Acorda Cidade - Dilton Coutinho

30 de Maio de 2020
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Dom Itamar Vian

Todas as notícias
Publicado em 30/03/2020 14h32.

O Viajante Divino

Um viajante passou por ali, olhou o homem no fundo do poço e exortou-o para que fizesse boas obras, que meditasse, quem sabe, algum ser divino poderia salvá-lo. Ele continuou seu caminho.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra

Um homem caiu num poço muito fundo. Depois de algumas tentativas convenceu-se que não conseguiria sair dali com seu próprio esforço. Um viajante passou por ali, olhou o homem no fundo do poço e exortou-o para que fizesse boas obras, que meditasse, quem sabe, algum ser divino poderia salvá-lo. Ele continuou seu caminho.

UM outro viajante disse ao caído que tudo era ilusão, que o poço não existia. Ele continuou o seu caminho, mas o poço era real e real a situação de desgraça. Mais um peregrino olhou para o poço e pediu que ele aceitasse o sofrimento, assim estaria se purificando. E o caído continuou no poço. E com uma certeza: ele não poderia salvar-se sozinho.

UM OUTRO peregrino se aproximou. Era um peregrino diferente e pediu ao caído se ele queria ser salvo. Já sem forças, o caído fez um débil sinal, positivo. Então aquele homem desceu ao fundo do poço, tomou o caído nos braços e com o auxílio de cordas livrou da morte aquele homem. Levou-o a salvação.

NÃO SE TRATA de uma lenda, mas de uma história real. A humanidade caiu num abismo intransponível. Teólogos e religiosos de todo tipo tentaram explicações ou deram piedosos e inúteis conselhos. E o homem continuava com sua dor, seu abandono. Ele fortalecia seu fatalismo: assim era e assim seria para sempre. Um dia, um viajante divino, Jesus Cristo, passou pelo caminho dos homens. Ele desceu ao fundo do poço e devolveu ao homem a vida, a liberdade, a alegria e a paz.

JESUS nos revelou o rosto do Pai, o rosto do perdão e da misericórdia. E esse perdão foi tão exigente em Jesus que aceitou morrer por nós. Ele não nos salvou uma única vez, mas nos salva todos os dias. Seu amor jamais volta atrás. Esse amor é, aparentemente, contraditório e ilógico. Ele ama os que não merecem o abraço, escolhe os que não merecem ser escolhidos.

JESUS NÃO nos pergunta o que fizemos, mas o que gostaríamos de fazer, não nos pergunta de onde viemos, mas para onde caminhamos. É ele quem acolhe o filho pródigo e lhe devolve a herança, é ele quem busca a ovelha perdida e a carrega no colo. Seu amor é cheio de futuro. Ele nos garante que a vida pode começar agora. Permite que refaçamos hoje nossas escolhas. Ele permite que o ladrão arrependido salte da cruz ao paraíso

Dom Itamar Vian
Arcebispo Emérito
[email protected]
 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Artigo

Por que Deus permite?

O silêncio de Deus nos incomoda, nos assusta. Ele permite as conseqüências das ações do próprio homem.

Crônica

O Pai Nosso

Cinco são os pedidos da oração do Pai Nosso apresentado pelo Evangelista Lucas.

Artigo

A mãe manda em Deus

Celebra-se o Dia das Mães como forma de expressar todo o carinho para com aquela que gera e multiplica a vida...

Vídeo

Manifestantes protestam contra o fechamento do comércio em frente a Hospital de Campanha e pedem informações sobre obra Veja mais Vídeos ›

Facebook

Instagram