Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • SECOM
21 de Setembro de 2019
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Ciência e Tecnologia

Todas as notícias
Publicado em 03/05/2019 10h10.

Facebook bane extremistas de suas redes sociais

O banimento se aplica tanto à rede social Facebook quanto ao Instagram.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Facebook bane extremistas de suas redes sociais
Foto: Divulgação

Acorda Cidade

Agência Brasil - Numa tentativa de reduzir o conteúdo extremista em suas plataformas, o Facebook baniu vários extremistas americanos, conhecidos por seus discursos de ódio, e alegou que eles violaram sua proibição de "indivíduos perigosos".

Entre os banidos estão Alex Jones, radialista americano de extrema direita e teórico da conspiração, Louis Farrakhan, líder do grupo Nação do Islã, que é acusado de antissemitismo, e Milo Yiannopoulos, comentarista político britânico e ex-editor do site de extrema direita americano Breitbart News.

Também foram punidos Paul Nehlen, que concorreu como "candidato cristão branco" na eleição de 2018 para o Congresso dos Estados Unidos, Paul Joseph Watson, radialista britânico e teórico da conspiração, e Laura Loomer, ativista política que trabalhou como repórter da página canadense de extrema direita Rebel Media.

O banimento se aplica tanto à rede social Facebook quanto ao Instagram. As páginas de fãs (fanpages) e outras contas relacionadas também foram enquadradas na proibição, afirmou ontem (2) o Facebook.

Proibição

A medida faz parte de um esforço conjunto do gigante das redes sociais para remover indivíduos, grupos e conteúdos extremistas de sua plataforma. No mês passado, o Facebook baniu vários grupos britânicos de extrema direita – incluindo a Liga de Defesa Inglesa e o Partido Nacional Britânico – e instituiu uma proibição ao conteúdo nacionalista branco.

"Indivíduos e organizações que disseminam ódio, ou atacam ou pedem a exclusão de outro com base no que eles são não têm lugar no Facebook", afirmou a empresa.

Críticos elogiaram a decisão, mas disseram que mais precisa ser feito.

"Sabemos que continuam existindo outras figuras extremistas que ativamente usam ambas as plataformas para disseminar seu ódio e preconceito", disse Keegan Hankes, analista da Southern Poverty Law Center, uma organização que monitora grupos de ódio nos Estados Unidos.

O Facebook insistiu que sempre baniu contas e páginas que proclamam uma missão violenta ou odiosa ou estão envolvidas em atos de ódio ou violência, independentemente da ideologia política.

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Ciência

Estudo revela compostos que podem combater a tuberculose

Pelo estudo, a professora da UFF recebeu o prêmio PeerJ Award, durante o 8º Workshop da Rede Científica Int...

Mestranda da Uefs desenvolve bioinseticida que combate o aedes aegypti
Ciência

Mestranda da Uefs desenvolve bioinseticida que combate o aedes aegypti

O estudo produzido em condições laboratoriais, derivou na mortalidade de até 76,6% das larvas, por meio do ...

Contas de menores de 13 anos serão apagadas do Instagram
Tecnologia

Contas de menores de 13 anos serão apagadas do Instagram

Celebridades mirins como Enrico Bacchi, ou as crianças da família Poncio, José, João e Davi devem ser atin...

Vídeo

Senado Aprova (16/9 a 20/9) — O mais importante que o Senado aprovou na semana Veja mais Vídeos ›

Podcast

Ouça o Programa desta Sexta-Feira 20.09 (Parte 01):
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram