Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • Secom BA aqui é trabalho
  • Secom BA aqui é trabalho
16 de Fevereiro de 2019
Dólar: R$ 3,84 Euro: R$ 4,39
-17º -17º Feira de Santana
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Feira de Santana

Todas as notícias
Publicado em 29/08/2015 13h26.

Grupo realiza nova manifestação em defesa das árvores da Getúlio Vargas

Durante o protesto, os defensores das árvores da Getúlio também reivindicaram o cumprimento de artigos do Estatuto das Cidades e da Política de Mobilidade Urbana.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Grupo realiza nova manifestação em defesa das árvores da Getúlio Vargas
Fotos: Ed Santos/Acorda Cidade

Andrea Trindade

Dando continuidade à série de ações para evitar a derrubada das árvores na Avenida Getúlio Vargas e pela discussão de melhorias da mobilidade urbana diretamente com a população, um grupo formado por várias entidades, realizou, na manhã deste sábado (29), mais uma manifestação no centro de Feira de Santana.

Os membros se concentraram em frente à prefeitura municipal e em seguida bloquearam o cruzamento da Avenida Getúlio Vargas com a Senhor dos Passos. Para eles, além de retirar árvores que vivem há muitos anos na avenida, o projeto do BRT (Trânsito Rápido de Ônibus), não supre a demanda da população que usa o transporte coletivo.

Durante o protesto, os defensores das árvores da Getúlio também reivindicaram o cumprimento de artigos do Estatuto das Cidades (10.257/01) e da Política de Mobilidade Urbana (12.587/12).

Em entrevista ao vivo no programa Acorda Cidade deste sábado, a representante do Movimento Negro Unificado (MNU/Feira), Karine Teixeira, defendeu a preservação das árvores, por questões ambientais, históricas e culturais da cidade.

Na oportunidade ela divulgou o manifesto: “Não à derrubada das árvores e por uma real mobilidade”. O documento, assinado por diversas associações e entidades, mostra posição contrária ao projeto BRT no centro da cidade e reivindica o direito de decidir que tipo de desenvolvimento a população quer para nossa cidade.


Leia na íntegra

NÃO À DERRUBADA DAS ÁRVORES E POR UMA REAL MOBILIDADE

Diante da proposta de se derrubar as árvores da Avenida Getúlio Vargas e Maria Quitéria, em Feira de Santana, um clima de tensão tem se instalado entre os moradores da cidade e os representantes do poder público. Quem tem acesso a fotos antigas dessas avenidas, pode ter uma noção de quanto tempo essas árvores estão por ali, são árvores de variadas espécies desde Ipês, Flamboyant até algumas que estão ameaçadas de extinção, como é o caso do Ipê Roxo.

As Avenidas Getúlio Vargas e Maria Quitéria vêm sendo utilizadas pela população feirense de várias formas. Grupos político-culturais fincaram raízes naqueles canteiros; caminhadas, corridas e outros exercícios físicos são praticados ao ar livre. O espaço Marcus Moraes bem como a praça de alimentação e a pista de skate, tem sido uma das poucas opções de lazer oferecidas pela cidade para a população local. Além disso, praças como a João Pedreira e a da Bandeira, são espaços que ajudam a contar a história e tradição da cidade. O espaço também é usado por trabalhadores de vários setores, como os sapateiros e os que trabalham nas bancas de revistas e quiosques.

A proposta de desmatamento anda na contramão dos investimentos e acordos internacionais firmados, inclusive pelo governo brasileiro, em defesa do meio ambiente.

O que a cidade precisa e o que nós queremos é a construção de um projeto de mobilidade urbana realmente democrático, o que só pode ser feito a partir do diálogo entre a sociedade civil e o poder público, isto é, por meio da criação de um Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) que viabilize a construção de alternativas que atendam de fato a maior parte da população. Vale salientar que a questão da mobilidade urbana, não atinge somente quem utiliza o transporte público, já que os engarrafamentos ainda serão um grande problema no centro da cidade, além do que a proposta colocada pelo Prefeito José Ronaldo de Carvalho não beneficiará aqueles que realmente necessitam do transporte coletivo, afinal os bairros de periferia, tais como Mangabeira, Tomba, George Américo, Campo Limpo, Viveiros, Novo Horizonte, Fraternidade, Conceição II, Sítio Matias, Campo do Gado, Asa Branca, Papagaio, Lagoa Subaé ficariam bem distantes e não seriam, portanto, atendidos pelo sistema BRT (Transporte Rápido por Ônibus) construído na Avenida Getúlio Vargas.

Por tudo que foi dito e pelo fato de entendermos que essas árvores são a representação também de nossa história, por nós e pelas novas gerações, viemos através desse documento reivindicar o direito de decidir que tipo de desenvolvimento queremos para nossa cidade. Pela saúde sócio ambiental de nossa cidade, pela manutenção dos espaços de cultura, por uma questão de saúde pública, pelo sentimento de pertencimento, pela preservação dos monumentos históricos, pela mobilidade urbana sustentável e pelo bem viver, dizemos não ao BRT!
Assinam este documento:

1. ADUFS – Associação dos Docentes da Universidade Estadual de Feira de Santana

2. ASSAN – Associação Esportiva Recreativa e Cultural (Jardim Cruzeiro)

3. Associação Cultural Dois Antônio Capoeira
4. Associação de Moradores do Caseb – Centro Social Nossa Senhora de Fátima
5. Associação Rural de Moradores da Mantiba
6. Associação do Centro Cultural-Desportivo – Afoxé Filhos da Luz
7. Centro de Pesquisa de Religião (CPR – UEFS)
8. Coletivo de Mulheres de Feira de Santana
9. Coletivo Juntos! 10. Coletivo SerTão Livre
11. Feira Movimento
12. FENACAB – Federação Nacional do Culto Afro-Brasileiro
13. FRENEFE – Frente Negra Feirense
14. Grupo de Capoeira Angoleiros do Sertão
15. Grupo de Pesquisa RIZOMA/UEFS 16. Grupo Griô de Capoeira
17. Ilê Axé de Pai Cesar – Tapetara
18. Labelu – Laboratório de História e Memória da Esquerda e das Lutas Sociais (Uefs)
19. Malungo Centro de Capoeira Angola
20. MNU/Feira – Movimento Negro Unificado
21. MOMDEC – Movimento de Organização de Mulheres em Defesa da Cidadania
22. Nennuefs – Núcleo de Estudantes Negras Negros da Uefs
23. Nudes – Núcleo Interdisciplinar de Estudos sobre Desigualdade na Saúde
24. Pastoral da Juventude
25. Rede de Mulheres Negras de Feira de Santana
26. Sindicelpa- Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Papel do Estado da Bahia.
27. Sindpetro – Sindicato dos Petroleiros da Bahia
28. Terreiro de Mãe Tânia de Oxóssi – Alto do Papagaio
29. Sindborracha – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Artefatos de Borracha de Pneumáticos do Estado da Bahia
30. Campo Nacional de Juventude Pajeú Resistência em Movimento
 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Feira de Santana

Defensoria de Feira funcionará em regime de plantão do dia 18 a 21 de fevereiro

O funcionamento durante este período de plantão será das 08 às 12 horas, e das 14 às 18 horas.

Secretaria afasta equipe do Samu que levou corpo de industriário para casa da família após exame de endoscopia
Feira de Santana

Secretaria afasta equipe do Samu que levou corpo de industriário para casa da família após exame de endoscopia

Uma sindicância vai apurar a conduta da equipe do Samu no caso.

Centro de Convivência Dona Zazinha reinicia atividades no dia 18
Feira de Santana

Centro de Convivência Dona Zazinha reinicia atividades no dia 18

A coordenadora do Dona Zazinha, Tilda Brasileiro, revela que este ano o equipamento está ampliando o número ...

Vídeo

Vídeo mostra matadores chegando de carro para cometer crime em Feira Veja mais Vídeos ›

Podcast

Temperatura em fevereiro deve continuar alta, afirma coordenadora da estação climatológica
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram