Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • SECOM
15 de Setembro de 2019
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Saúde

Todas as notícias
Publicado em 31/07/2012 16h56.

Criança com doença rara e alta capacidade cognitiva precisa de ajuda para fazer cirurgia

Com apenas dois anos, ele já conta os números até 100, conhece todas as letras do alfabeto, lê algumas palavras, conhece figuras geométricas.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Criança com doença rara e alta capacidade cognitiva precisa de ajuda para fazer cirurgia
Ney Silva/Acorda Cidade

Daniela Cardoso

Uma criança de dois anos que sofre de osteogêneses imperfeita, conhecida como ossos de vidro (doença rara caracterizada pela fragilidade óssea) precisa de ajuda para fazer uma cirurgia nas pernas
 
Ainda na barriga da mãe, a dona de casa Dionir Oliveira Medeiros Casaes, a criança sofreu fraturas. “Com quatro meses de grávida, na ultrassom deu para perceber as perninhas curtas, houve a necessidade de fazer a morfológica e percebemos que todos os membros dele eram curtinhos e que tinham sofrido fraturas”, disse a mãe que na primeira semana após o nascimento de Davi Luca Casaes Silva, de apenas dois anos,  descobriu qual era a doença do filho.
 
Dionir Oliveira contou que após o sétimo mês, o filho iniciou o tratamento. “No início foi muito difícil. Eu não podia amamentá-lo, ele não dormia durante a noite com muitas dores e sofreu muito nos primeiros seis meses, porque ele era bem molinho e poderia sofrer fraturas”.
 
De acordo com a mãe de Davi Luca, após os sete meses de vida ele começou a usar um medicamento de quatro em quatro meses no hospital das Clínicas em Salvador e outro remédio diariamente em casa. Ela afirma que houve uma melhora no desenvolvimento físico da criança, mas que enfrenta dificuldades para resolver o problema.
 
“A maior dificuldade é a viagem para Salvador. Ficamos quatro dias lá e dormimos no chão. As informações que temos dos médicos sobre a cirurgia são vagas. Cada médico diz uma coisa diferente e eu espero que alguém possa ajudar a transferir o tratamento do meu filho para o Hospital Estadual da Criança”, afirmou.
 
Alta capacidade cognitiva
 
Foto: Ney Silva/Acorda Cidade
 
Apesar das dificuldades locomotoras, Davi Luca tem boa capacidade cognitiva e intelectual. Atualmente Davi Luca frequenta uma creche, onde tem a oportunidade de se socializar com outras crianças. Dionir conta que ele sempre teve um grande poder de concentração, diferente das outras crianças, e que ele procura explorar isso.
 
“Ele já conta os números até 100, conhece todas as letras do alfabeto, lê algumas palavras, conhece figuras geométricas. Eu mesmo que ensino”, disse.
 
Fotos e informações do repórter  Ney Silva do programa Acorda Cidade

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Anvisa recebe contribuições para monitorar produtos para implantes
Saúde

Anvisa recebe contribuições para monitorar produtos para implantes

O objetivo da iniciativa é criar um painel eletrônico que permita a pesquisa de órteses e próteses e a com...

Aparelho portável facilita exames na retina
Saúde

Aparelho portável facilita exames na retina

O retinógrafo permite fazer o ‘upload’ (enviar informação para um computador remoto) da imagem para uma ...

Saúde

Pesquisa detalha distribuição dos subtipos do HIV no Brasil

Existem dois tipos de HIV, 1 e 2. O mais prevalente no Brasil é o tipo 1, o qual tem nove subtipos.

Vídeo

Semana Espírita reúne centenas de pessoas em Feira Veja mais Vídeos ›

Podcast

Ouça o Programa desta Sexta-Feira 13.09 (Parte 01):
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram