Acorda Cidade | Dilton Coutinho | Portal de notícias de Feira de Santana - Bahia

19º 27º Feira de Santana
24 de maio de 2018

Notícias

Esportes

Empregos

Lazer

Especial

Todas as notícias Ciência e Tecnologia

Nasa desenvolverá comida feita de urina e fezes para astronautas

13/02/2018 10h15
Cientistas garantem que alimento é seguro para a saúde.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Nasa desenvolverá comida feita de urina e fezes para astronautas
Foto: Reprodução/Nasa

Acorda Cidade

A Nasa planeja elaborar um alimento feito a partir das fezes e urina dos astronautas. O método, desenvolvido pela Universidade da Pensilvânia, promete transformar dejetos humanos em uma biomassa comestível. Segundos os pesquisadores, isso é possível graças a reações microbianas e o objetivo da criação é viabilizar alimentação em longas missões espaciais.

"É um conceito um pouco estranho", admite Christopher House, professor de Geociências na Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos. 

O projeto, financiado pela Nasa, foi encomendado para que os astronautas possam garantir alimento por meses ou anos, sem ocupar muito espaço de armazenamento nos foguetes. Segundo a agência espacial americana, o transporte de alimentos para viagens longas, como a Marte, por exemplo, ocuparia espaço de armazenamento em excesso, aumentando o peso da espaçonave, o que implica em maior necessidade de combustível, o que torna a missão complicada de ser executada.

Caso o alimento seja desenvolvido, House afirma que o problema estará resolvido e, de quebra, outra questão será sanada. Atualmente, os tripulantes da Estação Espacial Internacional reciclam parte da água da sua urina, o que exige um alto consumo de energia, e lançam suas fezes no espaço. Isso não aconteceria mais.

"Testamos o conceito de simultaneamente tratar os resíduos dos astronautas com micróbios, (para) produzir uma biomassa comestível direta ou indiretamente, dependendo das preocupações com a segurança (alimentar)", diz o pesquisador em um comunicado divulgado por sua universidade.

A Universidade garante que o alimento é seguro e não trará mal à saúde, já que os micróbios responsáveis pela transformação serão criados em ambientes alcalinos ou de altas temperaturas, impedindo a proliferação de doenças.
 

Fonte: Correio 24h

É muito importante a sua participação. Envie para nós a sua sugestão de correção.



É muito importante a sua participação. Em breve entraremos em contato.



Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Veja também



PodCast

Prefeito e presidente da Câmara avaliam concurso realizado neste domingo (20)

mais podcast ›

Videos

Contra aumento da gasolina, vereador comparece a sessão montado a cavalo