Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • Novo Glériston
  • SECOM
23 de Fevereiro de 2020
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Economia

Todas as notícias
Publicado em 18/01/2020 06h52.

Feriados em dias úteis podem gerar perda de R$ 20 bilhões este ano

Feriados em dias úteis podem gerar perda de R$ 20 bilhões este ano. Em 2020 só o feriado da Proclamação da República será em um domingo
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Feriados em dias úteis podem gerar perda de R$ 20 bilhões este ano
Foto: Agência Brasil

Acorda Cidade

Agência Brasil - À exceção das atividades econômicas ligadas ao turismo, o comércio nacional deve ter neste ano prejuízo de cerca de R$ 19,6 bilhões com os feriados que caem em dias úteis, 12% a mais que as perdas registradas em 2019, que ficaram em torno de R$ 17,4 bilhões. A estimativa foi divulgada nesta sexta-feira (17) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). A entidade diz que os feriados em dias úteis reduzem o nível de atividade do comércio que, por outro lado, pode enfrentar aumento dos custos de operação.

De acordo com o economista da CNC Fabio Bentes, por causa das horas extras que têm de ser pagas aos empregados, a folha de pagamento é a principal fonte dos prejuízos impostos ao comércio pelos feriados. "O peso relativamente elevado da folha de pagamentos na atividade comercial acaba comprimindo as margens de operação do setor” por causa do fechamento das lojas, ou da diminuição do fluxo de consumidores, disse Bentes. Ele acrescentou que isso acaba ocorrendo mesmo que as vendas sejam parcialmente compensadas nos dias imediatamente anteriores ou posteriores aos feriados.

Bentes destacou que o único feriado que não impactará o setor do comércio é o da Proclamação da República, em 15 de novembro, que cairá em um domingo.

Segundo a CNC, cada feriado diminui a rentabilidade média do setor do comércio, incluindo varejo e atacado, em 8,4%. Para os segmentos de hiper e supermercados, lojas de utilidades domésticas e de vestuário e calçados, que respondem, juntos, por 56% do emprego no varejo nacional, as taxas de perdas mensais atingem11,5%, 11,6% e 16,7%, respectivamente.

Os estados que tendem a concentrar 57% das perdas estimadas são São Paulo (menos R$ 5,62 bilhões), Minas Gerais (-R$ 2,09 bilhões), Rio de Janeiro (-R$ 2,06 bilhões) e Paraná (-R$ 1,42 bilhão).

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Greve não impacta preço dos combustíveis, diz Petrobras
Economia

Greve não impacta preço dos combustíveis, diz Petrobras

Presidente da estatal comentou os resultados financeiros da empresa

Arrecadação de impostos de R$ 174,9 bi é recorde para mês de janeiro
Economia

Arrecadação de impostos de R$ 174,9 bi é recorde para mês de janeiro

O valor é 4,69% maior que o registrado em 2019

Caixa anuncia financiamento imobiliário com juros fixos
Economia

Caixa anuncia financiamento imobiliário com juros fixos

Condições são válidas para imóveis residenciais novos e usados

Vídeo

Funcionários terceirizados do Fórum Filinto Bastos paralisam as atividades Veja mais Vídeos ›

Podcast

Ouça o Programa desta sexta-feira 21.02:
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram