Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • SECOM CLERISTON
  • Thaiane Pinheiro
30 de Março de 2020
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Dilton e Feito

Todas as notícias
Publicado em 17/02/2020 15h37.

Governador não é gestor de operação. Não estudei pra isso, diz Rui sobre morte de miliciano

A afirmação foi dada dois dias após o petista trocar acusações com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que culpa a PM da Bahia por uma suposta execução do miliciano Adriano da Nóbrega.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Governador não é gestor de operação. Não estudei pra isso, diz Rui sobre morte de miliciano
Foto: Rodrigo Aguiar / Bahia.ba

O governador Rui Costa (PT) disse na manhã desta segunda-feira (17) que não responde pela gestão de ocorrências policiais, função para a qual diz não ter “estudado”. A afirmação foi dada dois dias após o petista trocar acusações com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que culpa a PM da Bahia por uma suposta execução do miliciano Adriano da Nóbrega, no último dia 9, no município de Esplanada (a 170 km de Salvador). Segundo versão oficial, o ex-capitão do Bope morreu ao reagir a uma operação realizada pelas policias do Rio e da Bahia. “Durante todos os dias posteriores ao evento, à ocorrência, eu procurei restringir essa temática a uma operação policial, uma operação que envolve o Ministério Público. O governador não é gestor de operações policiais nem gestor de ocorrências com criminosos e marginais. Eu não estudei pra isso. Quem estudou e foram treinados são os policiais”, disse Rui Costa, em conversa com jornalistas no Hotel Fiesta, em evento de lançamento da Operação Carnaval da Secretária da Segurança Pública. O governador voltou a defender a atuação das forças de segurança baianas, já que, em sua avaliação, estavam diante de um fugitivo disposto a revidar a ação. “Eles agiram dentro da lei. Qualquer cidadão que não tem nada a temer faria? Iria se apresentar. O que ele estava fazendo seguidamente era fugir da ordem policial. Fugiu da primeira vez e tentou fugir da segunda, desferindo tiros contra os policiais.” Sobre sua reação à fala de Bolsonaro, afirmou que não se calará. “Eu não me calarei quando a Bahia for agredida. Quando os baianos foram agredidos independente de quem estar agredindo aos baianos. Minha manifestação foi sair em defesa da Bahia e em defesa do baiano. ¨Toda e em qualquer vez que a Bahia for agredida, eu sairei em defesa”, disse. “Espero que o presidente da República possa dedicar seu tempo a cuidar do desemprego, a cuidar do aumento da pobreza. Voltou a crescer o número de pobres. De parar de tirar Bolsa Família do Nordeste. O país está ficando mais pobre, mais desigual”, acrescentou o governador. As informações são do bahia.ba. 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Prefeitura de Salvador e governo do estado mantêm obras durante pandemia da Covid-19
Política

Prefeitura de Salvador e governo do estado mantêm obras durante pandemia da Covid-19

Em nota, a Superintendência de Obras Públicas (Sucop) da prefeitura de Salvador informou que todas as obras ...

Lídice diz que 'ainda não é momento' para pensar em adiamento das eleições
Política

Lídice diz que 'ainda não é momento' para pensar em adiamento das eleições

Para a ex-prefeita da capital baiana, é hora de “concentrar” os esforços nas medidas e ações de combate ...

Vídeo

Prefeito Colbert Martins confirma prorrogação de fechamento do comércio Veja mais Vídeos ›

Podcast

Ouça o Programa desta segunda-feira 30.03:
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram