Acorda Cidade - Dilton Coutinho

22 de Janeiro de 2020
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Saúde

Todas as notícias
Publicado em 09/08/2019 08h19.

Alimentação e questões emocionais: entenda como a comida pode interferir na sua saúde mental

A psicóloga do Hapvida, Daniela Teixeira, explica que a pessoa com depressão tende a não ver sentido na forma como deveria se alimentar, fazendo refeições de qualquer maneira ou até ficando muito tempo sem comer.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Alimentação e questões emocionais: entenda como a comida pode interferir na sua saúde mental
Foto: Reprodução

Acorda Cidade

Ansiedade e depressão são desordens mentais que têm apresentado uma crescente entre os brasileiros. De acordo com dados da Organização mundial da saúde (OMS), o Brasil conta com mais de 350 milhões de deprimidos em todo o planeta e alguns hábitos alimentares podem interferir diretamente neste quadro, tanto de maneira positiva quanto negativa. A psicóloga do Hapvida, Daniela Teixeira, explica que a pessoa com depressão tende a não ver sentido na forma como deveria se alimentar, fazendo refeições de qualquer maneira ou até ficando muito tempo sem comer.

“O que se propõe ao paciente é que dentro de uma rotina ele busque por alimentos que lhe tragam experiências e memórias boas, o que consideramos como comer afetivo, que nesse momento se torna positivo para a evolução positiva desse quadro”, destaca Daniela.

Já no caso da ansiedade, a especialista faz um alerta para as possíveis tentativas de controle do transtorno com alimentos que tragam sensação de conforto, a exemplo de uma fatia de torta. “As compensações não são as melhores formas de controle de ansiedade, visto que ela foi acalmada apenas naquele momento e que, possivelmente, os sintomas aparecerão novamente após nova exposição do paciente”, pondera.

Atenção ao prato

Gordura saturada, refrigerantes, guaraná e chá verde estão entre os “vilões” da ansiedade e da depressão. De acordo com a nutricionista do Hapvida, Geilma Rocha, além desses, o chá preto mate e a cafeína também podem desencadear crises. Em contrapartida, Geilma destaca os benefícios da vitamina C para esses casos. “Ela reduz os níveis de cortisol, hormônio do estresse. Alimentos como caju, morango, mamão, kiwi, goiaba, pimentão e brócolis têm bons níveis da vitamina em suas composições nutricionais”, pontua. A especialista conta que as vitaminas B e D também agem reduzindo a ansiedade. “No caso da vitamina B, ela realiza a conversão do tripofano em serotonina e com isso auxilia no combate à ansiedade”, explica.

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Anvisa decide simplificar acesso a medicamentos de canabidiol
Saúde

Anvisa decide simplificar acesso a medicamentos de canabidiol

Agora, basta a apresentação da prescrição médica do produto.

Brasil registra 1º caso suspeito de coronavírus
Saúde

Brasil registra 1º caso suspeito de coronavírus

A paciente é uma mulher, brasileira, de 35 anos, que veio de Xangai, na China.

Idosos sofrem com altas temperaturas
Saúde

Idosos sofrem com altas temperaturas

Alterações corporais elevam risco de desidratação e mascaram sintomas.

Vídeo

Colbert assume candidatura e diz que vai ganhar junto com Ronaldo Veja mais Vídeos ›

Podcast

Ouça o Programa desta quarta-feira 22.01:
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram