Acorda Cidade - Dilton Coutinho

10 de Agosto de 2020
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Dilton e Feito

Todas as notícias
Publicado em 14/01/2020 18h28.

Justiça do RJ absolve Eduardo Paes em ação de improbidade administrativa

Além do ex-prefeito do Rio, estavam entre os acusados o ex-subsecretário de Orçamento Carlos Evandro Viegas.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Justiça do RJ absolve Eduardo Paes em ação de improbidade administrativa
Foto: Tânia Rêgo/ Arquivo/Agência Brasil

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro absolveu o ex-prefeito Eduardo Paes em ação civil pública por improbidade administrativa ajuizada pelo Ministério Público estadual (MPRJ) sobre o cancelamento de empenhos de R$ 1,4 bilhão, em 2016. Segundo a ação proposta pelo MPRJ, houve cancelamento de empenhos não liquidados de todos os órgãos da administração direta e indireta, efetuados entre os dias 26 e 30 de dezembro de 2016. Ainda segundo o documento, os cancelamentos ocorreram de modo automático, por meio de uma matrícula genérica não associada a um usuário ativo. Os atos administrativos praticados no fim da gestão de Paes, de acordo com a ação, causaram um prejuízo aos cofres públicos estimado em 10% dos empenhos cancelados – R$ 144,8 milhões – junto a prestadores de serviços em multas contratuais, juros moratórios e correção monetária. O MPRJ pedia o ressarcimento do dano.Na decisão publicada nessa segunda-feira (13), a juíza Aline Maria Gomes da Costa entendeu que o pedido é improcedente e que não houve improbidade administrativa.

Na sentença, ela levou em consideração que, em 2016, na época da ocorrência dos fatos, vigorava decisão do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro, segundo a qual somente são considerados prestados ou entregues os serviços e produtos com a liquidação. Dessa forma, de acrdo com o texto, não haveria como se imputar “qualquer ilegalidade, ou irregularidade propriamente dita, às condutas dos réus, já que atuaram em conformidade com o entendimento jurídico consolidado à época” .Além do ex-prefeito do Rio, estavam entre os acusados o ex-subsecretário de Orçamento Carlos Evandro Viegas, que respondia pela Secretaria de Fazenda à época dos fatos; o ex-controlador-geral do município Antonio Cesar Lins Cavalcanti; e o ex-presidente da Empresa Municipal de Informática (IplanRio) Fábio Pimentel de Carvalho. (Agência Brasil) 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Senador Ciro Nogueira está com covid-19
Política

Senador Ciro Nogueira está com covid-19

Ciro informou que está sem sintomas e que ficará em isolamento domiciliar

Bolsonaro nomeia mais dois membros para a Comissão de Ética Pública
Política

Bolsonaro nomeia mais dois membros para a Comissão de Ética Pública

Os decretos de nomeação foram publicados no Diário Oficial da União.

Zé Neto defende atuação de Wagner na articulação política da base de Rui
Política

Zé Neto defende atuação de Wagner na articulação política da base de Rui

'A gente tem aprendido com ele a fazer política como a política deve ser', diz deputado federal.

Vídeo

Maternidade Santa Emília Veja mais Vídeos ›

Facebook

Instagram