes estão indo ao consultório com fraturas na restauração.

"Existem vária causas para o bruxismos, como questão neurológica, medicamentos, genética, mas principalmente a ansiedade. Muitos pacientes estão nos procurando com fraturas na restauração, fratura dental, tem paciente até perdendo dente por conta da ansiedade. Esses pacientes precisam ser orientados a um encaminhamento para um profissional da área como um psicólogo e buscar uma alternativa como ioga, pilates, algo que desestresse, porque estamos vivendo em um período tenso. Muitos até perguntam, tendo bruxismo, pode tratar o ronco também? E eu digo que sim, o aparelho específico para o ronco que a odontologia pode contribuir, protege os dentes de futuros desgastes, temos o aparelho dental que é utilizado de forma diurna, mas aliado a isso, é preciso ter um controle para desestressar e respirar", concluiu.

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Fiocruz aponta estabilidade em casos de síndrome respiratória grave
Covid-19

Fiocruz aponta estabilidade em casos de síndrome respiratória grave

Infogripe destaca que nível estável estende-se por todas as idades

McDia Feliz ajudará Martagão a manter o programa de transplantes. Saiba como participar
Bahia

McDia Feliz ajudará Martagão a manter o programa de transplantes. Saiba como participar

Toda a renda obtida com a venda desse sanduíche será revertida, na Bahia, para a instituição filantrópica...

Pacientes retornam para casa sem realizar exames no Ceparh devido à superlotação
Feira de Santana

Pacientes retornam para casa sem realizar exames no Ceparh devido à superlotação

Cerca de 130 atendimentos estão sendo realizados por dia na unidade.

Vídeo

Com retorno 100% presencial, escolas e estudantes da rede estadual buscam se adaptar à nova realidade deixada pela pandemia Veja mais Vídeos ›

Ouça Agora

Programa desta terça-feira 19.10:
Mais áudios ›

Facebook

Instagram