Acorda Cidade - Dilton Coutinho

05 de Junho de 2020
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Política

Todas as notícias
Publicado em 11/05/2020 15h57.

'Caixa do estado está na UTI, funcionando com respirador', afirma Rui Costa

Segundo o governador, ele não pode garantir que o Estado conseguirá pagar o salário dos servidores a partir de julho.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
'Caixa do estado está na UTI, funcionando com respirador', afirma Rui Costa
Foto: Fernando Vivas/GOVBA

Orisa Gomes

A crise econômica desencadeada pela pandemia do coronavírus atingiu também o orçamento do governo da Bahia e há o risco de comprometer até mesmo o salário dos servidores públicos, a partir de julho deste ano. Ao ser questionando sobre a situação do caixa do Estado durante entrevista para a Rede Baiana de Rádio (RBR) e Rede de Rádio Comunicação (RRC) nesta segunda-feira (11), o governador Rui Costa disparou: “Está na UTI, funcionando com respirador”.

Segundo Rui, a situação é dramática para estados e municípios em todo o mundo, diferente das nações que têm reservas e possibilidades financeiras infinitamente mais flexíveis. “O Estado não imprime dinheiro, o município não imprime dinheiro, não tem reservas financeiras. Só quem possui essas reservas e outras possibilidades de recursos é a União, em qualquer lugar do mundo, não só do Brasil. A União tem apoiado os municípios e os estados para sobreviver nesse momento, porque a arrecadação do Estado é uma função direta para o consumo: se o consumo despencou, despenca a arrecadação”, explicou.

O socorro emergencial aprovado pelo Senado - que cria o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus. para prestar auxílio financeiro de até R$ 125 bilhões a estados, Distrito Federal e municípios -  é, segundo o governador, o que vai possibilitar a manutenção dos serviços básicos, principalmente nas áreas de saúde, segurança e educação. O projeto ainda precisa ser sancionado pelo presidente da República Jair Bolsonaro, para que os recursos cheguem. 

Pagamento dos servidores

Diante da imprevisibilidade do cenário de enfrentamento ao coronavírus, o governador alerta, inclusive, os servidores públicos do estado para não se endividarem, já que há risco de o Estado não conseguir pagar os salários a partir de julho. Rui ressaltou que o assunto foi polemizado há cerca de duas semana, após ter sido questionado por um jornalista sobre a possibilidade e responder que sim. “Eu não posso responder o contrário. Toda vez que o governador fala, significa que tem milhares de pessoas ouvindo, servidores, empresários e as pessoas precisam se programar. Eu disse claramente: 'Não façam novas dívidas que comprometam a sua capacidade de pagamento, porque não sabemos o que pode acontecer'", reforçou.

Se a pergunta for refente ao pagamento dos meses de maio e junho, Rui afirma que estão garantidos, quanto aos seguintes não pode dizer o mesmo. "Eu não sei como vai se comportar a economia. Se eu respondesse o contrário: 'Não, fiquem tranquilos, não tem mínima possibilidade de atraso até dezembro desse ano', o cabra vai lá e enfia o pé na jaca, faz novas compras e depois vai me acusar", cogitou.

O governador ressaltou, entretanto, que vai trabalhar para que não haja “nenhuma intercorrência”, mas vai seguir mantendo “esse padrão de sinceridade com a população”. “Estou recomendando que não aumente o nível de endividamento, para que a gente consiga passar essa tempestade que é a maior, sem dúvida, que a humanidade já passou nos últimos 100 anos”, concluiu. 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Senado aprova uso obrigatório de máscaras em todo país
Política

Senado aprova uso obrigatório de máscaras em todo país

Projeto de lei volta à Câmara para nova apreciação

Bolsonaro confirma mais duas parcelas do auxílio emergencial
Brasil

Bolsonaro confirma mais duas parcelas do auxílio emergencial

Valor será menor do que os atuais R$ 600

Senado aprova auxílio de até R$ 160 milhões para asilos
Política

Senado aprova auxílio de até R$ 160 milhões para asilos

Projeto vai à sanção presidencial

Vídeo

Manifestantes protestam contra o fechamento do comércio em frente a Hospital de Campanha e pedem informações sobre obra Veja mais Vídeos ›

Facebook

Instagram