Acorda Cidade - Dilton Coutinho

07 de Junho de 2020
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Toque Esportivo

Todas as notícias
Publicado em 11/06/2019 07h13.

Copa do Mundo Feminina nas redes sociais: disparidades entre gêneros ganham destaque

Comparada à Copa do Mundo da Rússia em 2018, o número de menções relacionadas a edição desse ano é 10 vezes menor.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra

Acorda Cidade

O ano é de 2019 mas não é de hoje que a busca pelos direitos iguais entre homens e mulheres é colocado em pauta. Dessa vez, a Stilingue - ferramenta de Inteligência Artificial que varre as mídias sociais - traz um estudo sobre a Copa do Mundo Feminina.

Comparada à Copa do Mundo da Rússia em 2018, o número de menções relacionadas a edição desse ano é 10 vezes menor, no mesmo período de tempo estudado (mês antecedente à competição). Enquanto a primeira trouxe quase 284 mil publicações, a segunda indicou um pouco mais de 24 mil. A artilheira Marta foi a jogadora mais mencionada no pré-Copa.

A desigualdade entre a competição nas versões masculina e feminina reacendeu debates em torno da igualdade de gênero em diferentes setores da sociedade. Com o repasse de apenas 1% das reservas da Fifa para as seleções femininas, as redes sociais foram invadidas por queixas por conta da falta de reconhecimento financeiro perante as premiações e órgãos oficiais. O caso envolvendo a artilheira Sissi também foi comentado, a principal jogadora da Seleção Feminina até os anos 2000 foi repreendida por ter raspado a cabeça, simplesmente pela beleza das atletas serem vistas como um atrativo para a aceitação e acompanhamento do público masculino.

Reforçando a importância da igualdade, a propaganda divulgada pela seleção da Alemanha revela algumas das preocupações das jogadoras: “jogamos por uma seleção que não sabe nossos nomes” e, “não precisamos de bolas, mas saber como usá-las”. Essas mensagens foram postadas junto a convites de mulheres para lotar os bares durante as partidas, até mesmo pesquisas foram feitas sobre quais bares terão transmissões ao vivo dos jogos.

A campanha da patrocinadora Nike está em destaque entre os usuários, na qual a influenciadora digital Cintria convida os seguidores afirmando que o comercial da empresa para a Copa do Mundo é a melhor coisa que o internauta verá. O Guaraná Antarctica também recebeu sua parcela de aplausos com a mensagem “É Coisa Nossa”, que estimula empresas brasileiras de outros segmentos a também patrocinarem e investirem na seleção feminina. Maria Filó e O Grupo Boticário foram mencionadas por liberarem seus funcionários para assistirem as partidas.

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Ídolo do Bahia, Sapatão morre em Salvador aos 72 anos
Toque Esportivo

Ídolo do Bahia, Sapatão morre em Salvador aos 72 anos

Nascido na cidade de Campos, no Rio de Janeiro, Sapatão começou a carreira de jogador no Flamengo, mas ficou...

Técnico do Bahia de Feira, é internado após sofrer mal súbito
Futebol

Técnico do Bahia de Feira, é internado após sofrer mal súbito

Foi descartada a possibilidade de o treinador ter sofrido um acidente vascular cerebral (AVC).

Mesmo sem futebol, torcidas crescem nas redes sociais
Futebol

Mesmo sem futebol, torcidas crescem nas redes sociais

Chegada de Fred impulsiona números do Fluminense; Flamengo lidera ranking.

Vídeo

Coletiva sobre ações da prefeitura para preservação do meio ambiente Veja mais Vídeos ›

Facebook

Instagram