Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • Nota Premiada
  • Educa Mais Brasil
23 de Janeiro de 2019
Dólar: R$ 3,84 Euro: R$ 4,39
-17º -17º Feira de Santana
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Dom Itamar Vian

Todas as notícias
Publicado em 28/11/2018 15h55.

Por que um mosteiro?

'Onde estão os consagrados e consagradas, sempre há alegria'
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra

No próximo domingo às 10hs, será inaugurado, em Feira de Santana, o primeiro mosteiro das Irmãs Clarissas no estado da Bahia. Um oásis especial onde reina o silêncio, a oração, a humildade, a alegria e a paz. Uma verdadeira obra de Deus! As irmão vivem na clausura e no recolhimento.

Para que serve um mosteiro? Não seria melhor que essas mulheres trabalhassem em bairros humildes na educação ou nas missões. Não fariam muito mais cuidando de enfermos, de crianças e de pessoas idosas? O que fazem no mosteiro se há tanto por fazer lá fora, nas periferias sociais e existenciais? Essa vida faz sentido hoje? As irmãs podem ser felizes entre grades e paredes do mosteiro?

Ao entrar no mosteiro encontramos a resposta a essas perguntas. As primeiras impressões começam a invadir nossa alma e nos convidam a levantar as vistas para panoramas superiores, que se contrapõem às preocupações terrenas. Arcos rústicos e firmes parecem simbolizar a solidez dos princípios que regem o cotidiano das irmãs. As salas e as celas do mosteiro são marcadas pela simplicidade, visando facilitar a oração e a meditação.

O silência convida a esquecer o que ocorre fora do ambiente recolhido e bendito. Com palavras mudas, mas eloqüentes, o mosteiro parece dizer: Pare e contemple quanta coisa há de belo neste mundo sagrado que não são as preocupações do dia a dia, que não é o ter-ter, que não é o agir-agir. Mesmo entre muros e grades, as irmãs não presas, mas, totalmente livres das coisas do mundo. E vivem felizes porque colocam Deus sempre acima de tudo.

As irmãs Clarissas vivem enclausuradas no mosteiro, rezando, estudando e atendendo pessoas que desejam uma orientação humana, psicológica e espiritual. Boa parte do tempo é dedicado ao trabalho manual. Como pobres e sem renda fixa, trabalham para seu sustento. Fazem velas, círios pascais, paramentos litúrgicos e hóstias para a celebração de missas. Cultivam, também, um pomar e uma horta.

O papa Francisco afirma: “Quero dizer-vos uma palavra e a palavra é alegria. Onde estão os consagrados e consagradas, sempre há alegria. A alegria enche o coração e a vida dos que se encontram com Jesus Cristo”. Só mesmo quem visita um mosteiro pode compreender a alegria que reina lá dentro. Que Santa Clara, padroeira das Clarissas, proteja as irmãs e todas as pessoas que colaboraram na construção do mosteiro Imaculada Conceição da Mãe de Deus.

Dom Itamar Vian
Arcebispo Emérito
Feira de Santana

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Crônica

Medo de férias

O motivo está ligado a uma pressão silenciosa da sociedade sobre o trabalhador. É o medo de férias.

Crônica

O mundo vai acabar?

O mundo não é definitivo. Não devemos encarar essa verdade com medo, mas com esperança e fé.

Artigo

Os Três Reis Magnos

Dizem alguns eruditos que eles pertenciam a uma ordem religiosa e eram considerados, em seu país, como sacerd...

Vídeo

Câmera registra momento em que ônibus colide em van em Feira de Santana Veja mais Vídeos ›

Podcast

Rui garante nomeação de coordenadores pedagógicos
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram