Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • SECOM
20 de Julho de 2019
Dólar: R$ 3,84 Euro: R$ 4,39
-17º -17º Feira de Santana
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Mundo

Todas as notícias
Publicado em 17/06/2019 16h20.

Ex-presidente egípcio morre durante audiência em tribunal

Mursi falou diante do juiz por 20 minutos e desmaiou.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra

Acorda Cidade

Agência Brasil - O ex-presidente egípcio, Mohamed Mursi, 67 anos, morreu hoje (17) depois de ser vítima de um mal-estar no tribunal.

Segundo testemunhas, Mursi falou diante do juiz por 20 minutos e desmaiou. Ele chegou a ser levado para o hospital, mas não resistiu. Membro do movimento islâmico Irmandade Muçulmana, Mursi se tornou, em 2012, o primeiro presidente eleito da história do Egito.

O ex-presidente chegou ao poder um ano depois da Revolução do Nilo, desencadeada pela Primavera Árabe, que provocou a queda do ex-presidente Hosni Moubarak. Ele foi derrubado pelas Forças Armadas do país em julho de 2013, depois de uma série de manifestações populares. Com sua saída, o marechal Abdel Fattah el Sissi, seu ex-ministro da Defesa, tornou-se presidente do país.

Desde que chegou ao poder, el-Sissi conduziu uma repressão contra a oposição islâmica. Os anos que se seguiram ao golpe do Exército no Egito registravam uma série de ataques contra forças de segurança do governo, com centenas de policiais e militares mortos. Ocorreu também uma insurgência jihadista, principalmente no norte do Sinai.

Mohamed Mursi cumpria pena por ter ordenado a morte de manifestantes em 2012 e por espionagem a favor do Catar, com quem teria compartilhado diversos documentos confidenciais. Hoje (17), ele compareceria a uma outra audiência por conta de contatos suspeitos com o grupo palestino Hamas.

Turquia e Catar

O chefe de Estado turco, Recep Tayyp Erdogan, um dos principais aliados de Mursi, fez referências positivas ao ex-presidente egípcio, o chamando de “mártir”. As relações entre a Turquia e o Egito são praticamente inexistentes desde a sua destituição. “Como vocês sabem, o tirano el-Sissi tomou o poder no Egito acabando com a democracia de uma só vez, executando cerca de 50 egípcios. Ainda assim, o Ocidente continua silêncio”, disse.

O xeque do Catar, Tamin ben Hamad Al-Thani, também declarou “sua profunda tristeza”, depois da morte súbita de Mursi. 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Junho teve a maior temperatura já registrada para o mês no planeta
Mundo

Junho teve a maior temperatura já registrada para o mês no planeta

De acordo com a Organização das Nações Unidas, a OMM deve apresentar um relatório sobre o estado do clima...

Mundo

Incêndio criminoso deixa 33 mortos no Japão

Homem espalhou gasolina dentro do estúdio Kyoto

Mundo

Mais de 821 milhões de pessoas no mundo passaram fome em 2018

Subalimentação atinge 2,5% da população no Brasil, diz ONU

Vídeo

Cachorro destrói quarto da dona, deixa ela uma fera e viraliza; assista Veja mais Vídeos ›

Podcast

Moradores do bairro Campo Limpo reclamam da situação das ruas e fazem equilibrismo para não caírem na lama
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram