Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • Governo Sefaz
24 de Março de 2019
Dólar: R$ 3,84 Euro: R$ 4,39
-17º -17º Feira de Santana
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Saúde

Todas as notícias
Publicado em 08/01/2019 16h58.

Adoçante nem emagrece, nem melhora saúde, revela estudo

Em pesquisas menores, os cientistas encontraram poucas evidências de que o uso de adoçantes sem açúcar ajudou a reduzir os níveis de IMC e de açúcar no sangue
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Adoçante nem emagrece, nem melhora saúde, revela estudo
Foto: Reprodução

Redação iBahia

Não há diferenças significativas entre pessoas que consumiram adoçantes sem açúcar e aqueles que não consumiram, tanto em malefícios quanto em benefícios, como a perda de peso. Essa é uma das conclusões de uma pesquisas realizada por cientistas da Universidade Harvard, nos Estados Unidos. Foram analisados mais de 50 estudos sobre adoçantes. Os estudiosos analisaram doenças renais e cardiovasculares, câncer, índice de massa corporal (IMC), comportamento, humor, peso e outras variáveis.

Em pesquisas menores, os cientistas encontraram poucas evidências de que o uso de adoçantes sem açúcar ajudou a reduzir os níveis de IMC e de açúcar no sangue, mas não foi suficiente. Foram vistas também pequenas reduções no ganho de peso das pessoas que consumiram baixos níveis de adoçantes, mas a evidência era igualmente instável. Já no caso das crianças, os adoçantes artificiais reduziram ligeiramente o ganho de peso, mas não comprometeram o IMC. Em obesos e pessoas com sobrepeso, não havia boas provas de benefícios de adoçantes sem açúcar.

Apesar das conclusões, os pesquisadores disseram que é necessário ter cautela quanto às descobertas e conclusões. "Por exemplo, ensaios de nossos colegas Ruyter e Ebbeling, os maiores e mais rigorosos realizados até agora, fornecem fortes evidências de que a substituição de bebidas açucaradas por alternativas reduz o ganho de peso em crianças e adolescentes após um ano de acompanhamento", afirmou Vasanti S. Malik, da Escola de Saúde Pública de Harvard.
 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Rede Mater Dei vai construir hospital em Salvador; serão 4,5 mil empregos
Saúde

Rede Mater Dei vai construir hospital em Salvador; serão 4,5 mil empregos

A estimativa é que a Sedur libere o alvará de início das obras em 90 dias e que o hospital comece a funcion...

Saúde

Tuberculose mata 4.500 pessoas todos os dias no mundo

De acordo com a OMS, esforços globais para combater a doença salvaram 54 milhões de vidas desde o ano 2000 ...

Homens de 25 a 40 anos são público-alvo de campanha sobre tuberculose
Saúde

Homens de 25 a 40 anos são público-alvo de campanha sobre tuberculose

A tuberculose é uma doença infectocontagiosa que afeta principalmente os pulmões, mas também pode acometer...

Vídeo

Feira: estudantes fazem manifestações contra calor e cobram melhorias na estrutura de escolas estaduais Veja mais Vídeos ›

Podcast

Definidas atrações locais da Micareta 2019
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram