Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • SECOM G NEWS
  • SECOM G NEWS
21 de Maio de 2019
Dólar: R$ 3,84 Euro: R$ 4,39
-17º -17º Feira de Santana
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Feira de Santana

Todas as notícias
Publicado em 15/05/2019 10h12.

Protesto contra bloqueio de recursos para a educação reúne milhares de pessoas em Feira de Santana

Em Feira de Santana os manifestantes se concentraram na Praça Tiradentes, em frente ao Instituto de Indução Gastão Guimarães e seguiram em caminhada pela Avenida Getúlio Vargas.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Protesto contra bloqueio de recursos para a educação reúne milhares de pessoas em Feira de Santana
Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Daniela Cardoso

Atualizada às 12h

Cerca de cinco mil estudantes e professores de Feira de Santana participam na manhã desta quarta-feira (15) de uma manifestação contra o bloqueio de recursos para a educação anunciado pelo MEC. O ato ocorre em todo o país. Instituições públicas e privadas aderiram ao ato e reclamaram da atuação de todos os governos: Muncípio, Estado e União.

Em Feira de Santana os manifestantes se concentraram na Praça Tiradentes, em frente ao Instituto de Educação Gastão Guimarães e seguiram em caminhada pela Avenida Getúlio Vargas. 
 

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

A professora Elane de Carvalho infirmou que cerca de 40 alunos da escola em que ela trabalha também estão participando da manifestação. “Essa é uma luta em prol de todos os brasileiros, nós temos que lutar pelo melhor do nosso país e nossos alunos precisam estar conscientes que o Brasil é nosso. Hoje as escolas de Feira de Santana pararam para vir lutar contra a reforma da previdência e a questão das verbas para a educação que foram cortadas. Estamos na rua e vamos vencer essa batalha”, afirmou.

Leia também: Corte de 30% no orçamento da educação vai impactar funcionamento do IFBA em Feira de Santana

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

A professora Edna Ribeiro Marques, do colégio Luiz Eduardo Magalhães e da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), destacou que o protesto é pela educação, por mais investimentos para as universidades e por mais investimentos para a educação básica. “São por esses motivos que eu e meus companheiros estamos aqui. Isso para mim é uma aula pública, é um exemplo para os alunos, para os pais e precisamos nos manifestar. No momento em que a educação é atacada, os educadores não podem se calar”, declarou.

Edna Ribeiro afirmou ainda que não tinha boas expectativas para o governo Bolsonaro, mas que ainda assim conseguiu se surpreender negativamente. “Não esperava que o ataque fosse tão grande e estamos aqui tentando lutar contra isso, com esse movimento grande e muito participativo. Já esperava essa quantidade de pessoas, pois a indignação é grande e a ação tem que ser na proporção”, afirmou.  

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

O professor André Uzêda avaliou que esse é um dos maiores movimentos realizado em Feira de Santana em prol da educação. “É um movimento nacional contra o corte na educação e contra a reforma da previdência. Também temos falas aqui sobre a questão estadual com Rui Costa, a questão municipal com Colbert Martins, ou seja, os problemas são diversos na educação. Financiamento, questão na democracia, inclusive, salário e reposição. Nas Universidades Estaduais nós estamos em greve, com o salário cortado e o governador não negocia. Podemos observar o número imenso de estudantes, de professores, questionando a crise que a sociedade vive e é um momento muito importante por conta disso. Movimento nacional, com questões estaduais, questões municipais e contra a reforma da previdência, é obvio, também contra o governo Bolsonaro”, salientou. 

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

Além as escolas públicas e particulares, entidades de classe também participaram da manifestação. Segundo André Uzêdo, é difícil quantificar, pois diversos coletivos estudantis, grêmios, sindicatos, centrais sindicais, partidos políticos estão participando do ato. “São diversas entidades se manifestando neste dia nacional de greve em defesa da educação e inicialmente por conta do aviso e do corte, da política de ódio à educação que Bolsonaro demonstra, inclusive, cortando recursos. Enfim, ameaçando professores, servidores públicos, entidades e escolas”, afirmou.

O professor calcula que mais que mais de 5 mil pessoas participaram do ato. Devido a mobilização, as aulas foram suspensas nesta quarta-feira nas unidades de ensino públicas e em algumas instituições privadas.
 

Fotos: Paulo José / Acorda Cidade

 

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade
 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Mutirão promove castração de 300 animais
Feira de Santana

Mutirão promove castração de 300 animais

O mutirão de castração animal este ano não abriu cadastro para público externo.

Fogos de artifícios serão vendidos no Parque de Exposições, informa vereadora
Feira de Santana

Fogos de artifícios serão vendidos no Parque de Exposições, informa vereadora

A vereadora explicou que apenas os comerciantes já aptos para a comercialização dos fogos, serão instalado...

Secretário municipal de Desenvolvimento Social Ildes Ferreira morre aos 70 anos
Feira de Santana

Secretário municipal de Desenvolvimento Social Ildes Ferreira morre aos 70 anos

Natural da cidade de Valente (BA), o secretário Ildes era professor da Universidade Estadual de Feira de Sant...

Vídeo

Grupo lança clipe de música finalista do festival Vozes da Terra Veja mais Vídeos ›

Podcast

Defensoria Pública discute orçamento participativo com a sociedade civil
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram