Acorda Cidade | Dilton Coutinho | Portal de notícias de Feira de Santana - Bahia

18º 31º Feira de Santana
19 de abril de 2018

Notícias

Esportes

Empregos

Lazer

Especial

Todas as notícias Feira de Santana

Comissão de Defesa do Consumidor da OAB tenta parceria com Procon para fiscalizar bancos

16/04/2018 11h38
Segundo o advogado, há um esforço dos bancos no sentindo de tentar cumprir o atendimento dentro do tempo determinado na lei. Ainda assim, ele reclama do atendimento no Banco do Brasil.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Comissão de Defesa do Consumidor da OAB tenta parceria com Procon para fiscalizar bancos
Foto: Paulo José / Acorda Cidade (Arquivo)

Daniela Cardoso

Magno Felzemburg, presidente da Comissão de Defesa do Consumidor (OAB - Feira de Santana), se reuniu com a Superintendência do Procon, para cobrar dos bancos a lei dos 15 minutos, principalmente o Banco do Brasil.

“Estamos aqui representando os interesses do consumidor, pautado pela própria Comissão de Defesa do Consumidor. A gente precisa convocar os bancos da nossa cidade para tratar do atendimento bancário, o tempo de atendimento. Além disso, trouxemos outra pauta de convocar duas grandes empresas da cidade, por algum tipo de conduta abusiva na abordagem ao consumidor nas dependências da loja”, afirmou.

O advogado considera que apesar do alto número de reclamações, a lei dos 15 minutos melhorou muito os atendimentos nos bancos. Segundo ele, há um esforço dos bancos no sentindo de tentar cumprir o atendimento dentro do tempo determinado na lei. Ainda assim, ele reclama do atendimento no Banco do Brasil.

“Principalmente os bancos particulares, percebemos essa melhora. A Caixa Econômica também faz um esforço em melhorar, mas o Banco do Brasil consegue ser um diferencial com atendimento ruim ao cidadão. O Banco do Brasil fechou agências na cidade e quer ser um banco digital, sem funcionários. Eles acham que isso é uma evolução, mas o Brasil ainda não chegou nesse nível”, disse.

Segundo Magno Felzemburg, as penalidades aplicadas aos bancos que não obedecem a lei dos 15 minutos, muitas vezes não surtem efeitos. Ele destaca que é necessária uma ação enérgica no judiciário.

“Precisa de uma ação de interdição do Procon e precisa também de uma ação política, pois fecharam duas agências do Banco do Brasil na cidade e nenhuma autoridade tomou uma posição. Todos ficaram omissos. Esse fechamento prejudicou o cidadão, o setor comerciário e ninguém tomou nenhuma posição”, lamentou.

Com informações do repórter Paulo José do Acorda Cidade

É muito importante a sua participação. Envie para nós a sua sugestão de correção.



É muito importante a sua participação. Em breve entraremos em contato.



Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Veja também



PodCast

Bebê de 1 ano e três meses morre com H1N1 em Feira de Santana

mais podcast ›

Videos

A Micareta Elétrica