Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • SECOM
20 de Outubro de 2019
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Educação

Todas as notícias
Publicado em 10/07/2019 16h31.

Estudantes aprendem como o lixo descartado irregularmente impacta na proliferação da dengue

A dengue foi um dos principais temas de estudo dos estudantes de 4º e 5º ano da Escola Municipal Professora Francy Silva Barbosa, do bairro Campo Limpo, durante os seus primeiros três meses de aula.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Estudantes aprendem como o lixo descartado irregularmente impacta na proliferação da dengue
Foto: Divulgação

Acorda Cidade

A poluição ambiental e suas conexões com a dengue. Este foi um dos temas discutidos pela Equipe de Educação e Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde, com os estudantes da Escola Municipal Professora Francy Silva Barbosa, do bairro Campo Limpo, durante sua visita à unidade de ensino na terça-feira (9). Dilza Pereira da Silva, integrante do grupo, alertou os jovens de que o perigo não está apenas em deixar água parada.

“Sabe aquele saco de salgadinho que a gente come e, às vezes, joga no quintal de casa ou no meio da rua? A tampinha da garrafa pet? Uma casquinha de ovo? Em tudo isso, os mosquitos põem seus ovos. Esses ovos ficam nas paredes desses recipientes e podem sobreviver ali por um ano. Quando eles entram em contato com água, eclodem e aí surgem as larvas que darão origem ao mosquito”, explicou.

A dengue foi um dos principais temas de estudo dos estudantes de 4º e 5º ano da Escola Municipal Professora Francy Silva Barbosa, do bairro Campo Limpo, durante os seus primeiros três meses de aula. A discussão surgiu a partir do estudo da água e suas ramificações – poluição, limpeza, etc. Dentre estes aspectos, os alunos buscaram ampliar seus conhecimentos sobre o mosquito Aedes Aegypti e sua relação com o recurso.

Segundo a coordenadora pedagógica da unidade de ensino, Lêda Pereira da Silva, a ideia de convidar o grupo surgiu após uma agente de endemias mencionar sua existência em uma visita rotineira à escola. Por se tratar de um tema importante, decidiu-se que todas as turmas assistiriam às apresentações, e não somente 4º e 5º ano, como no início dos estudos sobre o tema.

As intervenções da Equipe de Educação e Saúde incluem dramatizações acerca da relação entre macho e fêmea, uso de fantoches (quando crianças forem o público-alvo), explicações sobre as causas que levam ao aparecimento do mosquito em determinado ambiente e o porquê de sua eventual permanência, transmissão de doenças, entre outros aspectos.

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Enem chega a 42 instituições em Portugal
Educação

Enem chega a 42 instituições em Portugal

Inep fechou acordo com o Instituto de Estudos Superiores de Fafe (IESFafe)

Enem 2019: Nordeste tem maioria de acessos ao Cartão de Confirmação
Educação

Enem 2019: Nordeste tem maioria de acessos ao Cartão de Confirmação

Provas serão aplicadas em dois domingos consecutivos de novembro, 3 e 10

Colégio estadual em reforma está sendo depredado por vândalos
Feira de Santana

Colégio estadual em reforma está sendo depredado por vândalos

Segundo a diretora, por um tempo as ações dos vândalos pararam, mas depois retornaram. Ela diz que se sente...

Vídeo

Incêndio em oficina destrói veículos e assusta moradores do bairro Pedra do Descanso Veja mais Vídeos ›

Podcast

Ouça o Programa desta Sexta-Feira 18.10:
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram