Acorda Cidade - Dilton Coutinho

19 de Outubro de 2021
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Cultura

Todas as notícias
Publicado em 06/03/2021 15h14.

Sem trabalhar desde o início da pandemia, artistas pedem reabertura dos teatros em Feira de Santana

Os atores, que retiram da arte o seu sustento, tiveram que se reinventar para conseguir se manter.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Sem trabalhar desde o início da pandemia, artistas pedem reabertura dos teatros em Feira de Santana
Foto: Divulgação

Laiane Cruz

Há cerca de um ano, o ator Adriano Lima, de Feira de Santana, estrelava nos palcos do teatro mais uma de suas peças e arrancava com maestria gargalhadas e admiração do público. De lá para cá muita coisa mudou, diante da pandemia do novo coronavírus, desde março de 2020, fez com que as cortinas dos palcos se mantivessem fechadas e as poltronas completamente vazias, não só em Feira de Santana como em diversas cidades do país.

Os atores, que retiram da arte o seu sustento, tiveram que se reinventar para conseguir se manter. E assim como Adriano Lima, contam os dias e as horas para retornar aos palcos e continuar fazendo a alegria dos expectadores. De acordo com o artista, durante esse período a situação financeira da categoria ficou muito complicada. Ele defende a reabertura dos teatros o quanto antes possível.

“Há um ano eu estava em cartaz no teatro Sesc centro. Tive uma ajuda de custo, mas essa ‘esmola’ que o governo deu não dá pra manter ninguém. Eu sempre vivi do teatro, desde os 19 anos. Eu estreei o Graxeira Graças a Deus, que vai fazer 28 anos, mas infelizmente um dos nossos atores morreu, a gente deu um tempo e iríamos retornar no ano passado. Mas vou retornar esse ano. Basta reabrir os teatros”, diz.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Ele relembrou o grande sucesso que o espetáculo ‘Graxeiras, graças a Deus’ obteve nos palcos da cidade e de todo o Brasil, como também em outros países.

“Eu atuava em Feira, Salvador, Rio de Janeiro, o espetáculo fez sucesso no país inteiro e fora também, como Portugal, Venezuela; ganhamos festivais de melhor ator, melhor ator coadjuvante. São 28 anos de muita história e levando o nome de Feira de Santana. Então eu acredito que devem valorizar mais o teatro, os espetáculos que são daqui. Feira de Santana deve ter um pouco mais de carinho com o teatro, aqui tem muita gente boa. Tem muito ator bom, muita produção e espetáculos bons. Espero que o prefeito libere o teatro. No Rio de Janeiro já está liberado, tem amigos meus já trabalhando. Em Salvador já está liberado”, observou o artista.

Adriano Lima acredita que a retomada do teatro deve ocorrer, liberando a entrada de até 200 pessoas nos teatros. Segundo ele, os espetáculos duram no máximo 1 hora e meia e não haverá necessidade dos expectadores retirarem as máscaras.

“Que libere com 200 pessoas. Não acredito que não possam liberar, porque a partir do momento que já tem ônibus liberado, que é um lugar onde aglomera muito, avião, ônibus daqui pra Salvador, então só no teatro que pega a Covid? O teatro é uma hora e meia no máximo. Acredito que já é hora de liberar, pois a gente precisa trabalhar. Não tem como o governo ficar mantendo a gente, o dinheiro que eles mandam é muito pouco e já acabou, inclusive, o auxílio emergencial. A Lei Aldir Blanc também ajudou, mas não é uma coisa pra se ficar mais seis meses sem trabalhar”, destacou

Ele ressaltou que também sente muita falta do público e fazer lives não trazem resultado. “Os patrocinadores querem gente que dê retorno pra eles e a gente ainda não dá, porque também falta incentivo aqui na base. O secretário de cultura, eu acho que é sensível à arte, então peço a ele que abra o teatro, bote no máximo 200 pessoas com todo o protocolo. Os ingressos podem ser vendidos pela internet, então tudo caminha pra que a gente possa abrir”.

Protocolos

Também em entrevista ao Acorda Cidade, o secretário municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Jairo Filho, informou que desde janeiro vem tratando com a equipe da secretaria junto ao gabinete do prefeito a retomada das atividades do teatro e da dança.

“Sabemos que vivemos um dia de cada vez nesse momento de pandemia, aonde as últimas notícias que nós temos não são boas. A vacinação já começou, mas está num ritmo muito lento. Estamos dependendo das vacinas do Governo Federal. Estamos acompanhando as notícias no estado da Bahia e o quanto está lenta a questão da vacinação em todo o país. Paralelo a isso, temos as últimas informações com relação à grande preocupação dos leitos dos hospitais do nosso município, tanto de UTI quanto de enfermaria. Isso é preocupante, a população tem que estar atenta cada vez mais aos cuidados”, salientou o secretário.

Ele avalia que toda retomada de atividades traz algum tipo de aglomeração, mesmo com protocolos, distanciamento e todos os cuidados. Acredita também que a questão depende de como a população está se comportando perante a pandemia.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

“Nós estamos nos preparando, analisando protocolos pra retomada do teatro, da dança, e isso como ocorre em outras atividades econômicas e culturais, mas acima de tudo estamos muito preocupados com esse momento que nos encontramos. Nós temos o teatro Margarida Ribeiro, o Maestro Miro, temos os teatros da CDL, do Sesi, Sest-Senat, então temos dezenas de espaços culturais que estão precisando retomar. Não apenas os teatros fechados, mas também os espaços abertos, que nós podemos realizar atividades, como o ‘Teatro Vai aos Bairros’. Mas pra que isso ocorra, é importante que tenhamos todos os cuidados e a população se conscientize cada vez mais. Vivemos uma semana de Carnaval, que não é feriado, mas muitas pessoas foram à praia, a cidades próximas, mas não estão tomando os devidos cuidados e com isso retornam pra Feira de Santana e com isso contaminam parentes, familiares e colegas de trabalho”, declarou Jairo Filho.

Lei Aldir Blanc

Ainda conforme o secretário de Cultura, Jairo Filho, o benefício da Lei Aldir Blanc, que foi de aproximadamente 4 milhões de reais, já foi pago a 90% dos contemplados.

“Temos menos de 20 processos referentes àqueles proponentes que tiveram algum problema com suas próprias contas bancárias. Esses já foram solucionados. Os restos a pagar estarão sendo pagos agora em fevereiro e com isso concluiremos a Lei Aldir Blanc em Feira de Santana”, concluiu.

Com informações do repórter Ed Santos do Acorda Cidade 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Cuca prorroga até esta terça (19) inscrições para workshops
Cursos gratuitos

Cuca prorroga até esta terça (19) inscrições para workshops

As inscrições são gratuitas.

CD Samba na Rede valoriza o samba rural de Feira de Santana
Feira de Santana

CD Samba na Rede valoriza o samba rural de Feira de Santana

O CD traz a participação de cantores e sambadores de localidades como Matinha e São José.

Maria Bethânia é eleita nova imortal da Academia de Letras da Bahia
Bahia

Maria Bethânia é eleita nova imortal da Academia de Letras da Bahia

Cantora baiana de 75 anos vai ocupar a Cadeira 18, que era ocupada pelo historiador e professor Waldir Freitas...

Vídeo

Princípio de incêndio atinge distribuidora de produtos automotivos na Rua Cristóvão Barreto Veja mais Vídeos ›

Ouça Agora

Programa desta terça-feira 19.10:
Mais áudios ›

Facebook

Instagram