Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • SECOM
21 de Outubro de 2019
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Educação

Todas as notícias
Publicado em 13/09/2019 16h28.

Um sexto das crianças em idade escolar não vão à aula, diz ONU

A diferença entre países ricos e pobres é evidente quando se observa que, enquanto nos primeiros 2% das crianças em idade escolar primária (entre 6 e 11 anos) não estão na escola, nos segundos são 19 por cento.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Um sexto das crianças em idade escolar não vão à aula, diz ONU
Foto: Agência Brasil

Acorda Cidade

Agência Brasil - Cerca de 258 milhões de crianças e adolescentes de entre 6 e 17 anos em todo o mundo, um sexto do total, não frequentam a escola, segundo dados de 2018 publicados hoje (13) pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Durante mais de uma década, o progresso na escolaridade foi "mínimo ou zero", explicou a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) em comunicado, alertando que "se não forem tomadas medidas urgentes, 12 milhões de crianças nunca verão o interior de uma sala de aula".

Com esses dados - indicou a Unesco - será muito difícil alcançar uma educação inclusiva e de qualidade disponível para todos, um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) que a comunidade internacional acordou concretizar até 2030.

A diferença entre países ricos e pobres é evidente quando se observa que, enquanto nos primeiros 2% das crianças em idade escolar primária (entre 6 e 11 anos) não estão na escola, nos segundos são 19 por cento.

Essas diferenças são ainda maiores nos níveis superiores: em comparação com 8% dos jovens de 15 e 17 anos que não frequentam a escola nos países desenvolvidos, a proporção é de 61% nos países em desenvolvimento.

A diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay, explicou que as meninas "continuam a ser vítimas dos maiores obstáculos", uma vez que estima-se que haverá 9 milhões que nem sequer vão para o ensino primário, face a 3 milhões de rapazes.

Dessas 9 milhões de meninas não escolarizadas, 4 milhões vivem na África subsaariana, onde a situação é "ainda mais preocupante", assinalou Azoulay ao condiderar que é necessário fazer da educação de mulheres e meninas a "maior prioridade".

Estas estatísticas foram divulgadas uma semana antes da realização da Assembleia-Geral das Nações Unidas, que deve analisar os progressos nos ODS e abordar o financiamento necessário para colocá-los em prática.

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Especialistas dão dicas de como se preparar para a redação do Enem
Educação

Especialistas dão dicas de como se preparar para a redação do Enem

Alunos devem praticar escrita e ficar por dentro do que ocorre no país

Enem chega a 42 instituições em Portugal
Educação

Enem chega a 42 instituições em Portugal

Inep fechou acordo com o Instituto de Estudos Superiores de Fafe (IESFafe)

Enem 2019: Nordeste tem maioria de acessos ao Cartão de Confirmação
Educação

Enem 2019: Nordeste tem maioria de acessos ao Cartão de Confirmação

Provas serão aplicadas em dois domingos consecutivos de novembro, 3 e 10

Vídeo

Incêndio em oficina destrói veículos e assusta moradores do bairro Pedra do Descanso Veja mais Vídeos ›

Podcast

Ouça o Programa desta Segunda-Feira 21.10:
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram