Acorda Cidade - Dilton Coutinho

16 de Agosto de 2018
Dólar: R$ 3,68 Euro: R$ 4,34
19º 30º Feira de Santana
Facebook Twitter WhatsApp
WhatsApp 75 98297 4004
Rádio Acorda Cidade

Política

Todas as notícias
Publicado em 12/02/2018 16h35.

De 0 a 10, chance de a reforma da Previdência ser aprovada é 7, afirma Temer

De acordo com o presidente, rombo no setor pode tornar o sistema previdenciário insustentável.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra

Acorda Cidade

Cada vez mais perto do dia da votação da reforma da Previdência, o governo Federal tenta emplacar a necessidade de mudanças nas regras para aposentadoria. Apesar dos trabalhos da oposição para barrar o avanço da proposta, a equipe do Planalto está convencida de que, até o dia 28 deste mês, a reforma terá os votos suficientes para aprovação.

Em entrevista à rádio Guaíba, em Porto Alegre - RS, na sexta-feira (9), o presidente Michel Temer afirmou que, de 0 a 10, as chances de o texto ser aprovado é 7.

De acordo com Temer, o resultado não pode ser outro tendo em vista que, sem as alterações, o rombo vira uma “bola de neve” e torna o sistema previdenciário insustentável.

“Com esse déficit no ano passado de cerca de R$ 270 bilhões e o anúncio de um déficit no ano que vem de mais de R$ 310 bilhões, daqui a pouco vai ter que cortar aposentadoria, pensões, vencimentos de servidores públicos. Isso aconteceu em estados brasileiros e aconteceu em estados estrangeiros. Veja o caso da Grécia, o caso de Portugal.”

Avaliando o cenário econômico atual, o especialista em finanças Otto Nogami diz que, à medida que o déficit avança, mais difícil será governar no Brasil.

“A projeção está indicando que, se eventualmente nós mantivéssemos esse cenário, em 2020, toda a receita líquida do governo seria destinada a pagamento de benefícios previdenciários. Como é que o governo se sustenta? Esse é o aspecto mais crítico.”

Na volta do recesso parlamentar, o relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Maia (PPS-BA), apresentou uma nova versão da matéria. Sem muitas alterações, a novidade ficou por conta da inclusão de pensão integral para viúvos e viúvas de policiais mortos em combate. O texto também manteve a redução do tempo de contribuição de 25 para 15 anos para trabalhadores da iniciativa privada que desejam se aposentar com valor parcial. Para os servidores públicos, o tempo de contribuição continua de 25 anos.

As regras para adquirir as aposentadorias rurais e o Benefício da Prestação Continuada se mantêm as mesmas, já que o relator não incluiu esses dois pontos na reforma.

Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.



Mais Notícias

Política

Câmara aprova texto que permite à polícia agir para proteger mulheres

O projeto segue agora para análise do Senado.

Temer sanciona lei de proteção de dados mas veta órgão regulador
Política

Temer sanciona lei de proteção de dados mas veta órgão regulador

De acordo com o presidente, o veto é uma questão "formal" e não altera o mérito da nova lei.

STF retira de Moro trecho de delação sobre Lula e Mantega
Eleições 2018

STF retira de Moro trecho de delação sobre Lula e Mantega

O ministros entenderam que um dos depoimentos nos quais há citações aos nomes de Lula e Mantega não tem re...

Vídeo

Missa em homenagem aos 29 anos de falecimento de Luiz Gonzaga Veja mais Vídeos ›

Podcast

PSL volta atrás e retira nome Alberto Pimentel da vice de João Henrique
Veja mais PodCasts ›

Facebook

Instagram