Acorda Cidade - Dilton Coutinho

  • Secom BA aqui é trabalho
  • Secom BA aqui é trabalho
18 de Fevereiro de 2019
Dólar: R$ 3,84 Euro: R$ 4,39
-17º -17º Feira de Santana
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Polícia

Todas as notícias
Publicado em 11/10/2018 10h41.

Mãe presta queixa após comerciante agredir filha de 17 anos: 'Foi um crime de homofobia'

Adolescente estava parada no portão de uma casa quando homem apareceu e a agrediu com um cone.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Mãe presta queixa após comerciante agredir filha de 17 anos: 'Foi um crime de homofobia'
Foto: Paulo José/Acorda Cidade

Laiane Cruz

A mãe de uma adolescente de 17 anos prestou queixa no Complexo de Delegacias de Feira de Santana, no bairro Sobradinho, após a filha ter sido agredida por um comerciante com um cone. O caso ocorreu na última segunda-feira, por volta das 16h30, no bairro Gabriela.

A mãe da estudante informou em entrevista ao Acorda Cidade que a garota estava com mais três amigas passeando e foram comprar um sorvete. Ao retornarem para a casa de uma delas, a vítima teria ficado em pé no portão à espera das amigas, que entraram para pegar as mochilas, quando um homem apareceu e começou a agredir a jovem.

A mãe da adolescente acredita que o crime se tratou de homofobia, pois as garotas são homossexuais.
“Simplesmente ela estava passeando com mais três amigas, todas quatro são homossexuais. Foram comprar um sorvete, voltaram e ao chegar à residência de uma delas, elas entraram para pegar a mochila e minha filha ficou do lado de fora, porque já estava com a mochila, quando um senhor apareceu, perguntou por um cone que estava na casa ao lado, minha filha informou que não sabia do que se tratava, pois ela não morava lá. Ele então pegou o cone e começou a golpeá-la na cabeça e em vários locais”, informou a mãe.

Ela contou que, quando a filha estava quase desmaiando, percebeu que o portão da casa estava aberto, conseguiu correr e entrar na casa. Então a mãe da colega que estava na residência e a vizinha saíram perguntando a respeito do agressor, até que localizaram o estabelecimento dele, que fica duas ruas após a casa onde a agressão ocorreu.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

“Quando foi perguntado ao homem por que ele agrediu a menor, ele simplesmente disse que ela sabia por que estava apanhando. Então pra mim, claramente, isso foi um crime homofóbico. Ele se ofendeu porque as meninas passaram abraçadas em frente ao estabelecimento dele. Mas eu não pude registrar a ocorrência como crime de homofobia, simplesmente porque ele não confessou o real motivo. Ele só usou o termo: ‘Ela sabe por que apanhou’”, relatou.

A mãe da vítima registrou a queixa, e dia 16 haverá uma acareação com a garota, a mãe e o agressor, na delegacia do Sobradinho.

“Quero que o Ministério Público entre porque minha filha é menor, tem 17 anos. Já recebi ligação de advogados querendo defender a causa, e eu vou até o fim. O que eu puder fazer pra nunca mais alguém passar por uma situação dessa eu vou fazer. Eu estou abatida até agora e quero justiça. As meninas não fizeram nada e mesmo que tivessem feito não era justificativa, pra você bater em uma adolescente com um cone”, desabafou.
 

Com informações do repórter Paulo José do Acorda Cidade. 

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Polícia Militar forma 163 novos soldados em Feira de Santana
Feira de Santana

Polícia Militar forma 163 novos soldados em Feira de Santana

No total, em toda a Bahia foram formados mais de dois mil novos soldados da Polícia Militar.

Salvador

Polícia Civil deflagra operação Voo Legal no aeroporto de Salvador

A ação foi protagonizada por agentes do Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Dra...

Pai é preso suspeito de dar cachaça com refrigerante para filho de 1 ano
Bahia

Pai é preso suspeito de dar cachaça com refrigerante para filho de 1 ano

Segundo delegado que investiga o caso, bebê sofreu coma alcoólico. Caso aconteceu na madrugada de domingo (1...

Vídeo

Lamour Mairi Montealegre Veja mais Vídeos ›

Podcast

Temperatura em fevereiro deve continuar alta, afirma coordenadora da estação climatológica
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram