Acorda Cidade - Dilton Coutinho

24 de Julho de 2021
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Viagens

Todas as notícias
Publicado em 31/07/2020 16h28.

As viagens serão muito mais baratas após a pandemia?

Entenda o que influenciará o valor das passagens aéreas após o fim da pandemia.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
As viagens serão muito mais baratas após a pandemia?
Foto: Divulgação

Acorda Cidade

O turismo é um dos setores mais afetados pela pandemia do novo coronavírus. A fim de ter um faturamento mínimo durante a crise, atualmente, as companhias aéreas estão oferecendo promoções de passagens tentadoras.

Uma passagem para São Paulo, saindo de Vitória, por exemplo, pode ser encontrada por menos de R$ 150. No entanto, futuramente, essa baixa nos preços pode ser invertida.

Cenário atual

A companhia aérea Delta Air Lines bloqueou as poltronas da fileira do meio de suas aeronaves e limitou as cargas do voo devido ao distanciamento social. Dessa forma, somente 50% a 60% dos assentos disponíveis podem ser reservados. Outras empresas do setor, como Japan Airlines, Wizz Air, Emirates, American Airlines e United, adotaram estratégias de controle similares a estas.

Além disso, Estados Unidos, China, Alemanha e demais países que iniciaram a flexibilização da quarentena estão aderindo a medidas rigorosas de limpeza e restrições relacionadas aos serviços de bordo.

O Brasil já tem acompanhado algumas dessas medidas importantes. Os aviões da Gol e da Latam têm um sistema de recirculação de ar, que faz com que o oxigênio da aeronave seja renovado a cada três minutos. Os filtros utilizados são os HEPA (High Efficiency Particulate Air), que eliminam até 99,97% de todas as partículas.

Tendências futuras

Caso o bloqueio das poltronas da fileira do meio ou a limitação em relação ao número de passageiros a bordo continue sendo uma tendência no futuro, as companhias aéreas serão obrigadas a aumentar os valores das passagens para que seja possível repor o dinheiro perdido com os assentos que ficarão vagos. A tendência seguirá sendo a alta no custo das passagens a longo prazo.

Um exemplo que pode ser dado para explicar essa situação é a tragédia do atentado do 11 de setembro: de acordo com um levantamento realizado pela Dollar Flight Club, site que emite alertas sobre bilhetes aéreos, os valores tiveram uma redução de 18% em 2001, no entanto, posteriormente, em 2003, cresceram 25%. Além disso, o portal indica que o valor dos voos poderá ter uma redução de até 35% em 2021, mas, por outro lado, estará até 27% mais alto nos próximos 5 anos.

Ainda que haja especialistas prevendo que as companhias aéreas praticarão tarifas mais baratas a fim de tentar atrair os passageiros, a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) emitiu um comunicado, estimando que o valor das passagens ficará até 54% mais caro em algumas localidades.

O motivo são as medidas de distanciamento social ― que resultam num menor número de poltronas disponíveis para a compra. Segundo a IATA, a redução da capacidade da carga máxima das aeronaves, gerada pelas atitudes preventivas, será de 62%.

O professor Jorge Leal Medeiros, da Universidade de São Paulo (USP), crê que o aumento no valor das passagens de companhias aéreas brasileiras não será tão evidente, devido ao risco de inviabilização total dos voos.

“O que deve ocorrer no Brasil é o surgimento de novas empresas aéreas de baixo custo, como era a Webjet e a Gol no seu início, que consigam voar com despesas reduzidas e sem cobrar tão caro pelas passagens”, prevê Jorge.

No entanto, o fato é que as passagens aéreas seguirão respondendo à questão da oferta e da demanda. Contudo, o aumento das vendas, gerado pelas promoções durante a crise, ou a obrigação de dar continuidade ao distanciamento social dentro das aeronaves estão agindo, ao menos, provisoriamente, como forças objetivadas a impulsionar os valores, respectivamente, para baixo ou para cima.
 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Azul inicia operação de voos comerciais para Ilha de Comandatuba, na Bahia
Turismo

Azul inicia operação de voos comerciais para Ilha de Comandatuba, na Bahia

O vice-governador da Bahia, João Leão, e o secretário de Turismo do Estado, Maurício Bacelar, particip...

Saiba quais são os países que recebem brasileiros vacinados para turismo
Vacina Covid-19

Saiba quais são os países que recebem brasileiros vacinados para turismo

Confira lista atualizada de países que recebem brasileiros

Retomada de voos para a Bahia aumenta com temporada de férias
Bahia

Retomada de voos para a Bahia aumenta com temporada de férias

Além disso, novas rotas serão inauguradas este mês de junho, tendo como destino as cidades de Mucugê, na C...

Vídeo

População reclama de falta de abrigo para chuvas em filas de vacinas Veja mais Vídeos ›

Ouça Agora

Programa desta sexta-feira 23.07:
Mais áudios ›

Facebook

Instagram