Acorda Cidade - Dilton Coutinho

25 de Setembro de 2021
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Arquivo (Polícia)

Todas as notícias
Publicado em 01/08/2014 12h09.

Acusado de matar empresário feirense nega acusações

Segundo o advogado Jair Almeida, que foi constituído para a defesa de Gregório, no momento do crime o acusado estava na praça da Matriz.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Acusado de matar empresário feirense nega acusações
Ed Santos/Acorda Cidade

Daniela Cardoso

Gregório dos Santos Teles, apontado pela polícia como autor e mentor do assassinato do empresário Gil Marques Porto Neto, no dia 21 de maio deste ano, nega a participação no crime. Segundo o advogado Jair Almeida, que foi constituído para a defesa de Gregório, no momento do crime o acusado estava na praça da Matriz.

“Ele foi taxativo ao dizer que não participou desse homicídio. Ele não foi autor e nem mentor. No dia do crime, Gregório disse que estava na praça da Matriz, de onde saiu por volta das 19h30 indo direto para casa. Na região da praça tem câmeras de segurança e a versão dele pode ser confirmada”, disse o advogado.

Leia também:

Venda de terreno teria motivado morte de empresário em Feira de Santana, diz polícia

Suspeitos de envolvimento na morte de empresário são apresentados na delegacia

Caso Gil Porto: polícia elucida assassinato e investiga esquema de venda ilegal de terrenos

Sobre a escritura encontrada na casa de Gregório, o advogado Jair Almeida informou que não pode comentar com toda a certeza, já que não teve acesso a ela, mas que provavelmente seja do mesmo terreno vendido por Gil Porto Neto.

(Advogado Jair Almeida)

“Gregório disse que por três oportunidades esteve com o Gil para conversar sobre o terreno e que, inclusive, da última vez, ele reconheceu a escritura do Gil como verdadeira e que a partir daquele momento deixaria essa história pra lá. Gregório não chegou a vender esse terreno, apesar de ter colocado a placa de venda, justamente por interferência do empresário”, informou.

Ainda segundo o advogado, Gregório teria informado que em um desses encontros com Gil, eles alteraram a voz, mas que não houve ameaça. Jair Almeida afirma que a escritura foi feita em um cartório, provavelmente, do distrito de Tiquaruçu e que não é falsa.

“A escritura é uma cessão de posse e é verdadeira. A aquisição do terreno, de acordo com o documento, foi das mãos de um homem chamado Joselito, que não me recordo o sobrenome”, disse.

As informações são do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Estados Unidos

Trump declara coronavírus uma emergência nacional

Decisão libera cerca de US$ 50 bi para combater a doença

Mundo

Ataque de homens armados a hotel de Burkina Faso deixa 20 mortos e 15 feridos

A Al Qaeda no Magrebe Islâmico reivindicou a autoria do ataque ao Hotel Splendid e ao café.

Juristas defendem penas alternativas em vez de prisão
Polícia

Juristas defendem penas alternativas em vez de prisão

O evento começou ontem (20) no Riocentro, centro de convenções do Rio de Janeiro. Estão previstos debates ...

Vídeo

Moradores da Rua Tupinambá reclamam de buraqueira e falta de drenagem Veja mais Vídeos ›

Ouça Agora

Programa desta sexta-feira 24.09:
Mais áudios ›

Facebook

Instagram