Acorda Cidade - Dilton Coutinho

26 de Setembro de 2020
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Coronavírus (COVID-19) - Feira de Santana

Dilton e Feito

Todas as notícias
Publicado em 28/01/2019 17h46.

PGR denuncia Lúcio Vieira Lima por recebimento de R$ 1,5 milhão da Odebrecht

A denúncia parte de um desdobramento da Operação Lava Jato.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
PGR denuncia Lúcio Vieira Lima por recebimento de R$ 1,5 milhão da Odebrecht
Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

O deputado federal não reeleito Lúcio Vieira Lima (MDB-BA) foi denunciado por corrupção passiva pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda-feira (28). A denúncia parte de um desdobramento da Operação Lava Jato e se refere ao pagamento de R$ 1,5 milhão, feito pela Odebrecht ao parlamentar, em 2013. Como ele perdeu o foro privilegiado, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu a transferência dos autos para a Seção Judiciária do Distrito Federal. Na peça, a chefe do Ministério Público Federal (MPF) aponta que as "vantagens indevidas" foram dadas como contrapartidas específicas pela atuação de Lúcio no Legislativo. O parlamentar baiano contribuiu para a aprovação da Medida Provisória (MP) 613/2013 sobre o Regime Especial da Indústria Química (Reiq), tendo como consequência a desoneração fiscal para a aquisição de matérias-primas. De acordo com o órgão de justiça, isso beneficiou diretamente a Braskem, que pertence ao grupo Odebrecht. Segundo a denúncia, a renúncia fiscal foi de R$ 9,5 bilhões, de 2013 a 2015. "Bem por isso, os dirigentes da Odebrecht não mediram esforços criminosos para a obtenção desse benefício estatal", diz o texto. A investigação mostrou ainda que, no âmbito legislativo, ao menos R$ 6,4 milhões foram investidos em propina para garantir a conversão da MP em lei. De acordo com a denúncia, a Medida Provisória em questão foi enviada à Câmara no dia 8 de maio de 2013, mesmo dia em que Lúcio foi eleito presidente da Comissão Mista do Congresso Nacional. "Nessa condição, passou a exercer de fato e de direito diversas competências legislativas definidas no Regimento da Câmara dos Deputados: designar relator; realizar despachos das emedas de demais congressistas; convocar as reuniões e proferir o voto de minerva (desempate) nas deliberações", descreve a denúncia. Além de Lúcio, o presidente do grupo na época Marcelo Odebrecht e os executivos Cláudio Melo Filho, José de Carvalho Filho e Carlos José de Souza Filho também foram denunciados. No caso deles, a denúncia é por corrupção passiva, pela promessa e pagamento de vantagem indevida a Lúcio. As informações são do Bahia Notícias. 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Celso de Mello antecipa aposentadoria do STF
Brasil

Celso de Mello antecipa aposentadoria do STF

Ministro deve deixar a Corte no dia 13 de outubro

'Bolsonaro apresenta ótima evolução clínica', diz equipe médica
Brasil

'Bolsonaro apresenta ótima evolução clínica', diz equipe médica

Presidente fez cirurgia para retirada de cálculo na bexiga.

Justiça eleitoral é favorável a José Ronaldo em acusação de propaganda eleitoral antecipada
Eleições 2020

Justiça eleitoral é favorável a José Ronaldo em acusação de propaganda eleitoral antecipada

'O Ministério Público opinou pelo desacolhimento da pretensão autoral'

Vídeo

Trabalhadores do setor de eventos realizam ato pacífico no centro da cidade para pedir retorno das atividades Veja mais Vídeos ›

Facebook

Instagram