Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • SECOM
19 de Fevereiro de 2020
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Saúde

Todas as notícias
Publicado em 08/11/2019 10h15.

Comemorações marcam 6 anos do Centro de Oncologia Infantojuvenil do HEC, com implantação do Projeto Pé de Esperança

O objetivo do Projeto é promover a sensibilização ambiental por meio do plantio de mudas de árvores e, na oportunidade, ressignificar o sentido da doença pelo tratamento oncológico para pacientes, familiares e para toda a sociedade
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Comemorações marcam 6 anos do Centro de Oncologia Infantojuvenil do HEC, com implantação do Projeto Pé de Esperança
Foto: Divulgação

Acorda Cidade

Em comemoração aos 6 anos de funcionamento, o Centro de Oncologia Infantojuvenil (COI) do Hospital Estadual da Criança (HEC) implantou, na manhã de quinta-feira (7), o Projeto Pé de Esperança, que consistiu no plantio de mudas nos canteiros do HEC, realizado por 26 pacientes curados do câncer ou que finalizaram tratamento no COI, com respectivos padrinhos/madrinhas, dentre eles o superintendente geral do HEC, Márcio Lima, a diretora operacional da Unidade, Lívia Leite, o coordenador médico do COI, Dr. Maurício Meira, a oncopediatra Dra. Núbia Mendonça, especialista referência no tratamento oncológico no Estado da Bahia, e o deputado federal Zé Neto.

Foto: Divulgação

De acordo com o coordenador de enfermagem do COI, Thiago Pionório, um dos idealizadores do Projeto Pé de Esperança, “o objetivo do Projeto é promover a sensibilização ambiental por meio do plantio de mudas de árvores e, na oportunidade, ressignificar o sentido da doença pelo tratamento oncológico para pacientes, familiares e para toda a sociedade”. As espécies escolhidas para o plantio foram próprias da região, respeitando as características climáticas e ambientais, dentre elas o pau-brasil e o ipê amarelo.

Foto: Divulgação

Após a implantação do Projeto, foi realizada uma festa no COI, com os padrinhos/madrinhas, pacientes e familiares, em parceria com o Grupo Voluntário Colheita do Amor. Segundo Carine Oliveira, coordenadora do Grupo, “honra e gratidão são os sentimentos que temos ao Hospital por essa percepção e sensibilidade da importância do voluntariado para o apoio da humanização no ambiente hospitalar e do empoderamento dos pacientes e acompanhantes, que estão passando por processos de fragilidade física e emocional. Trazemos, com muito carinho, alegria, esperança, uma palavra de conforto e amor, e isso, realmente modifica o comportamento e tratamento dos pacientes”.

Foto: Divulgação

Durante a semana também ocorreu uma programação especial com diversas atividades para marcar o aniversário do setor, em parceria com os grupos voluntários Todos Por Um, Trupe Hospitalar e Oficina dos Anjos, que realizam atividades lúdicas durante todo o ano com os pacientes internados e em tratamento.
O COI possui cerca de 400 crianças cadastradas no serviço, contando com 13 leitos para internação e capacidade de 25 atendimentos/dia em ambulatório, bem como 36 colaboradores alocados no setor. O coordenador da unidade, Dr. Maurício Meira, afirma que apesar de coordenado pelos oncologistas, o tratamento do câncer pediátrico é multidisciplinar. “Contamos com a participação importante de todos os profissionais envolvidos, para aumentar, cada vez, a sobrevida das crianças com câncer”. Os principais tipos de câncer hoje que acometem as faixas etárias infantojuvenis de 0 a 18 anos ainda são as leucemias e linfomas, seguidas por tumores do sistema nervoso central.

Foto: Divulgação

O Hospital Estadual da Criança é uma unidade da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia - Sesab, gerida pela Liga Álvaro Bahia (mantenedora do Hospital Martagão Gesteira). O HEC está apto para atendimento de alta complexidade, serviço de diagnose e terapia, ambulatório de especialidades, internação e atividades de ensino e pesquisa. A unidade possui 240 leitos de internação e 31 de emergência e, em 2018, realizou 72 mil atendimentos ao total. 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Dor: entenda quando ela deixa de ser normal e pode ser sinal de fibromialgia
Saúde

Dor: entenda quando ela deixa de ser normal e pode ser sinal de fibromialgia

Com dor ninguém deseja ficar, mas no caso da fibromialgia ainda não há cura.

60 pacientes com risco de AVC ganham atendimento gratuito
Feira de Santana

60 pacientes com risco de AVC ganham atendimento gratuito

Eles participam do mutirão oferecido pela Escola de Ecoardiografia da Bahia e do HDPA/Santa Casa de Misericó...

Prática de treinos e exercícios pela web requer atenção e acompanhamento profissional
Saúde

Prática de treinos e exercícios pela web requer atenção e acompanhamento profissional

Especialistas alertam para o respeito com a individualidade biológica de cada pessoa

Vídeo

Duas pessoas morrem em colisão entre carro de funerária e caminhão Veja mais Vídeos ›

Podcast

Ouça o Programa desta terça-feira 18.02:
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram