Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • SECOM
  • SECOM
26 de Fevereiro de 2020
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Saúde

Todas as notícias
Publicado em 17/01/2020 16h32.

Idosa de 93 anos é cortada ao tirar gesso em hospital do Rio: 'Levei 18 pontos'

Alda Waltz reclamou de dor, mas técnico de imobilização ignorou e teria dito que ela estava sentindo 'o gelado da tesoura'. Unidade está investigando o caso.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Idosa de 93 anos é cortada ao tirar gesso em hospital do Rio: 'Levei 18 pontos'
Foto: Arquivo pessoal

Acorda Cidade

Uma idosa de 93 anos foi ao Hospital Rocha Faria retirar o gesso de uma fratura no punho e acabou tendo o braço cortado cortado pela tesoura do técnico de imobilização. Ela precisou levar 18 pontos no local.

Segundo a família, Alda Waltz Lisboa ficou com um corte no braço de 20cm. O caso ocorreu na última quarta-feira na unidade que fica em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio.

"O cara meteu a tesoura, começou a machucar, eu falei pra ele que estava doendo e ele: 'Ah, mas já está no final'. Acabou de cortar, quando eu levantei, estava sangrando um pouco e ralhou um talho que eu levei 18 pontos", diz Alda.

O hospital informou que está investigando o caso e que o funcionário foi afastado. Ainda segundo a unidade, uma enfermeira e uma assistente social estão prestando apoio à idosa em sua casa.

Alda vai passar por um exame de corpo de delito nesta sexta (17). Thaisa Waltz, sobrinha-neta da paciente, acompanhava a parente e tentou acalmá-la.

"Ela chorou bastante, ficou bastante nervosa. Eu mantive a calma pela situação dela, porque ela não enxerga direito. Só sentiu a dor e estava muito nervosa. Fiquei calma pra tentar reverter a situação".

Técnico disse que idosa sentia 'o gelado da tesoura'

A tia-avó, diz Thaisa, reclamou de dor mas foi ignorada pelo técnico de imobilização.

"Quando ele começou a botar a tesoura na mão dela, ela reclamou que estava sendo cortada e ele não parou. Foi tudo muito rápido, não durou nem um minuto. Ele cortando falou que era impossível estar cortando a pele dela porque a tesoura não tinha ponta. E quando chegou mais em cima (do braço) ainda mexeu a tesoura dentro do gesso e falou que o que ela estava sentindo era o gelado da tesoura".

Ao ver o sangue, o funcionário ainda teria tentado reverter a situação. A idosa só recebeu os pontos depois que um médico foi chamado.

"Quando (o técnico de imobilização) abriu o gesso, viu a quantidade de sangue e tentou reverter a situação: falou que era um corte superficial e já começou a fazer outro curativo", relata.

Fonte: G1

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Veja as dicas da OMS para se proteger do novo coronavírus
Saúde

Veja as dicas da OMS para se proteger do novo coronavírus

Ações básicas podem evitar contágio e propagação do novo coronavírus.

Que produtos de limpeza matam o coronavírus?
Saúde

Que produtos de limpeza matam o coronavírus?

Novo vírus que causa o Covid-19 é facilmente morto por produtos desinfetantes, como álcool e água sanitár...

Secretário de Saúde descarta caso suspeito de coronavírus em bebê internado em Itabuna
Bahia

Secretário de Saúde descarta caso suspeito de coronavírus em bebê internado em Itabuna

Fábio Vilas-Boas, usou o Twitter para divulgar a informação.

Vídeo

Funcionários terceirizados do Fórum Filinto Bastos paralisam as atividades Veja mais Vídeos ›

Podcast

Ouça o Programa desta sexta-feira 21.02:
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram