Acorda Cidade - Dilton Coutinho

17 de Setembro de 2021
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Viagens

Todas as notícias
Publicado em 14/11/2020 08h57.

Com retorno às atividades, turismo na Chapada Diamantina segue protocolos de biossegurança

Os protocolos contemplam os segmentos de hospedagem, alimentação, agências de receptivo, atrativos e transportes turísticos, acampamentos e guias/condutores
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Com retorno às atividades, turismo na Chapada Diamantina segue protocolos de biossegurança
Foto: Rita Barreto/Satur BA

Acorda Cidade

Turistas em viagem à Chapada Diamantina encontram serviços adaptados à realidade atual da pandemia da Covid-19. Os municípios de Lençóis e Mucugê foram os primeiros da região a retomar as atividades, com empreendimentos seguindo protocolos de biossegurança construídos pelas lideranças locais, com a colaboração das secretarias de Turismo (Setur) e da Saúde (Sesab) da Bahia.

Os protocolos contemplam os segmentos de hospedagem, alimentação, agências de receptivo, atrativos e transportes turísticos, acampamentos e guias/condutores e foram elaborados de forma a abranger os vários segmentos do turismo na Chapada Diamantina.

No coração da Bahia, a zona turística é um dos principais destinos do estado e tem se tornado ainda mais especial neste momento por proporcionar ricas experiências ao ar livre, em contato com a natureza, evitando aglomerações. Há também diversos atrativos históricos, culturais e gastronômicos. 

“As pessoas voltaram a viajar após meses de isolamento social. Mais do que nunca, agora é preciso oferecer segurança. A Chapada é um dos lugares mais propícios para visitar em contato com a natureza, seguindo recomendações das entidades de saúde e turismo”, explica o chefe de Gabinete da Setur, Benedito Braga. 

Retomada 

Ao todo, 34 municípios turísticos integram a região. Os primeiros a se adequar aos novos protocolos foram Lençóis e Mucugê. Os feriados prolongados de Nossa Senhora Aparecida (12 de outubro) e Finados (2 de novembro) funcionaram como termômetro para o turismo nos municípios. No caso de Lençóis, de acordo com informações da Secretaria Municipal de Turismo, os dois feriadões atraíram turistas que ocuparam 60% dos leitos disponíveis - 50% da rede hoteleira, no momento. 

Já em Mucugê, o feriado de 12 de outubro teve 100% de ocupação dos leitos disponibilizados. Com a abertura total dos meios de hospedagem no município, no último feriado, as pousadas registraram índices de 40% a 100%, segundo o Conselho Municipal de Turismo (Comtur). 

Outros municípios estão se adaptando para a retomada gradativa das atividades de forma a garantir a segurança de turistas e população local, fazendo ajustes e fiscalizações para a liberação do turismo. Um exemplo é Palmeiras, onde está localizado o Vale do Capão, que tem feito vistorias nos empreendimentos e prevê reabertura no próximo dia 20 de novembro. 

Para Sérgio Magalhães, proprietário da pousada Café Preto, no centro de Mucugê, por exemplo, a retomada do turismo tem sido positiva. “Temos recebido famílias e no feriado de 2 de novembro tivemos 100% de ocupação”, explica o empresário que já tem reservas para o Réveillon e feriado de Carnaval. O empreendimento buscou atender aos critérios para receber as certificações Ministério do Turismo e da Prefeitura de Mucugê, além de cumprir os protocolos elaborados para a Chapada Diamantina. 

O meio de hospedagem passou por adaptações desde a demarcação de espaços, disponibilização de álcool gel e cumprimento de prazo mínimo de 24 horas para ocupação dos quartos por outros hóspedes, até uma nova forma de oferecer o café da manhã: “Testamos algumas alternativas e a que o nosso público mais se adaptou foi a escolha dos itens no salão e recebimento dos alimentos em cada mesa”.

 

Diferenciais

Os protocolos desenvolvidos para a Chapada Diamantina contam com uma série de diferenciais, tendo em vista as especificidades de cada atividade. As práticas aquáticas, cicloturismo, observação da vida silvestre, rapel e espeleoturismo (visitação a cavernas), por exemplo, implicam em cuidados especiais como o não compartilhamento de máquinas fotográficas, uso de cajados para apoio durante caminhadas e escaladas, produtos especiais para desinfecção de objetos como binóculos e limpeza de utensílios alugados. As orientações incluem ainda cuidados para o contato com as comunidades tradicionais, a fim de evitar o aumento da disseminação do novo coronavírus.

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Itamaraty divulga países que flexibilizaram a entrada de brasileiros
Pandemia

Itamaraty divulga países que flexibilizaram a entrada de brasileiros

Levantamento é divulgado no site do ministério

Turismo reaquece no Norte e Nordeste com avanço da vacinação
Brasil

Turismo reaquece no Norte e Nordeste com avanço da vacinação

Seja para fugir do frio ou aproveitar belíssimas paisagens naturais, turistas têm viajado mais e proporciona...

Rota dos cruzeiros de verão pode ganhar três novos destinos baianos
Turismo

Rota dos cruzeiros de verão pode ganhar três novos destinos baianos

As regiões selecionadas possuem píeres adequados para as operações dos navios, mas são necessárias outra...

Vídeo

Moradores do povoado Santa Quitéria realizam protesto contra construção de muro de condomínio Veja mais Vídeos ›

Ouça Agora

Programa desta sexta-feira 17.09:
Mais áudios ›

Facebook

Instagram