Acorda Cidade | Dilton Coutinho | Portal de notícias de Feira de Santana - Bahia

20º 31º Feira de Santana
14 de dezembro de 2017

Notícias

Esportes

Empregos

Lazer

Especial

Todas as notícias Feira de Santana

Shopping Popular de Feira de Santana terá espaço para eventos, creche e estacionamento gratuito

07/12/2017 07h15
O shopping terá quatro escadas rolantes, oito elevadores e 600 vagas de estacionamento gratuitas.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Shopping Popular de Feira de Santana terá espaço para eventos, creche e estacionamento gratuito
Foto: Paulo José/Acorda Cidade

Andrea Trindade

O presidente da Fundação Doimo e do Grupo Uai, Elias Tergilene, responsável pela obra do Shopping Popular de Feira de Santana, realizou uma entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira (6), no auditório da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL).

Ele esclareceu o episódio envolvendo a Derick Construtora (que registrou uma queixa alegando ter deixado de receber o pagamento para continuar a obra), e deu detalhes sobre a infraestrutura do empreendimento, que tem previsão de ser inaugurado em setembro de 2018.

Segundo o empresário, a obra está em andamento.

Estrutura

Além das 1.800 vagas em boxes para comerciantes cadastrados pela prefeitura, o Shopping Popular terá mais 400 vagas para instalação de casas lotéricas, bancos, praça de alimentação, entre outras lojas, e creche para as mães deixarem seus filhos enquanto trabalham no empreendimento, que possui 30 mil metros quadrados.

O shopping terá quatro escadas rolantes, oito elevadores e 600 vagas de estacionamento gratuitas. No período da noite, o estacionamento será liberado para eventos culturais e shows.

“Estamos disponibilizando estes 400 espaços extras para complementar o produto dos comerciantes, porque eles não podem ficar sem estes espaços, caso contrário eles morrem por lá. Hoje não tem tarifa para estacionamento, queremos que o estacionamento seja gratuito. Quanto mais gente lá melhor, meu foco é fazer o pequeno empreendedor ganhar dinheiro. Não é explorar o estacionamento para ganhar dinheiro. Eu quero que o consumidor venha de graça para fazer compra no shopping”, declarou o empresário.

Questionado pelo Acorda Cidade sobre onde os veículos ficariam estacionados à noite, uma vez que o estacionamento estará ocupado com a festa, ele destacou que existem outras opções:

“As pessoas de uma cidade como Feira de Santana não precisam se deslocar para festas em seus carros, tem Uber, táxis. Poderão ir para as festas com tranquilidade e movimentar a economia da cidade também no setor de transporte”.

Contrato desfeito

Segundo Elias, a empresa escolhida para fazer a obra já realizou outros trabalhos para o grupo, mas precisou rescindir o contrato por conta de dívidas que ela adquiriu.

“A empresa é uma empresa boa, tinha toda a condição de fazer a obra, se atrapalhou financeiramente, começou a não pagar as pessoas que ela devia, e eu cortei essa empresa imediatamente.

Assumi toda a dívida dela, estamos pagando os funcionários na Justiça porque eu não quero pagar fora da Justiça e depois ter mais problema. O Ministério Público do Trabalho esteve lá, fez algumas observações, quero agradecer ao órgão e tê-lo como parceiro porque segurança na obra é muito importante”, declarou.

A obra foi parcialmente embargada, mas já foi retomada após readequações.

“A obra não está parada. Paramos dois dias para fazer a readequação, foi muito bom, e vamos ter que fazer outra readequação quando iniciarmos a etapa 05 e 06 porque nossa preocupação é fazer uma obra com segurança e que não atrapalhe o centro de abastecimento. A Derick já trabalhava para a gente em outras cidades, como Belo Horizonte e São Paulo. Confiamos nesta empresa para fazer essa obra o mais rápido possível e com qualidade porque ela já demonstrou que sabia fazer, agora chegou aqui e se atrapalhou. Não sei se gastou na praia, veio para cá no deslumbre de ter uma representatividade maior que tinha em São Paulo, subiu na cabeça, e começou a gastar o que não podia gastar e não pagou o pessoal. Como a gente preza pelo ser humano ninguém vai ficar sem receber seu salário. Estou aqui para resolver qualquer problema. Ele quer que eu pague a ele, mas eu não vou pagar porque aí ele vai embora e não paga os funcionários. São R$ 80 mil, não estou falando de milhões, vai ali no banco e saca. Ele não depositou o FGTS, então a partir do momento em que a lei resguardar a Fundação de poder pagar diretamente aos funcionários e não pagar a empreiteira para ela não sair daqui dando rombo na praça, nós vamos pagar na hora. Já pedimos ajuda ao Ministério Público do Trabalho. Eu vim aqui esclarecer e falar a verdade. E se o MP vier aqui e dizer que estou autorizada a pagar a empresa, basta um clique no computador e pronto, pago todo mundo”, enfatizou. 

Preconceito com chineses pode ser negativo para a cidade

Formado por capital brasileiro (Uai), italiano (Fundação Doimo) e chinês (Max One), o grupo ganhou em 2015 a licitação para gerenciar a Feira da Madrugada, no Brás, em São Paulo, o maior shopping popular da América Latina. A vigência do contrato é de 35 anos e a administração será realizada em parceria com outras duas empresas que compõem o Consórcio SP (Fundo Talismã e RFM Participações LTDA.).

O grupo também possui empresas em Belo Horizonte, na Itália e na China.


Questionado pelo Acorda Cidade sobre a sociedade da empresa com chineses, o empresário declarou ter ficado chateado com o que ele chama de preconceito com estrangeiros. Ele disse que isso pode ser muito negativo para Feira de Santana, que só tem a ganhar com os investimentos que estão sendo feitos na cidade, inclusive com geração de empregos.


“Eu vejo com bons olhos a lei que impede estrangeiros ilegais, mas se estiverem legais e trabalhando honestamente, não há necessidade de ter este preconceito. Feira de Santana tem muitos empresários que têm condições de investir na cidade, mas quando a prefeitura abriu a liciação para construção do Shopping Popular, não acreditaram no projeto. Não acreditaram na cidade onde eles moram. Eu estou chateado com este preconceito porque eu sou brasileiro e tenho empresa na Itália e na China. Aqui estou sendo tratado como forasteiro, sendo que até o presidente Michel Temer busca parceria com chineses. Imagine se essa repercussão negativa de Feira de Santana chegue a nível nacional, quem de fora vai querer investir na cidade? Quem perde é a cidade. A Pirelli foi comprada pelos chineses, uma companhia aérea foi comprada por chineses, e estão aí gerando emprego e renda”, desabafou. 


De acordo com a Lei Municipal nº 042, os espaços (boxes) do Centro Comercial Popular de Feira de Santana destinados a pessoas físicas serão disponibilizados, exclusivamente, a brasileiros ou naturalizados, devidamente cadastrados junto à Secretaria Municipal do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico (Settdec), e que estejam inseridos no projeto de requalificação do Centro Comercial de Feira de Santana.

Por outro lado, a lei não proíbe que a responsável pela gestão do empreendimento tenha capital estrangeiro.

O shopping, orçado em R$ 59 milhões, sendo R$ 13 milhões como contrapartida por parte da Prefeitura, fica na Rua Olímpio Vital, próximo ao Terminal de Transbordo Central. O projeto é fruto de uma Parceria Público-Privada (PPP) entre o Governo Municipal e o consórcio.

O projeto da Prefeitura de Feira de Santana foi criado para ordenar o centro da cidade e revitalizar o Centro de Abastecimento, tirando das vias públicas milhares de vendedores ambulantes.

 

Com informações do repórter Paulo José do Acorda Cidade  

É muito importante a sua participação. Envie para nós a sua sugestão de correção.



É muito importante a sua participação. Em breve entraremos em contato.



Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Veja também

PodCast

Queda de energia danifica equipamentos em escola e casas no bairro Sobradinho

mais podcast ›

Videos

População recebe PM com aplausos após morte de assaltantes de banco em Olindina