Acorda Cidade | Dilton Coutinho | Portal de notícias de Feira de Santana - Bahia

19º 35º Feira de Santana
24 de novembro de 2017

Notícias

Esportes

Empregos

Lazer

Especial

Todas as notícias Polícia

STF concede liberdade para acusados de matar empresário em Feira de Santana

13/10/2016 11h27
Segundo o advogado Péricles Novais, o ministro acatou pedido de liberdade dos réus uma vez que o caso, que já tem dois anos, nunca foi julgado.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
STF concede liberdade para acusados de matar empresário em Feira de Santana
Foto: Arquivo

Andrea Trindade

O Supremo Tribunal Federal (STF), através do ministro Marco Aurélio de Melo, concedeu liberdade provisória para os três acusados de envolvimento na morte do empresário Gil Marques Porto Neto, assassinado no dia 21 de maio de 2014, em Feira de Santana. O empresário conduzia um veículo BMW (placa OLF-2525) pelo Largo São Francisco, no bairro Kalilândia, quando foi morto a tiros.

Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade (arquivo)

Segundo o advogado Péricles Novais, o ministro acatou pedido de liberdade dos réus uma vez que o caso, que já tem dois anos, nunca foi julgado. No entando, o ministro não aceitou o pedido de anulação do processo. “O tempo da prisão e a falta de motivação da prisão preventiva deles tornou a prisão ilegal. O ministro do STF entendeu que não havia motivação para que a prisão deles acontecesse, consubstanciado a isso havia também o excesso prazal. Vamos apresentar as alegações finais, o juiz poderá ou não pronunciá-lo e vamos procurar sempre a verdade porque eles não foram os autores do fato”, explicou.

Serão libertados hoje Ailton Nascimento da Silva, cabo da Polícia Militar, conhecido como Careca, que estava preso no Batalhão de Choque, em Lauro de Freitas, e Eliomar Alexandre Rocha Nunes, conhecido como Bunda Branca, acusado de ser o executor do crime. Este estava preso no Conjunto Penal de Feira de Santana.

Continuará preso no conjunto penal por conta de outros processos, referentes à greve da Polícia Militar, o ex-agente penitenciário Gregório dos Santos Teles, apontado pelos investigadores como mandante do crime contra Gil Porto. Segundo o advogado, Gregório também foi “libertado” em relação ao assassinato e a Polícia Civil continua com a investigação.

André Novais e Pericles Novais Filho, advogados dos acusados (Foto: Aldo Matos/AcordaCidade).

O advogado disse ainda vai entrar com o pedido de relaxamento de prisão do ex-agente penitenciário e que o único fator que pesa contra eles é que as investigações foram acompanhadas pelo Ministério Público.

Leia também:

Empresário é morto a tiros dentro de carro em Feira de Santana

Polícia elucida assassinato de corretor e investiga esquema de venda ilegal de terrenos

Caso Gil Porto: acusado nega crime e diz que tem gente grande envolvida em morte

'Não há dúvidas da participação de Gregório na morte de empresário', afirma delegado

Acusado de matar empresário feirense pode ir a Júri Popular

Acusado de matar empresário é transferido para presídio de Salvador

 

Com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade
 

É muito importante a sua participação. Envie para nós a sua sugestão de correção.



É muito importante a sua participação. Em breve entraremos em contato.



Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Veja também

PodCast

SMT diz que reclamações sobre flanelinhas devem ser levadas ao Ministério Público

mais podcast ›

Videos

Vídeo emocionante mostra pai ouvindo voz da filha pela primeira vez