Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • Governo Sefaz
23 de Março de 2019
Dólar: R$ 3,84 Euro: R$ 4,39
-17º -17º Feira de Santana
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Dom Itamar Vian

Todas as notícias
Publicado em 12/11/2018 09h35.

Educação Digital

No convívio familiar ou entre amigos, os relacionamentos são cada vez mais virtuais.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra

Certo dia um adolescente perguntou ao seu avô, que se encontrava lendo o jornal. O que o senhor usava quando não existiam as modernas máquinas de calcular, tabletes, computadores, smartphone? A cabeça, respondeu o avô. No convívio familiar ou entre amigos, os relacionamentos são cada vez mais virtuais.

ESSA GRACIOSA resposta de um homem que viveu na época das máquinas de escrever Remington, dos quadros-negros rabiscados de giz e das penas de aço mergulhadas no tinteiro, ilustra bem um tema muito discutido hoje no mundo da educação. Isso porque as gerações atuais, estão “submersas” desde tenra idade nos aparelhos digitais de comunicação, a ponto de quase podermos dizer que eles fazem parte indispensável de suas vidas. São os chamados “nativos digitais”.

A CADA dia a situação fica mais complexa. Não poucos educadores, nascidos e formados quando a tecnologia não havia ainda atingido seu desenvolvimento atual, encontram-se, numa situação nova e difícil, cheia de perplexidades, numa verdadeira encruzilhada educacional e até vivencial. A isso se soma que, as modernas tecnologias aumentem a velocidade, a quantidade e o alcance da comunicação, mas não favorecem de igual modo aquele intercâmbio frágil entre uma mente e outra, entre um coração e outro.

VIVEMOS, em conseqüência, na era do domínio dos tabletes, dos computadores, smartphone e outros modernos aparelhos digitais. Neste campo, o progresso da tecnologia é tão acelerado que, pouco tempo depois de ser posto à venda nas lojas, o produto “supernovo” já estará ultrapassado por outro “mais atualizado”. A sabedoria está no uso consciente, responsável e equilibrado deste útil e fascinante mundo da web.

OS EDUCADORES devem, portanto, ilustrar suas exposições de fotos, representações teatrais, etc., de forma a mostrar exemplos concretos em uma linguagem compreensível às crianças e aos jovens atuais. Devem entrar em diálogo com eles, conhecer suas preocupações e problemas, discernir suas apetências de alma. Na “civilização digital” a formação consiste mais do que tudo, na apresentação de modelos a imitar.

AFIRMAVA Paulo VI: “O homem contemporâneo escuta com mais boa vontade as testemunhas do que os mestres, ou então, se escuta os mestres, é porque eles são testemunhas”. O que move as pessoas são os tipos humanos, os testemunhos de vida. Eis a chave para a educação da juventude atolada nos instrumentos de comunicação digitais.

Dom Itamar Vian
Arcebispo Emérito
[email protected]

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Artigo

As lições de Suzano

O que Suzano nos faz pensar? Que lições podemos tirar desse acontecimento? .

Artigo

Caminhada do Perdão

O evento faz parte do calendário religioso da cidade e, sempre, é realizado no segundo domingo da Quaresma.

Artigo

Políticas públicas

O lema foi inspirado no versículo bíblico: “Serás libertado pelo direito e pela justiça”(Is, 1,27).

Vídeo

Feira: estudantes fazem manifestações contra calor e cobram melhorias na estrutura de escolas estaduais Veja mais Vídeos ›

Podcast

Dia da Felicidade
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram