Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • BAHIA AQUI É TRABALHO JUNHO 1
  • BAHIA AQUI É TRABALHO JUNHO 1
19 de Junho de 2019
Dólar: R$ 3,84 Euro: R$ 4,39
-17º -17º Feira de Santana
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Educação

Todas as notícias
Publicado em 12/06/2019 20h13.

Universidades estaduais aceitam acordo e encerram greve na Bahia

Apesar do fim da paralisação, negociação permanecerá entre professores e governo
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Universidades estaduais aceitam acordo e encerram greve na Bahia
Foto: Acorda Cidade

Acorda Cidade

A greve das universidades estaduais acabou para as quatro instituições da Bahia. Na manhã desta quarta-feira (12), a Universidade do Estado da Bahia (Uneb) e a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) realizaram assembleia para votar o termo de acordo e decidiram voltar à atividade. À tarde, foi a vez da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) e da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) acatarem. As instituições estavam em paralisação desde o dia 9 de abril.

Apesar do acordo, o presidente da associação docente da Uesc, José Luiz de França explicou que oficialmente a greve só estará encerrada após a assinatura do termo de acordo, que deve acontecer na sexta-feira (14).

Embora professores e governo tenham chegado a um acordo, a diretora executiva da Associação dos Docentes da Uneb, Lílian Marinho disse que as negociação permanecem. "Saímos da greve, mas vamos manter o estado de mobilização, porque a luta vai continuar. Vai haver mesa de negociação permanente com o governo, vamos tentar dialogar em relação aos nossos direitos", explicou ao Correio.

Lilian disse ainda que, dos principais pontos, o que ainda está pendente é o salarial. "Não foi tudo acatado, mas ainda teremos negociações. Temos a questão do salário pendente, que o governo vai pagar em junho. A proposta deles é pagar o mês de maio junto com julho", disse.

Durante o programa Papo Correria, o governador Rui Costa comemorou o fim da greve. "Foi aprovado o fim da greve, fico feliz que tenhamos chegado a um entendimento. Assumimos o compromisso que, com o fim da greve, faríamos o pagamento integral de junho e em, no máximo, 72 horas, montaríamos a mesa de negociação para ver os pontos que faltam ser discutidos. Vamos esperar as outras assembleias para botar em prática aquilo que acordamos na ata da negociação", disse.

Com o fim da greve nas duas universidades, as aulas serão retomadas a partir de segunda-feira (17). A reposição das aulas perdidas será definida pelas próprias universidades, que têm autonomia para organizar seus calendários. O plano de reposição deve ser submetido à reitoria de cada instituição e à Secretaria da Administração do Estado (Saeb).

Pontos acordados

Na noite de segunda-feira (10), representantes do governo do estado e do Fórum das Associação dos Docentes das Universidades Estaduais (Fórum das ADs) assinaram um documento na sede da Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC). O fórum é composto por professores das quatro universidades.

De acordo com o texto do documento, foi definido, de forma consensual, que o governo vai enviar um Projeto de Lei para a Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) com proposta de reestruturação do quadro de vagas da carreira de professor, permitindo até 900 promoções, logo após o fim da greve.

Deputados estaduais também participaram da mesa de negociação: Fabíola Mansur (PSB) e Hilton Coelho (Psol), respectivamente, presidente e integrante da Comissão de Educação, além do líder do governo na Alba, Rosemberg Pinto (PT).

Às quatro universidades, também serão garantidos R$ 36 milhões, no total, para que apliquem em investimentos. “Algumas das universidades têm renda, porque oferecem serviços que conseguem captar renda. Todo o recurso entra para o estado e o governo repassa, então, nesse recurso, tem dinheiro arrecadado pelas próprias universidades”, ponderou Ronalda Barreto, coordenadora da Seção Sindical dos Docentes da Uneb (Aduneb). Na Uneb, segundo ela, a verba será destinada à construção do Restaurante Universitário.

Com o fim da greve, o estado garantirá o pagamento integral do salário do mês de junho de 2019. Além disso, mediante execução do plano de reposição das aulas, será pago o mês de maio junto com o mês de julho, e, em sequência, os dias de greve do mês de abril serão pagos no mês de agosto.

Além disso, até 72 horas após o encerramento da greve, será instalada uma nova mesa para negociação de outros pontos colocados pelas ADs envolvendo as outras secretarias de Estado, a exemplo da Fazenda (Sefaz) e Saeb.

“Qual foi o avanço? A instalação da mesa permanente de negociação, então, vários pontos que agora não foram acordados continuarão na mesa, após a greve”, diz a professora Ronalda. Segundo ela, o reajuste salarial será uma das questões que deve ser debatida na mesa permanente.

Na reunião do dia 8 de junho, o governo tinha negado a proposta dos docentes – de reajuste de 5,9% no salário base. A questão segue sem acordo e será negociada em reuniões futuras.

Fonte: Correio24hs 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Candidatos em lista de espera do Sisu começam a ser convocados
Educação

Candidatos em lista de espera do Sisu começam a ser convocados

O estudante selecionado deve conferir o prazo para a matrícula e verificar na instituição de ensino em que ...

Analfabetismo no Brasil cai entre 2016 e 2018 de 7,2% para 6,8%
Educação

Analfabetismo no Brasil cai entre 2016 e 2018 de 7,2% para 6,8%

É o que revela pesquisa do IBGE

Total médio de anos de estudo cresce no Brasil, diz pesquisa do IBGE
Educação

Total médio de anos de estudo cresce no Brasil, diz pesquisa do IBGE

O Nordeste saiu de 7,6 para 7,9 entre 2016 e 2018.

Vídeo

Senado Aprova (10 a 14 de junho) — O mais importante que o Senado aprovou nesta semana Veja mais Vídeos ›

Podcast

Motoristas relatam dificuldade para retirar carros apreendidos de pátio terceirizado
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram