Acorda Cidade - Dilton Coutinho

06 de Junho de 2020
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Feira de Santana

Todas as notícias
Publicado em 15/05/2019 10h12.

Protesto contra bloqueio de recursos para a educação reúne milhares de pessoas em Feira de Santana

Em Feira de Santana os manifestantes se concentraram na Praça Tiradentes, em frente ao Instituto de Indução Gastão Guimarães e seguiram em caminhada pela Avenida Getúlio Vargas.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Protesto contra bloqueio de recursos para a educação reúne milhares de pessoas em Feira de Santana
Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Daniela Cardoso

Atualizada às 12h

Cerca de cinco mil estudantes e professores de Feira de Santana participam na manhã desta quarta-feira (15) de uma manifestação contra o bloqueio de recursos para a educação anunciado pelo MEC. O ato ocorre em todo o país. Instituições públicas e privadas aderiram ao ato e reclamaram da atuação de todos os governos: Muncípio, Estado e União.

Em Feira de Santana os manifestantes se concentraram na Praça Tiradentes, em frente ao Instituto de Educação Gastão Guimarães e seguiram em caminhada pela Avenida Getúlio Vargas. 
 

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

A professora Elane de Carvalho infirmou que cerca de 40 alunos da escola em que ela trabalha também estão participando da manifestação. “Essa é uma luta em prol de todos os brasileiros, nós temos que lutar pelo melhor do nosso país e nossos alunos precisam estar conscientes que o Brasil é nosso. Hoje as escolas de Feira de Santana pararam para vir lutar contra a reforma da previdência e a questão das verbas para a educação que foram cortadas. Estamos na rua e vamos vencer essa batalha”, afirmou.

Leia também: Corte de 30% no orçamento da educação vai impactar funcionamento do IFBA em Feira de Santana

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

A professora Edna Ribeiro Marques, do colégio Luiz Eduardo Magalhães e da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), destacou que o protesto é pela educação, por mais investimentos para as universidades e por mais investimentos para a educação básica. “São por esses motivos que eu e meus companheiros estamos aqui. Isso para mim é uma aula pública, é um exemplo para os alunos, para os pais e precisamos nos manifestar. No momento em que a educação é atacada, os educadores não podem se calar”, declarou.

Edna Ribeiro afirmou ainda que não tinha boas expectativas para o governo Bolsonaro, mas que ainda assim conseguiu se surpreender negativamente. “Não esperava que o ataque fosse tão grande e estamos aqui tentando lutar contra isso, com esse movimento grande e muito participativo. Já esperava essa quantidade de pessoas, pois a indignação é grande e a ação tem que ser na proporção”, afirmou.  

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

O professor André Uzêda avaliou que esse é um dos maiores movimentos realizado em Feira de Santana em prol da educação. “É um movimento nacional contra o corte na educação e contra a reforma da previdência. Também temos falas aqui sobre a questão estadual com Rui Costa, a questão municipal com Colbert Martins, ou seja, os problemas são diversos na educação. Financiamento, questão na democracia, inclusive, salário e reposição. Nas Universidades Estaduais nós estamos em greve, com o salário cortado e o governador não negocia. Podemos observar o número imenso de estudantes, de professores, questionando a crise que a sociedade vive e é um momento muito importante por conta disso. Movimento nacional, com questões estaduais, questões municipais e contra a reforma da previdência, é obvio, também contra o governo Bolsonaro”, salientou. 

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

Além as escolas públicas e particulares, entidades de classe também participaram da manifestação. Segundo André Uzêdo, é difícil quantificar, pois diversos coletivos estudantis, grêmios, sindicatos, centrais sindicais, partidos políticos estão participando do ato. “São diversas entidades se manifestando neste dia nacional de greve em defesa da educação e inicialmente por conta do aviso e do corte, da política de ódio à educação que Bolsonaro demonstra, inclusive, cortando recursos. Enfim, ameaçando professores, servidores públicos, entidades e escolas”, afirmou.

O professor calcula que mais que mais de 5 mil pessoas participaram do ato. Devido a mobilização, as aulas foram suspensas nesta quarta-feira nas unidades de ensino públicas e em algumas instituições privadas.
 

Fotos: Paulo José / Acorda Cidade

 

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade
 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Confira o número de casos de covid-19 em Feira de Santana por bairros
Feira de Santana

Confira o número de casos de covid-19 em Feira de Santana por bairros

Conforme o boletim divulgado na noite de hoje (5), o total de casos de covid- 19 em Feira de Santana chega a ...

Secretaria de Desenvolvimento Social passa a recolher óleo de fritura usado
Feira de Santana

Secretaria de Desenvolvimento Social passa a recolher óleo de fritura usado

A iniciativa, através de parceria com o Movimento Água é Vida (MAV), marca o Dia Mundial do Meio Ambiente e...

Anel de Contorno passa a ser fiscalizado pela SMT
Feira de Santana

Anel de Contorno passa a ser fiscalizado pela SMT

A partir dessa medida a SMT também fica responsável pelo levantamento dos locais de acidentes e dos serviço...

Vídeo

Coletiva sobre ações da prefeitura para preservação do meio ambiente Veja mais Vídeos ›

Facebook

Instagram