Acorda Cidade - Dilton Coutinho

15 de Dezembro de 2019
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Polícia

Todas as notícias
Publicado em 22/02/2018 13h15.

Necropsia de adolescente assassinada não constatou estupro nem gravidez; polícia aguarda novos exames

Sobre o laudo da causa da morte, o delegado disse que o DPT identificou que Bruna foi morta por sufocamento, ou seja, foi asfixiada.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Necropsia de adolescente assassinada não constatou estupro nem gravidez; polícia aguarda novos exames
Foto: Arquivo Pessoal

Rachel Pinto

O laudo do exame da necropsia do corpo da adolescente de Serra Preta, Bruna Santana Mendes, de 16 anos, que estava desaparecida desde domingo (18), em Feira de Santana, e foi assassinada, não constatou crime de violência sexual nem gravidez.

Segundo o delegado Fabrício Linard, titular da Delegacia de Homicídios, novos exames ainda serão feitos, e a Polícia Civil continua com as investigações em busca de mais informações. Ele disse também que estão sendo realizadas várias diligências no intuito de esclarecer o que aconteceu com a jovem. Já existem algumas linhas de investigação para chegar à autoria do crime.

Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade

“O Departamento de Polícia Técnica (DPT) informou que no tocante à gravidez, macroscopicamente, não foi possível constatar a gestação. Não foi encontrado um feto no útero da garota, mas não se descartou 100% a possibilidade da gravidez de Bruna, porque uma gestação de poucas semanas é possível que exista, mas apenas o resultado do exame laboratorial é que vai poder nos dar essa certeza. O exame de necropsia foi realizado ontem e até pelo fato do estado avançado de decomposição, o médico afirmou que não é possível afirmar se ela sofreu violência sexual. Devemos aguardar as respostas técnicas e já foi feita a coleta de material da mesma para a realização dos exames laboratoriais”, afirmou Fabrício Linard ao Acorda Cidade.

Bruna foi sufocada 

Sobre o laudo da causa da morte, o delegado disse que o DPT identificou que Bruna foi morta por sufocamento, ou seja, foi asfixiada e é possível que o crime tenha sido praticado por dois ou três autores.

“Independente da perícia, temos a convicção de que o corpo foi deixado no local na madrugada do domingo para segunda-feira porque temos informações que já na segunda-feira pela manhã esse saco tinha sido visto, mas não tinha chamado a atenção de que poderia ter um corpo”, acrescentou.

Sobre as informações que estão circulando em redes sociais, o delegado comentou que podem ajudar, como também podem atrapalhar o trabalho de investigação. A polícia está filtrando as informações que realmente procedem. Foi divulgado que o namorado de Bruna esteve em uma casa noturna da cidade no domingo e a Polícia Civil confirmou esse fato.

“Uma das jovens que trabalha na casa noturna confirmou a presença dele. Eles conversaram acerca do trabalho dela. Mas, ele não tinha dinheiro. Ela negou que tenha tido conversa sobre aborto e remédio abortivo”, ressaltou.

Sacos onde estavam o corpo da adolescente 

Fabrício Linard também esclareceu ao Acorda Cidade a polêmica divulgada nas redes sociais e na mídia de forma geral de que, após realizar o levantamento cadavérico, a polícia não recolheu os sacos onde estavam o corpo da adolescente. Ele ressaltou que assim que essa falha foi percebida, o DPT recolheu o material.

“Foi um lapso de momento e uma equipe da TV fez imagens logo após o DPT ter saído. Cientes dessa falha entramos em contato com o DPT e os sacos foram apreendidos e encaminhados para a perícia para fazer exames, pois eles podem nos levar a informações sobre o crime”, declarou.

A Polícia Civil está analisando imagens das câmeras do shopping e de outros locais no sentido de traçar o caminho percorrido por Bruna até chegar ao local do crime.

O delegado Fabrício Linard reforçou que quem tiver alguma informação sobre o fato pode fazer uma denúncia anônima através do Centro Integrado de Comunicação (Cicom) e também entrando em contato com a delegacia. Todas as informações serão averiguadas para que o homicídio seja esclarecido.

Desaparecimento

Bruna Santana Mendes é da cidade de Serra Preta e estava hospedada na casa de parentes, na Rua Porto Seguro, bairro Jardim Cruzeiro, em Feira, e foi vista pela última vez no Boulevard Shopping. Bruna estava vestindo blusa branca de manga comprida, saia rosa e calçando tênis.

Segundo familiares, um primo levou a garota ao cinema para ela se encontrar com o "namorado" e ao retornar para buscá-la não conseguiu encontrá-la. O rapaz que estava com Bruna informou que ao se desencontrar com o primo, ela pegou um motoboy e retornou para casa.


O crime

De acordo com a delegada Ludmila Vilas Boas, que presidiu o levantamento cadavérico, o corpo estava em estado avançado de putrefação indicando que, provavelmente, já tem alguns dias que a jovem foi morta. O corpo foi encontrado desnudo, vestindo apenas calcinha e tênis, o que levantou a suspeita da polícia de que houve crime sexual antes da morte. A bolsa da jovem foi encontrada próximo ao corpo.

Com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade.

Leia também: 'Era uma criança com tudo pela frente', diz pai de garota assassinada em Feira de Santana

Namorado de garota encontrada morta está sendo amaçado de morte, diz mãe do adolescente

Garota que estava desaparecida é encontrada morta; polícia suspeita de estupro

Adolescente de Serra Preta está desaparecida desde a tarde de domingo em Feira de Santana

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Polícia Civil do Paraná resgata 19 cães em rinha de SP; churrasco com carne de cachorro era servido
Polícia

Polícia Civil do Paraná resgata 19 cães em rinha de SP; churrasco com carne de cachorro era servido

De acordo com a Polícia Civil, médicos, veterinários, um policial militar e cinco estrangeiros estão entre...

Sete corpos são encontrados em caçamba de caminhão no Rio
Polícia

Sete corpos são encontrados em caçamba de caminhão no Rio

Mortos seriam suspeitos de tráfico, segundo polícia, que apura circunstâncias das mortes. Fim de semana foi...

Mulher é detida por exercício ilegal da medicina
Polícia

Mulher é detida por exercício ilegal da medicina

De acordo com as investigações, a mulher cursou medicina na Bolívia e exercia a função no Brasil, sem as ...

Vídeo

Aluno da UFRB é acusado de racismo por recusar documento de docente negra Veja mais Vídeos ›

Podcast

Ouça o Programa desta sexta-feira 13.12:
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram