Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • SECOM
20 de Julho de 2019
Dólar: R$ 3,84 Euro: R$ 4,39
-17º -17º Feira de Santana
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Economia

Todas as notícias
Publicado em 01/07/2019 19h14.

Aeroportos concedidos podem perder investimentos por causa de queda no número de passageiros nos terminais

Crise econômica contribuiu para a diminuição de passageiros e voos nos aeroportos; preocupação é que parte dos investimentos previstos nos contratos pode não ser viabilizada.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Aeroportos concedidos podem perder investimentos por causa de queda no número de passageiros nos terminais
Foto: Governo Federal | Aeroporto Viracopos

Acorda Cidade

O programa de concessão de aeroportos tocado pelo governo federal começou em 2011 e, atualmente, 10 terminais são administrados pela iniciativa privada, no país. De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), as concessões têm objetivo de atrair investimentos, ampliar a infraestrutura dos aeroportos e promover melhor atendimento e conforto para os passageiros.

No entanto, a crise econômica instalada no Brasil, nos últimos anos, contribuiu para a diminuição de passageiros e voos. Por isso, a preocupação é que parte dos investimentos previstos nos contratos de concessão pode não ser viabilizada pelas empresas.

É que há um dispositivo previstos nos contratos, chamado de “gatilho”, que condiciona a obrigatoriedade da realização de investimentos, por parte das concessionárias, ao volume de passageiros nos terminais. Ou seja, as empresas só serão obrigadas a ampliar os investimentos nos aeroportos se o número de passageiros superar um limite mínimo previsto.

O problema é que esse número mínimo de passageiros, que aciona o “gatilho”, foi determinado em momento de crescimento da economia, quando a quantidade de viajantes era maior em comparação ao que é hoje.

O aeroporto Viracopos, em Campinas (SP), por exemplo, foi concedido à iniciativa privada em 2012 e o contrato prevê a construção de uma nova pista de pousos e decolagens.

A empresa responsável pelo terminal deveria construir a pista quando o aeroporto atingisse movimentação média de 485 mil pessoas por ano. Hoje, o terminal tem movimento de pouco mais de 246 mil pessoas por ano. O governo federal previa que o “gatilho” fosse acionado a partir de 2030, mas, devido à crise, a estimativa foi revista e o tempo ampliado para 2038. O contrato de concessão termina quatro anos depois.

Em nota, a Anac informou que “o estrito cumprimento dos requisitos de investimentos", expostos nos contratos de concessão, não foram afetados com a “nova” realidade econômica do país. Além disso, pontua que o fato de não haver disparos dos chamados “gatilhos” contratuais é sinal de que os novos investimentos, como a nova pista de Viracopos, ainda não são necessários.

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Embargo dos EUA contra Irã afeta empresas brasileiras, diz Bolsonaro
Economia

Embargo dos EUA contra Irã afeta empresas brasileiras, diz Bolsonaro

O principal produto brasileiro vendido ao Irã é justamente milho em grãos.

Petrobras baixa gasolina em R$ 0,03 e diesel em R$ 0,04
Economia

Petrobras baixa gasolina em R$ 0,03 e diesel em R$ 0,04

Os valores passam a valer a partir de meia-noite desta sexta-feira(19)

Mais de 11 mil famílias pediram desligamento do Bolsa Família em 2019
Economia

Mais de 11 mil famílias pediram desligamento do Bolsa Família em 2019

Pedido geralmente é feito quando beneficiário consegue emprego formal

Vídeo

Cachorro destrói quarto da dona, deixa ela uma fera e viraliza; assista Veja mais Vídeos ›

Podcast

Moradores do bairro Campo Limpo reclamam da situação das ruas e fazem equilibrismo para não caírem na lama
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram