Acorda Cidade - Dilton Coutinho

04 de Junho de 2020
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Polícia

Todas as notícias
Publicado em 08/11/2019 09h51.

Mulheres que desligaram aparelhos de irmão após 'visão' e 'ordem' de pastor vão aguardar julgamento em liberdade

Crime aconteceu no Hospital Regional de Guanambi, no sudoeste da Bahia. Irmãs foram presas em flagrante e liberdade foi concedida depois de pedido de relaxamento de prisão.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Mulheres que desligaram aparelhos de irmão após 'visão' e 'ordem' de pastor vão aguardar julgamento em liberdade
Foto: Reprodução/TV Santa Cruz

Acorda Cidade

As duas mulheres que foram presas em flagrante após matar o irmão ao desligar os aparelhos que o mantinham vivo no Hospital Regional de Guanambi, no sudoeste da Bahia, tiveram liberdade concedida após um pedido de relaxamento de prisão feito à Justiça.

De acordo com o delegado Clécio Magalhães, que investiga o caso, a determinação judicial com a soltura de Zelita Pereira Neves, de 32 anos, e Marliete Pereira Neves, de 41, foi publicada na segunda-feira (4). As suspeitas foram soltas na terça-feira (5) e vão responder por homicídio doloso, quando há intenção de matar, em liberdade.

As duas mulheres presas em flagrante tiveram a prisão temporária convertida para preventiva pela Justiça no dia 28 de outubro. Desde o final de outubro que elas estavam presas, até a Justiça conceder o relaxamento de prisão, neste início de novembro.

Caso

O crime aconteceu no dia 25 de outubro. As irmãs alegaram ter tido uma visão e entraram no quarto onde estava internado o irmão Almiro Pereira Neves, de 43 anos.

Segundo a polícia, Zelita, que mora no interior de São Paulo, disse em depoimento que teve uma visão e viajou até Guanambi na intenção de salvar o irmão. Em depoimento na delegacia da cidade, Zelita e Marliete disseram que agiram após ordem do pastor da igreja em que congregam. Esse pastor estava do lado de fora do hospital, antes das duas entrarem na unidade de saúde.

De acordo com o diretor médico do Hospital Regional de Guanambi Juan Castellanos, Zelita e Marliete chegaram ao Hospital Regional de Guanambi fora do horário de visita e pediram para ver o irmão, que estava internado na emergência.

Almiro Pereira Neves estava estava internado na sala da emergência da unidade médica desde o dia 21 de outubro. Ainda segundo a polícia, as irmãs entraram na unidade, desligaram a luz e na sequência os aparelhos que mantinham ele vivo.

A acompanhante de um idoso que também estava internado na cama ao lado da de Almiro percebeu a movimentação estranha e chamou os funcionários do hospital. Conforme os médicos, a situação de Almiro era grave. Ele não podia ficar sem a medicação e nem os aparelhos que o auxiliavam na respiração.

Fonte: G1
 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Casal de presos com covid-19 é transferido para o Conjunto Penal de Feira de Santana
Polícia

Casal de presos com covid-19 é transferido para o Conjunto Penal de Feira de Santana

A transferência dos presos foi assunto de muita polêmica nos últimos dias e dividiu opiniões entre a Polí...

Feirenses prestam queixas na delegacia contra golpe do 'auxílio emergencial'
Polícia

Feirenses prestam queixas na delegacia contra golpe do 'auxílio emergencial'

Eles relataram que ao chegar na agência bancária ou na casa lotérica, foram informados de que outra pessoa ...

Polícia autua por homicídio culposo empregadora da mãe de menino que morreu ao cair do 9º andar no Recife
Polícia

Polícia autua por homicídio culposo empregadora da mãe de menino que morreu ao cair do 9º andar no Recife

Segundo delegado, mulher, que não teve nome divulgado, chegou a ser presa em flagrante, mas pagou fiança de ...

Vídeo

Manifestantes protestam contra o fechamento do comércio em frente a Hospital de Campanha e pedem informações sobre obra Veja mais Vídeos ›

Facebook

Instagram