Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • SECOM - BAHIA AQUI É TRABALHO
22 de Novembro de 2019
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Mundo

Todas as notícias
Publicado em 17/06/2019 16h20.

Ex-presidente egípcio morre durante audiência em tribunal

Mursi falou diante do juiz por 20 minutos e desmaiou.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra

Acorda Cidade

Agência Brasil - O ex-presidente egípcio, Mohamed Mursi, 67 anos, morreu hoje (17) depois de ser vítima de um mal-estar no tribunal.

Segundo testemunhas, Mursi falou diante do juiz por 20 minutos e desmaiou. Ele chegou a ser levado para o hospital, mas não resistiu. Membro do movimento islâmico Irmandade Muçulmana, Mursi se tornou, em 2012, o primeiro presidente eleito da história do Egito.

O ex-presidente chegou ao poder um ano depois da Revolução do Nilo, desencadeada pela Primavera Árabe, que provocou a queda do ex-presidente Hosni Moubarak. Ele foi derrubado pelas Forças Armadas do país em julho de 2013, depois de uma série de manifestações populares. Com sua saída, o marechal Abdel Fattah el Sissi, seu ex-ministro da Defesa, tornou-se presidente do país.

Desde que chegou ao poder, el-Sissi conduziu uma repressão contra a oposição islâmica. Os anos que se seguiram ao golpe do Exército no Egito registravam uma série de ataques contra forças de segurança do governo, com centenas de policiais e militares mortos. Ocorreu também uma insurgência jihadista, principalmente no norte do Sinai.

Mohamed Mursi cumpria pena por ter ordenado a morte de manifestantes em 2012 e por espionagem a favor do Catar, com quem teria compartilhado diversos documentos confidenciais. Hoje (17), ele compareceria a uma outra audiência por conta de contatos suspeitos com o grupo palestino Hamas.

Turquia e Catar

O chefe de Estado turco, Recep Tayyp Erdogan, um dos principais aliados de Mursi, fez referências positivas ao ex-presidente egípcio, o chamando de “mártir”. As relações entre a Turquia e o Egito são praticamente inexistentes desde a sua destituição. “Como vocês sabem, o tirano el-Sissi tomou o poder no Egito acabando com a democracia de uma só vez, executando cerca de 50 egípcios. Ainda assim, o Ocidente continua silêncio”, disse.

O xeque do Catar, Tamin ben Hamad Al-Thani, também declarou “sua profunda tristeza”, depois da morte súbita de Mursi. 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Internacional

Cerca de 4 pessoas morrem em tiroteio na Califórnia; vítimas estavam em residência

Cerca de 35 pessoas, incluindo crianças, assistiam a um jogo de futebol na residência.

Internacional

Proibição do uso de máscaras em Hong Kong é declarada inconstitucional

A chefe do Executivo, Carrie Lam, impôs a proibição no mês passado com o objetivo de controlar violentos p...

Acqua alta

Maré alta volta a inundar Veneza

Cidade está 70% submersa, e Praça de São Marcos foi fechada

Vídeo

Superintendente de Operação Norte da Embasa esclarece sobre falta de água em Feira de Santana Veja mais Vídeos ›

Podcast

Ouça o Programa desta quinta-feira 21.11:
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram