Acorda Cidade - Dilton Coutinho

21 de Setembro de 2020
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Educação

Todas as notícias
Publicado em 13/07/2020 15h08.

Professores incentivam leitura de clássicos da Literatura essenciais para o Enem

Por meio das redes sociais (Instagram e Facebook) e do Google Classroom, os educadores dialogam sobre leituras essenciais e dão dicas de livros, incluindo os exigidos nas provas do Exame do Ensino Médio (Enem).
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Professores incentivam leitura de clássicos da Literatura essenciais para o Enem
Foto: Divulgação

Acorda Cidade

Em tempos de pandemia do novo Coronavírus, que induziu o isolamento social por conta do seu alto contágio, professores e gestores da rede estadual vêm criando, voluntariamente, desde quando as aulas tiveram que ser suspensas, em março, alternativas pedagógicas para incentivar os estudantes à leitura, visando mantê-los ativos no seu processo de aprendizagem. Por meio das redes sociais (Instagram e Facebook) e do Google Classroom, os educadores dialogam sobre leituras essenciais e dão dicas de livros, incluindo os exigidos nas provas do Exame do Ensino Médio (Enem).

Com a impossibilidade de realizar, este ano, a tradicional Festa Literária do Colégio Estadual Rotary, gestores e professores da unidade escolar, situada no bairro de Itapuã, em Salvador, optaram pela produção do e-book “Poesias em tempos de pandemia”. “A ideia do e-book surge como uma oportunidade para refletirmos sobre este momento histórico tão difícil em todo o mundo, com questões sociais que, abruptamente, emergiram em nossa sociedade, e abrirmos um espaço para os estudantes exporem suas emoções através da arte poética”, ressaltou o diretor Erweuter Volkart. No final de março, recorda o gestor, foi criada a ação virtual “Espalhe poesia e não pandemia”, por meio da qual os estudantes recebiam dicas de leituras e produziam textos a partir desses focos de inspiração.

Dentre as dicas de leitura destacam-se “A revolução dos bichos”, de George Orwell, escrito durante a II Guerra Mundial, que retrata um movimento de revolta dos animais de uma fazenda contra seus donos e ao próprio sistema no qual estão inseridos. “A obra é uma crítica ferrenha aos governos extremistas e às formas de dominação e poder que atingiram a sociedade daquela época, mas que ainda continuam muito atuais”, comparou Erweuter. O educador cita, também, “Mulheres que correm com lobos”, de Clarissa Pinkolas Estés, “que convida o leitor a refletir, de maneira suave e bastante lúdica, sobre como os arquétipos femininos, formados a partir de lendas e da imposição de uma sociedade patriarcal, ocupam lugares de relevância no nosso cotidiano, ainda que não demos conta disso”.

A professora Denise Dias de Carvalho Sousa, de Língua Portuguesa e Redação do Centro Territorial de Educação Profissional (CETEP) em Gestão e Negócios Professora Felicidade de Jesus Magalhães, localizado no município de Jacobina, conta que, atualmente, está trabalhando a XVII Gincana de Leitura com os estudantes dos cursos técnicos de Administração e de Informática, a partir da leitura de obras literárias. “Já passamos pela primeira tarefa, intitulada Youtuber Literário, com a produção de um vídeo para divulgar os livros lidos no Youtube, compartilhando, assim, os saberes e os sabores das obras. Temos outras tarefas, como a Fanfiction, que corresponde à criação de produções textuais colaborativas, no espaço digital Spirit Fanfics, e a Literaturando,que tem o objetivo de desenvolver competências de leitura e escrita exigidas no âmbito da Língua Portuguesa, da literatura e da redação no Enem e vestibulares, a partir do Google Formulário”.

A educadora oferece dicas de leituras para dar suporte às tarefas da gincana. Para quem pretende realizar o vestibular da Universidade Estadual da Bahia (Uneb), por exemplo, ela sugere as leituras de “Além de estar”, de Helena Parente Cunha; “A morte e a morte de Quincas Berro d'Água” e “Tenda dos Milagres”, ambas de Jorge Amado; “Essa terra”, de Antônio Torres; “O desterro dos mortos”, de Aleilton Fonseca; e “O Largo da Palma”, de Adonias Filho”. “Essas leituras servirão, também, para o Enem e, sendo assim, acrescento “Memórias póstumas de Brás Cubas” e “Dom Casmurro”, de Machado de Assis; “Estrela da vida inteira”, de Manuel Bandeira, e “Alguma poesia” e “Poesia completa”, de Carlos Drummond. E para o momento atual, de situações adversas criadas por questões políticas, recomendo a leitura de alguns clássicos,tais como “Ensaio sobre a cegueira”, de José Saramago; “1984”, de George Orwell; e “Fahrenheit 451”, de Ray Bradbury”, enumerou.

O professor de Língua Portuguesa, Literatura e Sociologia, Marcos Bispo, do Colégio Estadual Félix Mendonça, em Itabuna, também tem procurado manter o incentivo à leitura entre os estudantes e, como primeira sugestão, ele indica o clássico “Os sertões”, de Euclides da Cunha. “Porque esta obra define a identidade do povo brasileiro. Traz o contraste do Brasil oficial e o Brasil real, como dizia Machado de Assis. O Brasil oficial que vem cheio de preconceitos e desconhecimentos para Canudos, no norte da Bahia, e lá encontra o Brasil real de Antonio Conselheiro, do povo sertanejo que, como bem disse Euclides, antes de tudo é um forte. Ali, século XIX, a gente já percebe claramente o contraste dos dois Brasis”, justifica.

Outra dica do professor Marcos é o romance “Triste fim de Policarpo Quaresma”, de Lima Barreto. “Ele foi um escritor negro, incompreendido, algumas vezes internado em sanatórios e que só foi descoberto como gênio após a sua morte. Através do protagonista, ele revela alguém que luta para firmar uma identidade brasileira diferente da que estava sendo imposta pela colonização europeia. Luta, inclusive, para permanecer a língua indígena como língua materna do povo que nasceu aqui. Policarpo mostra como o Brasil foi injusto com seus povos nativos”. Uma terceira dica, sugere, é “Macunaína”, de Mário de Andrade. “O autor traz toda a ironia dos modernistas da Semana de Arte Moderna e a figura do anti-herói que consegue se desvencilhar do padrão europeu e consegue sobreviver graças à sua criatividade e brasilidade”, avalia.

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Inspiração: idosa supera limites e conquista diploma aos 69 anos
Educação

Inspiração: idosa supera limites e conquista diploma aos 69 anos

Por conta da pandemia, formatura foi a distancia

Crianças celebram 187 anos de Feira de Santana em coral virtual
Aniversário da cidade

Crianças celebram 187 anos de Feira de Santana em coral virtual

Mais de 100 estudantes participaram do coral virtual no qual cantam o hino à cidade

Ministério da Saúde dá orientações para retomada das aulas
Brasil

Ministério da Saúde dá orientações para retomada das aulas

Na maioria dos estados, as aulas estão suspensas desde março

Vídeo

Força-tarefa remove cerca de 30 barracas nesta quinta-feira (17) em Feira de Santana Veja mais Vídeos ›

Facebook

Instagram