Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • Desenbahia Mulher
  • Desenbahia Homem
  • Desenbahia Homem
16 de Novembro de 2018
Dólar: R$ 3,71 Euro: R$ 4,26
23º 32º Feira de Santana
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Educação

Todas as notícias
Publicado em 30/04/2015 12h50.

Professores fazem manifestação em frente a prefeitura

Durante o protesto, que faz parte de uma mobilização nacional e contou com professores de outras cidades da Bahia, os profissionais realizaram uma caminhada pela Avenida Getúlio Vargas.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Professores fazem manifestação em frente a prefeitura
Foto: Paulo José/Acorda Cidade

Daniela Cardoso 

Professores das redes estadual e municipal realizaram um protesto em frente a prefeitura de Feira de Santana durante a manhã desta quinta-feira (30) contra a PL 4330 (PL das Terceirizações) e o reajuste do governo do estado para os professores da rede estadual, que ainda não foi liberado. Durante o protesto, que faz parte de uma mobilização nacional e contou com professores de outras cidades da Bahia, os profissionais realizaram uma caminhada pela Avenida Getúlio Vargas.

Marlede Oliveira, que faz parte da APLB Sindicato de Feira, afirmou que essa é uma manifestação vitoriosa. De acordo com ela, participaram do protesto professores dos municípios de Ipirá, Irará, Santo Estevão, Itatin, Rafael Jambeiro, Antônio Cardoso, Coração de Maria, Ipecaetá e Anguera.

“Hoje é um dia de paralisação nacional. Os trabalhadores ouviram o chamado da nossa entidade e estão aqui presentes para que a gente diga que não aceitamos o reajuste que o governo do estado mandou para a assembeia, que é de 6,41%, parcelado para março e novembro. Nós também queremos que os prefeitos de toda a Bahia cumpram a lei do piso e a reserva da carga horária”, afirmou.

Além disso, de acordo com Marlede, a categoria protestou contra a lei da terceirização e a forma como a educação no Brasil é tratada. “Estamos aqui em repúdio a aqueles que querem tirar os direitos adquiridos, pois essa lei da terceirização é a volta da escravidão. Se essa lei passar, as empresas vão contratar professores e não vão mais querer fazer concurso. Com isso, os direitos trabalhistas serão diferenciados”, destacou.

As informações são do repórter Paulo José do Acorda Cidade 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Saiba como é corrigida a prova de redação do Enem 2018
Educação

Saiba como é corrigida a prova de redação do Enem 2018

Redação foi realizada no primeiro dia de avaliações

Educação

Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23

Segundo o FNDE, o prazo foi estendido para que nenhum estudante com contrato a ser renovado fique de fora.

Promotor de Justiça detalha processo de municipalização das escolas; confira a lista
Educação

Promotor de Justiça detalha processo de municipalização das escolas; confira a lista

O Ministério da Justiça está acompanhando o processo para que o alunado não seja prejudicado.

Vídeo

Silvio Santo assedia Claudia Leitte no Teleton Veja mais Vídeos ›

Podcast

Classes hospitalares são inauguradas em dois hospitais em Feira de Santana
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram