Acorda Cidade | Dilton Coutinho | Portal de notícias de Feira de Santana - Bahia

20º 34º Feira de Santana
25 de fevereiro de 2018

Notícias

Esportes

Empregos

Lazer

Especial

Todas as notícias Educação

Estudante confessa que usou celular para copiar trecho de livro na prova do Enem, diz PF

19/01/2018 12h47
Polícia aponta que caso foi isolado e que não foi identificada participação de organização criminosa.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Estudante confessa que usou celular para copiar trecho de livro na prova do Enem, diz PF
Foto: Polícia Federal

Acorda Cidade

A Polícia Federal (PF) divulgou na manhã desta sexta-feira (19) que o estudante acusado de plagiar um texto na prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) agiu usando seu celular para copiar a sinopse durante a realização da prova do exame. O estudante, de 27 anos, é comerciário e aluno de Engenharia Civil de uma universidade particular. A redação dele foi zerada e por isso foi eliminado do Enem.

"Ele copiou do celular na hora da prova. O estudante fez o plágio na sua redação copiando na íntegra a sinopse do livro que é altamente conhecido na internet", explicou a delegada Suzana Jacobina, da Polícia Federal. 

Ele mora no bairro de Macaúbas e no dia 05 de novembro de 2017 fez a prova no pavilhão VI da Universidade Federal da Bahia. "Já está descartado qualquer prejuízo à integridade do exame. De acordo com as provas, foi um caso isolado e houve fragilidade dos fiscais naquele local da prova", afirmou a delegada. Os dois fiscais que estavam na sala no dia da prova serão ouvidos no decorrer das investigações da PF.

Na manhã desta sexta-feira (19) foi realizada uma operação de busca e apreensão na casa do estudante, que é acusado de ter copiado na íntegra da sinopse do livro “Redação de Surdos: Uma Jornada em Busca da Avaliação Escrita”, da autora Maria do Carmo Ribeiro.

A PF informou que a suspeita de fraude foi identificada durante a correção das provas cujo tema era “Desafios para a Formação Educacional dos Surdos”. Uma vez confirmadas as suspeitas, segundo a PF, o investigado deverá ser indiciado pelo crime de fraude em certame de interesse público, previsto no artigo 311-A do Código Penal, cuja pena é de 1 a 4 anos de reclusão e multa. O estudante responderá o processo em liberdade.

A PF apreendeu na casa do estudante a prova, rascunhos e o celular dele. Procurado pelo CORREIO, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela prova, informou que não vai comentar a situação e ressaltou que não haverá cancelamento do exame.

Fraude

Segundo as investigações, o candidato não premeditou o crime e contou com as falhas da fiscalização. "Ele disse que, ao olhar para o tema da redação, viu que não ia para lugar algum e escondeu o celular na cintura. Em um segundo momento, usou o aparelho para consultar no Google o trecho do livro. Quando algum fiscal se aproximava, ele escondia o celular entre as pernas, para então dar continuidade à transcrição", contou a delagada.

Apesar de o candidato ter confessado o crime, a delegada disse que as investigações vão continuar. "Não podemos tomar o depoimento dele como verdade absoluta. Todo o material apreendido será periciado, a exemplo do celular. Pessoas serão ouvidas, assim como os dois fiscais", declarou.

Fonte: Correio 24h

É muito importante a sua participação. Envie para nós a sua sugestão de correção.



É muito importante a sua participação. Em breve entraremos em contato.



Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Veja também



PodCast

Advogado alerta para crimes praticados através de comentários e postagens na internet

mais podcast ›

Videos

Revisitando Gastão Guimarães