Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • SECOM BA METAS
  • SECOM G NEWS
26 de Maio de 2019
Dólar: R$ 3,84 Euro: R$ 4,39
-17º -17º Feira de Santana
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Saúde

Todas as notícias
Publicado em 14/03/2019 09h22.

Cresce número de brasileiros que recorrem ao 'Dr. Google' e médico faz alerta para riscos à saúde

O médico do Sistema de Saúde Hapvida, João Rodolfo Cavalcanti Andrade de Araújo, faz um alerta sobre essa prática.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Cresce número de brasileiros que recorrem ao 'Dr. Google' e médico faz alerta para riscos à saúde
Foto: Reprodução

Acorda Cidade

Ele não é clínico geral, sequer é formado em Medicina, mas vem ganhando a preferência da população brasileira quando o assunto é consulta sobre saúde. O “Dr. Google” é o primeiro a ser procurado por 26% dos brasileiros quando se deparam com algum problema na área. O levantamento foi realizado pelo próprio Google e aponta que o Brasil é o País em que as buscas referentes ao tema, mais cresceram no mundo no último ano. Porém, o médico do Sistema de Saúde Hapvida, João Rodolfo Cavalcanti Andrade de Araújo, faz um alerta sobre essa prática: com a mesma rapidez com que o “Doutor Google” responde às dúvidas, pode colocar a saúde das pessoas e de seus familiares em risco.

“É muito comum os médicos prescreverem medicamentos, por exemplo, para pacientes com diabetes. Prescrevem a medicação, discute a questão da alimentação, atividade física e faz todo o acompanhamento cuidadoso com base na vida daquele paciente. Aí vem uma vizinha e diz que tomou um determinado medicamento que viu na internet e ficou curada da diabetes, influenciando aquele que estava sendo acompanhado. Isso é grave, pois pode agilizar ainda mais o processo de avanço da doença, além de poder gerar um processo alérgico, por exemplo, levando-o à morte”, alerta o médico.

Para João Rodolfo, a internet é como uma ferramenta valiosa, desde que seja utilizada com critério. De acordo com ele, a falta de experiência das pessoas com temas relacionados à saúde pode levá-la a achar que tem uma doença grave, quando o problema não passa de uma virose. Ou também pode acontecer o contrário. “A pessoa pesquisa os sintomas e conclui que não é nada sério, que um chá resolve, ignorando algo que pode ser mais sério do que realmente parece”, completa.

Automedicação – Ele lembra ainda que a automedicação é um dos maiores perigos para quem recorre ao “Dr. Google” quando está doente. “Muitas pessoas se deixam levar pelas soluções divulgadas na internet para economizar ou porque acham o procedimento fácil. Mas não sabem tratar as complicações. Por isso, mais uma vez eu alerto para que procurem um profissional médico e evite a automedicação que pode levar a morte”, destacou.

O médico ressalta ainda que muitas pessoas não têm capacidade para interpretar as informações que estão na internet, por isso, o especialista aconselha a procurar sempre ajuda profissional. “Percebemos muitos pacientes chegando com uma carga de informações que não tinham antes. O médico é o profissional habilitado que sabe filtrar, através do estudo, livros, artigos científicos e por isso detém o saber sobre os melhores caminhos a seguir no diagnóstico e tratamento das doenças para cada paciente. É muito arriscado fazer as interpretações e tomar conclusões leigas”, afirmou.

Pesquisa – O levantamento feito pelo Google foi realizado com o objetivo de saber como os brasileiros pesquisam e consomem conteúdo de saúde na plataforma de busca e no YouTube, site pertencente ao mesmo grupo. O estudo mostrou que o índice de brasileiros que buscam o Google como primeira fonte de informação em casos de problemas de saúde já chega a 26%, próximo aos que buscam imediatamente um médico, com 35%.

A pesquisa revelou ainda que o Brasil é o País em que as buscas referentes à saúde mais cresceram no mundo no último ano. A alta também foi maior do que a média de buscas em outras categorias dentro do Brasil. Enquanto as pesquisas de saúde cresceram 17,3%, às de cuidados com cabelos aumentaram apenas 3%. As de maquiagem caíram 4%.

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Com salários atrasados, enfermeiras de hospitais estaduais podem interromper as atividades na próxima semana
Bahia

Com salários atrasados, enfermeiras de hospitais estaduais podem interromper as atividades na próxima semana

A presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Estado da Bahia disse que até o momento não há previsão do pa...

OMS elogia Brasil por exigir compensação a empresas de tabaco
Saúde

OMS elogia Brasil por exigir compensação a empresas de tabaco

Meta é recuperar os custos de saúde relacionados ao fumo.

Como a poluição do ar pode prejudicar a saúde do seu intestino
Saúde

Como a poluição do ar pode prejudicar a saúde do seu intestino

Pesquisadores identificaram poluentes como causas de Doenças Inflamatórias do Intestino (DII) na Europa e no...

Vídeo

Dia da Infantaria é comemorado em Feira de Santana Veja mais Vídeos ›

Podcast

Com menos dias de festa, prefeitura de Feira anuncia atrações dos festejos juninos
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram