Acorda Cidade - Dilton Coutinho

26 de Janeiro de 2022
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Polícia

Todas as notícias
Publicado em 09/04/2018 16h42.

PM elucida morte de policial em 2016 e Civil vai reabrir investigação

De acordo com o delegado Fabrício Linard, novos elementos vieram à tona, após um auto de resistência.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
PM elucida morte de policial em 2016 e Civil vai reabrir investigação
Foto: Ney Silva / Acorda Cidade (Arquivo)

Daniela Cardoso 

Atualizada às 18:31

A Polícia Civil de Feira de Santana vai solicitar a reabertura do inquérito que investiga o assassinato do policial militar José Jardel Lima Santos, que foi encontrado morto, dentro do porta-malas de um veículo na extensão da Avenida Fraga Maia, nas proximidades do Conjunto João Paulo II, em Feira de Santana, em junho de 2016.

De acordo com o delegado Fabrício Linard, novos elementos vieram à tona, após uma troca de tiros, no bairro Parque Ipê no último dia 02, entre a Polícia Militar e José Francisco Santos de Jesus, 24 anos, suspeito de ser o autor do assassinato do policial. O suspeito morreu no confronto e, ao ser ouvida na delegacia, a companheira dele informou detalhes do homicídio que vitimou o policial Jardel.

“A companheira dele foi levada para a Delegacia de Homicídios para prestar depoimento sobre como ocorreu esse confronto. Após alguns detalhes, conseguimos descobrir e elucidar em parte o caso do soldado Jardel. Segundo ela, o companheiro teria sido o autor desse crime e teria passado detalhes para ela de como tudo ocorreu. Ela guardou essa informação e só falou agora, após a morte dele”, informou o delegado.

Segundo Linard, a morte do policial foi um caso com muitas linhas de investigação e o inquérito foi remetido à justiça em julho do ano passado. Em novembro, o Ministério Público pediu o arquivamento e agora, com as novas evidências, a Polícia Civil vai pedir o desarquivamento.

Ele informa que a polícia já ouviu nesta semana várias pessoas e novos elementos surgiram, inclusive apontando o motivo do crime, que teria sido praticado por José Francisco Santos de Jesus, com envolvimento de duas mulheres.

“Ouvimos uma testemunha, além de outros elementos averiguados, e apontam que duas mulheres, que tinham uma relação comercial com Jardel e eram devedoras do mesmo, teriam armado essa morte para extinguir esse débito. A esposa do policial foi uma pessoa investigada na época crime, mas agora esclarecemos que ela nada teve a ver”, destacou.

O delegado Fabrício Linard informou ainda que devido à situação em que o corpo foi encontrado, enrolado com um lençol no porta-malas de um veículo, a polícia acredita que mais de uma pessoa está envolvida na prática do homicídio.

“As informações que temos é que ele teria agido junto com essas duas mulheres. Elas já foram identificadas, já foram trazidas até a delegacia na terça-feira, onde foram ouvidas. Elas negam o envolvimento, mas vários elementos apontam para as mesmas. Os últimos sinais de celular dele apontam para o bairro onde uma delas mora e elas confirmaram que ele esteve lá. Tudo indica que o crime foi praticado a mando das duas suspeitas. Agora estamos à procura da arma da vítima”, informou.

O confronto

Segundo o sargento Brito, da Peto 66, da 66ª Companhia Independente da Polícia Militar, a guarnição estava fazendo rondas ostensivas pelo bairro, quando foi solicitada pela companheira do suspeito que reportou que ele estava a agredindo há dias e havia lhe ameaçado com uma arma.

Ainda segundo o sargento, ao chegar à residência do casal, a polícia foi recebida a tiros e revidou. José Francisco Santos de Jesus foi baleado e chegou a ser socorrido para o Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), mas não resistiu. Na ação a polícia apreendeu com José Francisco um revolver calibre 32, duas balanças precisão e uma quantidade de dolões de maconha.

“Após o acontecido a mulher dele nos relatou alguns fatos do crime contra o policial José Jardel Lima Santos com riqueza de detalhes e o acusa de ter sido o autor do assassinato, que, segundo ela, foi a mando. Agora a Polícia Civil vai se empenhar para dar continuidade a investigação desse caso” afirmou o sargento Brito.
 

Com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade.

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Guarda Municipal frustra assalto em loja na Rua Desembargador Filinto Bastos
Feira de Santana

Guarda Municipal frustra assalto em loja na Rua Desembargador Filinto Bastos

Um comerciante da área presenciou o ato criminoso e se deslocou até a Seprev.

Homem morre após troca de tiros e dois são presos no bairro Asa Branca em Feira de Santana
Polícia

Homem morre após troca de tiros e dois são presos no bairro Asa Branca em Feira de Santana

O fato ocorreu após chamado do Centro Integrado de Comunicação – Cicom/190, sobre a presença de homens ar...

Sindicato diz que Conjunto Penal de Feira vive surto de Covid-19 e falta de policiais penais
Feira de Santana

Sindicato diz que Conjunto Penal de Feira vive surto de Covid-19 e falta de policiais penais

Caso o número de contaminados aumente, as visitas serão suspenas.

Vídeo

Proprietários de terrenos em Feira de Santana que permitirem descarte incorreto de lixo, serão multados Veja mais Vídeos ›

Ouça Agora

Programa desta quarta-feira 26.01.22:
Mais áudios ›

Facebook

Instagram